Por João Antônio Johas - Jovens de Maria Em Crescendo na Fé Atualizada em 03 ABR 2019 - 14H50

Confissão ou Aconselhamento: qual a diferença?

Na vida cristã precisamos sempre nos renovar. Como seres feridos pelo pecado, sempre teremos a tendência de afastar-nos de Deus, ao que chamamos concupiscência. E essa tendência é, muitas vezes, muito sutil, e acabamos tomando o que é bom por mal e o que é mal por bom, sem esquecer-nos de que existe alguém trabalhando justamente para que caiamos em suas tentações. Por isso, Jesus nos pede pra estarmos sempre atentos, vigilantes em oração, porque ao descuidar disso, podemos ter certeza de que acabaremos fazendo más opções.

confissao_1_2

Nesse caminho que trilhamos, nós cristãos precisamos de ajuda. A Igreja, profunda conhecedora do ser humano e dispensadora dos Sacramentos, está sempre presente para orientar o caminho afim de que não nos percamos. Duas maneiras muito concretas pelas quais isso acontece são o sacramento da confissão e o aconselhamento espiritual, que apesar de serem confundidos, algumas vezes, são coisas distintas, que precisam ser melhor entendidas.

Confissão

A confissão, em primeiro lugar, é um dos sete sacramentos, que são “um sinal sensível (por meio de palavras e ações), acessíveis à nossa humanidade e que realizam eficazmente a graça que significam em virtude da ação de Cristo e pelo poder do Espírito Santo” (Catecismo, parágrafo 1084). Em outras palavras, na confissão possuímos um canal certo da Graça de Deus, assim como na comunhão e nos demais sacramentos.

Como todo sacramento, a confissão possui algumas fórmulas e passos, tanto do confessor, como do penitente, que precisam ser cumpridas em sua realização. Isso nos dá a segurança de que somos realmente perdoados por Deus.

Em um desses passos, que é a confissão dos pecados, algumas vezes as pessoas misturam um pouco as coisas e acabam comentando mais do que os pecados, explicando sua atual situação de vida. E o sacerdote, por sua vez, com toda a boa intenção, e sabendo que talvez essa seja uma oportunidade única, escuta e aconselha. No final se dá a absolvição e tudo isso que aconteceu no confessionário é válido e muito bom, simplesmente se misturaram os momentos.

Aconselhamento

Um aconselhamento bem pontual e direcionado ao que foi confessado faz parte da confissão, mas é no âmbito do aconselhamento espiritual que temos a oportunidade de olhar para dentro de nós mesmos e buscar, com a ajuda de um conselheiro experimentado, como podemos crescer em nossa vida espiritual, conhecendo-nos melhor e as possíveis razões pelas quais temos essa ou aquela dificuldade, esse ou aquele defeito e também conhecendo melhor os nossos dons, talentos e capacidades, afim de colocá-los a serviço de Deus e da missão da Igreja.

Enfim, o aconselhamento espiritual viria a ser um espaço privilegiado para conhecer-se cada vez mais, com a perspectiva de Deus. Iluminados com essa Luz divina, reconhecemos melhor as nossas qualidades e o que precisamos mudar para nos assemelharmos cada vez mais com Jesus.

A confissão, por sua vez, é um sacramento no qual exponho os meus pecados (e não toda a situação pela qual estou passando e que talvez me levou a pecar) para obter assim a reconciliação com o Senhor e a Graça necessária para continuar lutando por ser fiel e cada vez mais santo.

Veja também: YouCat - Como se constitui a Confissão?

Escrito por
Irmão João Antônio Johas (Redação A12.com)
João Antônio Johas - Jovens de Maria

Licenciando em Filosofia pela Universidade Católica de Petrópolis, Pós-graduando em Antropologia Cristã pela Universidade Católica San Pablo em Arequipa, Peru.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por João Antônio Johas Leão, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.