Por Evaldo César Souza, C.Ss.R Em Clube dos Sócios

João Monlevade (MG) acolhe Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida

Poderia ter sido um típico final de semana na cidade mineira de João Monlevade (MG), não fora a chegada da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que desde sexta-feira (19) agitou as comunidades da Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Fica difícil, em palavras, expressar tamanho amor e devoção com que o povo Monlevadense acolheu a mãe de Jesus. No palanque improvisado, padre Marco José animava o povo que ansiava pela chegada de Maria.

Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida a João Monlevade (MG)

Uma carreata, concentrada na entrada da cidade, acolheu a Imagem de Aparecida, que em cima de uma viatura do Corpo de Bombeiros, percorreu as principais ruas da cidade, numa algazarra festiva que misturava buzinas, fogos e muitos vivas. Ao longo do trajeto, famílias inteiras saíam das casas e acenavam para a imagem que passava abençoando cada casa.

Lágrimas e sorrisos se misturavam, na certeza de que as bênçãos dos Céus caíam sobre todos os devotos.

A Igreja do Sagrado Coração ficou pequena para tantos corações. Acolhida sob os sons dos tambores da “Guarda de Marujos” da cidade, a Senhora Aparecida parecia bailar de contentamento ao notar o grande amor do povo de João Monlevade pelas coisas de Deus. No seu trono, silenciosa, Maria rezou junto com o povo na santa Eucaristia, e mais uma vez repetiu no coração de cada um: “Fazei tudo o que meu Filho Jesus vos disser”.

 

"Tudo é graça por onde Maria passa".

Uma procissão conduziu a Imagem Missionária até a Matriz da Imaculada Conceição, onde o povo fez fila para trocar olhares com Nossa Senhora. Em cada coração uma prece, em cada olhar uma lágrima, em cada um o desejo de superação dos males e dos pecados. Tudo é graça por onde Maria passa.

O sábado (20) seguiu com muitas preces e devoções. Missa cedinho na Matriz, encontro com as crianças e, como não poderia deixar de acontecer, uma bela Consagração Solene as 15h, com sentido penitencial. Mais uma vez Maria convidou o povo a viver o Ano da Misericórdia, e trouxe seu Filho Jesus para cuidar dos corações feridos pelo pecado.

Após esse momento de preces, uma carreata conduziu Nossa Senhora Aparecida até a comunidade de São Sebastião, que comemorava seus 50 anos de existência. Ali, missa festiva e jantar para todo o povo... feijão tropeiro, arroz e torresmo... milagre da partilha e dos sorrisos! E como a palavra cansaço não existe para quem ama Nossa Senhora, a “Guarda de Marujo” ainda buscou a imagem para homenageá-la na sede do grupo, que celebrava também a festa dedicada a Nossa Senhora do Rosário.

E cada vez mais o clima de amor tomava conta do povo...

Domingo (21), dia do Senhor. Missa cedinho na Comunidade de São Geraldo. A capela pequenina não comportaria o povo, então, todos para a rua, numa belíssima missa campal. No final, que tal um cafezinho com quitutes mineiros? A comunidade promoveu a partilha e todos que rezaram também se confraternizaram com bolo de fubá e pão de queijo.

Dali Nossa Senhora seguiu para a casa da Rosário, representante do Clube dos Sócios da Rádio Aparecida e coordenadora da Missão Popular. Filha de Dona Judite, falecida há alguns meses, Rosário assumiu a tarefa de perpetuar o trabalho de sua mãe que por 46 anos foi representante da Rádio Aparecida na cidade. Um terço comunitário, pela intenção da alma de Dona Judite, reuniu a família, amigos e vizinhos. E a Graça de Deus seguia sendo derramada no meio do povo.

 

E a jornada ainda não terminou... a imagem peregrina seguiu para a comunidade Nossa Senhora de Lourdes, onde celebrou-se a Consagração e uma missa Solene, rezando especialmente pelos doentes. O povo, nessa altura, já começava a sentir saudades dos momentos intensos de amor... mas ainda havia o “gran finale”.

 Uma procissão solene... milhares de pessoas reunidas em caminhada de amor, andores e banda, fogos e músicas. Caminhando pelo centro da cidade, o povo conduziu Nossa Senhora até a Igreja do Sagrado Coração. Ali ela foi acolhida, dali ela partia de volta para Aparecida. A Missa Festiva promoveu o encontro da fraternidade com o amor, a devoção com a fé, lágrimas e sorrisos. O pároco, Padre Marco José, refletiu sobre a visita de Maria como se fosse mesmo a repetição da visita a santa Isabel... Magnificat! A solenidade da Assunção coroou as homenagens dadas a mãe de Jesus.

 Ao final, só uma palavra: obrigado povo mineiro de João Monlevade. Tudo é graça, por onde Maria passa. Amém!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Evaldo César Souza, C.Ss.R, em Clube dos Sócios

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.