Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 06 JUL 2020 - 16H45

Bolsonaro veta a obrigatoriedade do uso de máscaras

Agência Brasil
Agência Brasil

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei que obriga o uso de máscaras em espaços públicos, transportes públicos como táxis, carros de aplicativos, ônibus, aeronaves e embarcações fretadas. Bolsonaro vetou a obrigatoriedade do uso de máscaras em órgãos e entidades públicos e estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas.

O infectologista Dr. Arthur Brito lamentou a decisão do presidente, já que estudos comprovam que o uso de máscara ajuda e muito no combate à contaminação.

O presidente argumentou que o trecho “incorre em possível violação de domicílio", o que para o Dr. Luiz Felipe Panelli, não faz muito sentido. Segundo ele, as circunstâncias sanitárias dariam condições para a obrigatoriedade do uso de máscaras, principalmente em templos religiosos. Panelli explicou que, juridicamente, o veto pode ser derrubado, mas que é preciso analisar o interesse político para que isso aconteça.

Os estabelecimentos também não serão obrigados a fornecer máscaras gratuitamente aos funcionários. O presidente vetou, ainda, o trecho que obrigava o poder público a fornecer máscaras à população vulnerável economicamente. Bolsonaro também excluiu do texto a proposta do Congresso que agravava a punição para infratores reincidentes ou que deixassem de usar máscara em ambientes fechados.


Prorrogação do Auxílio Emergencial pode causar rombo maior do que previsto

Shutterstock
Shutterstock

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

Após anunciar a prorrogação do Auxílio Emergencial por mais dois meses, o governo abriu um crédito extraordinário de R$ 101 bilhões para o Ministério da Cidadania executar a medida. Com isso, a previsão do custo total do programa passa a ser de R$ 254 bilhões.

Segundo Sérgio Vale, economista chefe da MB Associados, até o final do ano, com todos os recursos do governo gastos por conta da pandemia, esse valor pode ultrapassar a marca dos R$ 800 bilhões para os cofres públicos do país.

O economista analisa também que a projeção dos gastos deve continuar subindo, por conta dos impactos gerados pela pandemia, e pelo fato de o governo não saber exatamente quanto tempo a mais o programa terá de duração.


Avaliação do governo Bolsonaro é ruim mesmo entre os que receberam Auxílio Emergencial 

Shutterstock
Shutterstock

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

Pesquisa Datafolha divulgada esta semana pelo jornal "Folha de S.Paulo" mostra que 49% dos beneficiários do Auxílio Emergencial consideram o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ruim ou péssimo na crise do novo coronavírus. Entre os que avaliam o governo como bom ou ótimo estão 26%. Ou seja, nem entre aqueles que receberam o benefício o governo é bem avaliado.

Para o cientista político Victor Marquezi, ligar a liberação do beneficio com aprovação de governo é subestimar a capacidade de escolha do eleitorado.

O Datafolha também perguntou se o presidente ajuda ou atrapalha no combate à pandemia. Do grupo que já recebeu pelo menos uma parcela do auxílio, 61% considera que Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no combate ao coronavírus. Essa também foi a avaliação de 61% dos entrevistados que não pediram a ajuda financeira. Para Marquezi, esse percentual de rejeição pode prejudicar o Governo, que ainda deve enfrentar muita crise devido a pandemia.

O levantamento foi realizado em 23 e 24 de junho, com 2.016 brasileiros pelo celular em todas as regiões e estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

:: Compartilhe com os amigos!

Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.