Por Cankin Ma Lam Em Artigos Atualizada em 13 MAR 2020 - 10H09

Se Deus é Onipotente, por que Ele permite o sofrimento?

Alguns dizem que uma boa pergunta traz parte da resposta. O desafio desta pergunta aqui é saber exatamente em que sentido ela está sendo feita

Em sentido amplo, se a pergunta é pela origem do sofrimento, então por que ele existe?

Shutterstock/ Tinnakorn jorruang
Shutterstock/ Tinnakorn jorruang

A resposta oferecida pela Revelação é a verdade sobre o pecado. O ser humano escolheu rejeitar o amor de Deus, trazendo para si muitos males, entre eles o sofrimento. Mas, por que o ser humano tinha na sua frente tal possibilidade?

Porque Deus o criou livre, com capacidade de amar. Pois, para ser capaz de amar, a pessoa tem que ser capaz de não amar. Infelizmente, nas origens, o ser humano escolheu não amar, rejeitando a Deus pela desobediência. Evidentemente, estas respostas deixam mais perguntas e voltamos à situação inicial.

Se a pergunta inicial quer saber por que Deus, sendo Onipotente, não "resolve" o problema do mal e do sofrimento, então, a pergunta seria: por que continua existindo o sofrimento?

Shutterstock / TheVisualsYouNeed
Shutterstock /  TheVisualsYouNeed


A resposta que encontramos é que não existe "um ser" chamado sofrimento, sobre o qual Deus possa mandar um raio e exterminá-lo. O que existe são pessoas que sofrem. No caso, Deus teria que acabar com elas para acabar com o sofrimento. Mas Deus, que é todo Amor, não "soluciona" os problemas assim.

Porém, essas duas abordagens ainda deixam o dissabor de não ter tocado em algo importante da pergunta inicial. Talvez uma formulação que ajude seja perguntar pelo sofrimento do justo. Assim, a pergunta manifesta o drama que enfrentamos: por que Deus, que tudo pode, permite o justo sofrer?

A Revelação oferece em resposta um livro inteiro. O livro de Jó tenta responder à pergunta pelo sofrimento do justo. Ao chegar aos últimos capítulos (especialmente a partir do capítulo 38), o Senhor oferece a resposta. Ao avançar nos versículos, percebemos como o Senhor destaca a distância da criatura com o Criador:

"Onde estavas, quando lancei os fundamentos da Terra? Fala, se estiveres informado disso. Quem lhe deu as medidas, já que o sabes?" (Jó 38,4-5).

Na verdade, ao ler com atenção, a resposta é que não tem resposta. Mas, chegada a plenitude dos tempos (com a Encarnação do Senhor) o livro de Jó é completado. Ao ver Cristo na Cruz, podemos questionar, quem mais justo e mais sofredor do que Ele? Cristo, através da sua Páscoa, manifesta um novo sentido para o sofrimento, e assim completa a página de Jó.

shutterstock
shutterstock


A pergunta definitiva seria: o que faz o Deus Onipotente perante a realidade do sofrimento? 

Nós, cristãos, sabemos a resposta: na Páscoa, o sofrimento que era consequência do pecado é agora, em Cristo, transfigurado, e torna-se causa de salvação. Com São Paulo, podemos dizer, "onde abundou o pecado (e suas consequências), superabundou a graça" (Rm 5,20).

Assim, ao participar da Páscoa de Cristo pelo Batismo, os nossos pecados e os nossos sofrimentos são também inseridos na ação salvífica de Deus.


<< Curtiu essa formação? Compartilhe com todos os seus amigos!>>

Escrito por
Cankin Ma 2020 (arquivo pessoal)
Cankin Ma Lam

Nascido no Equador, filho de pai chinês é apóstolo de plena disponibilidade no Sodalício de Vida Cristã. Atualmente faz caminho ao sacerdócio e estuda teologia na Universidade Católica de Petrópolis.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.