Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 14 MAI 2020 - 14H10

Estresse durante isolamento social: como lidar?

Especialista fala como ter uma convivência saudável com quem está isolado




Ouça a entrevista ou, se preferir, leia:

A ansiedade pode ser um sintoma muito comum durante o isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.

O psicólogo Carlos Eduardo Soares traz dias para uma proteção emocional nesse período de quarentena, onde circulam muitas notícias sobre o Covid-19.

Segundo o especialista, é importante não criar motivos para pânico e sempre buscar informações certificadas.

É possível blindar nosso emocional nesse momento?

Para o psicólogo, isso é possível e fundamental. Carlos Eduardo destacou que o excesso de informação a todo momento sobre a pandemia pode causar pânico. A dica do especialista é separar apenas algumas horas do dia para obter informações.

“Com isso, eu blindo minha emoção. Absorver apenas notícias negativas pode gerar pânico”, afirmou.

Quais exercícios podemos fazer com a nossa mente para torná-la mais forte?

Carlos Eduardo recomenda cursos de inteligência emocional e autocontrole, que atualmente podem ser encontrados na internet gratuitamente, devido à pandemia.

.:: Todas as notícias sobre o Coronavírus ::.

“Leiam um livro, assistam uma série, façam um curso online para buscar ocupar a cabeça com algo construtivo. É preciso se aprimorar, lidar com as nossas emoções, buscar uma terapia online e trabalhar esse lado emocional”.

Ele lembrou que, ao longo da vida, sempre vamos passar por crises e saber como lidar com essas situações é fundamental.

WAYHOME studio/ Shutterstock
 WAYHOME studio/ Shutterstock


Como sei que estou com crise de ansiedade?

A crise de ansiedade se manifesta com diversos sintomas. Muitas pessoas chegam aos hospitais com falta de ar e dor no peito, achando que estão sofrendo um infarto, e é constatada a crise de ansiedade.

“Quando vamos enchendo a nossa cabeça com um monte de coisas que nos deixam vulneráveis vem a ansiedade como forma de nos esquivar dessa situação. E isso pode se manifestar de uma maneira fisiológica”.

Para Carlos, é necessário observar quando falamos constantemente de algumas coisas, quando temos só pensamentos catastróficos, falta de ar, não conseguimos focar: Isso são sintomas claros de ansiedade.

O que fazer para sair dessa situação de ansiedade?

“É preciso mapear as emoções. Na minha abordagem terapêutica existe algo que se chama registro de pensamentos disfuncionais. Toda situação tem um pensamento automático que gera emoção. Por exemplo: Saí de casa e observei que vai chover. Nosso pensamento automático poder ser ‘Será que eu fechei a janela do meu quarto? ’. Emoção, angústia, medo. O que eu faço? Volto em casa e verifico se a janela estava aberta ou fechada”.

Segundo o especialista, toda situação gera um pensamento automático e esse pensamento vai me gerar ansiedade. “É preciso mapear aquilo que me deixa ansioso e buscar formar de mudar aquele pensamento automático, de uma forma que eu não tenha ansiedade”.

Para Carlos Eduardo, a ansiedade é normal, mas faz um alerta que, em excesso, pode ser um problema. A recomendação dele é a busca por ajuda de um profissional na área.

Quarentena: como manter a saúde mental em dia?

Todo o mundo está vivendo grandes desafios. Quem diria que em 2020 viveríamos uma pandemia de coronavírus? Isolamento social?

Em um ambiente de tantas incertezas e algumas mudanças, pode ser difícil manter uma mente saudável e equilibrada a todo momento, certo?

Chanintorn.v / shutterstock
 Chanintorn.v / shutterstock


Então precisamos nos concentrar em atividades que
ocupem o tempo e os pensamentos de forma positiva e construtiva.

O psicólogo Carlos Eduardo Soares traz algumas recomendações para manter o equilíbrio e saúde mental durante o isolamento:

- Mantenha uma rotina dentro de casa.

- Aproveite o tempo para fazer organização de gavetas, limpezas e pequenos reparos.

- Torne seu dia produtivo.

- Valorizar o tempo com a família.

- Leia bons livros.

- Assista filmes e séries.

- Estude e faça cursos gratuitos.

- Faça atividade física em casa.

A dica do especialista é fazer uma atividade que você goste e não tinha oportunidade de colocar em prática por falta de tempo. Isso afasta os pensamentos pessimistas.

“A ociosidade traz pensamentos negativos. É importante manter-se com motivação, rotina e mente saudável. Desta forma, será mais fácil retomar a vida quando a pandemia acabar”, afirmou.

.:: Outras notícias sobre a pandemia.

O lado bom da pandemia? Psicólogo dá dicas para manter positividade


É possível enxergar um lado positivo do isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19? Segundo o psicólogo Carlo Eduardo é possível usar este tempo para fazer redescobertas positivas.

“É possível redescobrir valores, reforçar laços com sua família e amigos próximos. Todas as crises e dificuldades nos ensinam muito. Quando paramos para fazer essa reflexão percebemos o que realmente é essencial”.

O psicólogo enfatizou que nesse período é positivo refletir quais são nossos valores, como usamos nosso dinheiro, como aproveitamos nosso tempo.

Shutterstock
Shutterstock


A falta de tempo para a família antes da pandemia

Carlos Eduardo ressaltou que este é o momento de desfrutar da companhia da família. Ele afirmou que esse tempo maior de convívio entre pais e filhos pode ser saudável para a educação e valores das crianças e adolescentes.

Ressignificar os momentos em casa, em família

Atribuir novo significado a atividades simples do dia a dia pode ser um caminho para valorizar este período e pensar positivo. É isso que afirmar o psicólogo Carlos Eduardo. A dica dele é aproveitar o tempo para fazer atividades prazerosas e que tragam sentimento de felicidades, sejam pequenas tarefas da casa, fazer artesanatos, cozinhar ou aprender algo novo.

Reclame menos

Ficar constantemente lamentando situações que você não tem influência para mudar não contribui para positividade. O ideal é manter a mente no que é positivo!


Como conviver sem conflitos diante da convivência forçada?

fizkes/Shutterstock
fizkes/Shutterstock


De uma hora pra outra, uma semana toda planejada caiu por terra com a chegada da pandemia do coronavírus. A rotina de milhões de brasileiros foi modificada e nos vimos diante da nossa família ou de quem mora com a gente durante 24 horas por dia.

Apesar de muita gente enxergar como uma convivência forçada, Carlos Eduardo Soares, psicólogo convidado pela Rádio Aparecida, afirma que é o momento propício de estreitar os laços e acompanhar a vida dos filhos, por exemplo.

“Muitos pais estão pela primeira vez, depois de um longo tempo, conseguindo acompanhar as tarefas dos filhos. Inclusive, muitos casais estão podendo relaxar e assistir filme juntos como há muito não faziam”, explica.




Para os conflitos, ele acredita que tudo se resolve quando todos podem ter a possibilidade de tirar um momento de lazer em algum cômodo da casa. “É preciso cuidar de si criando um momento de relaxamento e lazer para si próprio”, é a sua dica.


Estresse durante isolamento social: como lidar?





Durante o período de quarentena, é normal começamos a ter sentimentos mais aflorados. O estresse é um deles que é preciso tomar cuidado para não afetar a pessoa e com quem ela está convivendo.

Erroneamente, acredita-se que só tem estresse as pessoas que estão com muitas atividades, mas as pessoas sem rotina também se estressam.

Uma das parcelas da sociedade que podemos observar são os aposentados, que podem adquirir estresse logo em seguida do término de suas funções de trabalho.

Para reverter esse quadro, é preciso ter:

- organização de tempo

- manter rotina

- criar atividades

O psicólogo Carlos Eduardo Soares dá mais dicas no podcast acima.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.