Por Fábio Santos Em Crescendo na Fé Atualizada em 16 AGO 2019 - 10H17

Qual a importância da família para os cristãos?

Certa vez, enquanto conversava com um jovem, ele me relatava sua dificuldade familiar dizendo: “Eu não preciso de ninguém, eu sei me cuidar, eu sou forte e vou conseguir resolver tudo sozinho”.

Então eu lhe disse: “Certo, vamos nos acalmar... que tal rezarmos? Pai-nosso..." No mesmo instante, a raiva transformou-se em choro, pois ele reconheceu, pela oração do Filho, que precisava da sua família e a amava.

shutterstock
shutterstock


Quando pensamos na vida cristã, geralmente a frase de “amar ao próximo” nos vem à mente. Então, como não ver as nossa famílias como os mais próximos? Ela é a célula vital da sociedade natural, fundada no matrimônio, é o santuário da vida. Ela deve educar os filhos no amor e no serviço.

Para nós, cristãos, é a Igreja doméstica. O lugar onde aprendemos as primeiras noções sobre Deus, e vemos no testemunho de fé o que é a vida cristã. Não é a catequese o primeiro lugar onde escutaremos sobre o que significa ser católicos, mas na vida familiar cotidiana.

Por exemplo: quando os familiares rezam antes das refeições, quando vão à missa todos os domingos, quando tratam uns aos outros com critérios de misericórdia; com a devoção que se reza em casa, pelo tipo de coisas que falam e dizem, pelo respeito e cuidado que têm com os mais idosos. Tudo isso é reflexo da nossa fé em Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Assim como Eles se amam, nós nos amamos. Não é por acaso que temos o mandamento de honrar pai e mãe.

A Bíblia no Livro do Eclesiástico, no Antigo Testamento, nos dá excelentes conselhos sobre a família:

Deus honra o pai nos filhos e confirma, sobre eles, a autoridade da mãe. Quem honra o seu pai, alcança o perdão dos pecados; evita cometê-los e será ouvido na oração cotidiana. Quem respeita a sua mãe é como alguém que ajunta tesouros. Quem honra o seu pai, terá alegria com seus próprios filhos; e, no dia em que orar, será atendido. Quem respeita o seu pai, terá vida longa, e quem obedece ao pai é o consolo da sua mãe
Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo para com ele; não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida: a caridade feita ao teu pai não será esquecida, mas servirá para reparar os teus pecados, e, na justiça, será para tua edificação” (Eclo 3,3-7.14-17a).

Valorizemos nossas famílias, pois Deus nos concedeu este dom e devemos cuidá-lo. Preparemo-nos para assumir este maravilhoso projeto de Deus que se relaciona com cada um de nós, em qualquer vocação.

Você tem amigos que precisam ler este artigo? Compartilhe com eles!
É só clicar no botão do Whatsapp ou demais redes sociais, logo abaixo do título.

Escrito por
fabio santos (Arquivo Pessoal)
Fábio Santos

Fábio Santos Araújo é leigo Consagrado no Sodalício de Vida Cristã em Petrópolis (RJ). Formado em Filosofia, cursa graduação em Teologia na Universidade Católica de Petrópolis

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.