Por Craig Kinneberg Em Crescendo na Fé Atualizada em 19 JUN 2020 - 16H47

O que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus me ensina como jovem?

Você alguma vez se sentiu incompreendido? Tem momentos na sua vida em que você experimenta desejos e emoções que fazem você se sentir muito diferente que dos outros? Diante dessa experiência, você deve ter pensado e desejado o seguinte: “como gostaria de ter alguém que entende o que estou experimentando no mais profundo do meu coração agora!”. Meu irmão e minha irmã: seu desejo se cumpriu!

Shutterstock
Shutterstock


A
devoção ao Sagrado Coração de Jesus tem sua origem na Idade Média, mas foi propriamente no século XVII que esta devoção se popularizou, graças a uma freira chamada Santa Margarida Maria de Alacoque. Essa freira francesa recebeu algumas revelações de Jesus ao longo de três anos e, a partir dessas revelações, impulsionou a devoção com muita força.

Um dos fundamentos dessa devoção que Santa Margarida quis transmitir é que Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, tem um coração humano que transborda de amor, compaixão e misericórdia. Como escreve o Papa Pio XII na sua encíclica Haurietis Aquas, por ocasião dos 100 anos da instituição da festa do Sacratíssimo Coração de Jesus na Igreja, “o coração de Cristo, unido hipostaticamente à pessoa divina do Verbo, sem dúvida deve ter palpitado de amor e de qualquer outro afeto sensível” (HA 22).

Thiago Leon
Thiago Leon

Sabendo que Jesus teve um coração totalmente humano, podemos ter a certeza de que Ele compreende muito bem todos os tipos de sentimentos e experiências que podemos ter na nossa vida. Jesus conhece a experiência da alegria imensa, mas também conhece a experiência do sofrimento. Jesus sabe como é se sentir acompanhado pelos seus amigos, mas também conhece a dor do abandono dos amigos mais próximos e a experiência da solidão tremenda. Nenhuma experiência humana é alheia ou incompreendida por Cristo, e a devoção ao Sagrado Coração de Jesus enfatiza isso.

Ter uma devoção ao Sagrado Coração de Jesus é uma maneira de lembrar que nunca estou sozinho e que sempre tem alguém que me compreende. Mesmo quando estou afastado de Deus ou envergonhado pelos meus pecados cometidos, o amor transbordante do coração sacratíssimo de Cristo não muda, e me chama de volta para Ele. Como Jesus falou para Santa Faustina, “Meu Coração está repleto de grande misericórdia para com as almas, e especialmente para com os pobres pecadores... por eles jorrou do Meu Coração o sangue e a água como de uma fonte transbordante de misericórdia” (Diário, Santa Faustina, 367).

Por isso, queridos jovens, não deixem de olhar para esse Coração de amor que os conhece, compreende e continua palpitando por vocês.

:: Confira aqui a série de artigos especiais sobre a devoção ao Sagrado Coração de Jesus.

Escrito por
Craig Kinneberg (arquivo pessoal)
Craig Kinneberg

Nasceu na cidade de Spokane, no estado do Washington, nos Estados Unidos, e se mudou a Phoenix, Arizona quando tinha 13 anos. Aos 20 anos de idade, ingressou no Sodalício de Vida Cristã e morou no Peru durante 3 anos para sua formação inicial. Em 2013, se mudou a São Paulo, Brasil, onde atualmente reside, ajudando na missão apostólica da Família Sodálite, especialmente no projeto catequético e fazendo trabalho pastoral com jovens. Completou os estudos filosóficos e teológicos em vistas ao sacerdócio.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.