Por *Eduardo Gois Em Brasil Atualizada em 10 NOV 2017 - 16H12

Novembro Azul sem tabu


Shutterstock
Shutterstock

A saúde é uma das coisas mais importantes da vida, e o que percebe-se é que ainda muitas pessoas só lembram dela quando estão doentes. Neste mês de novembro é hora de lembrar os esquecidos e desavisados sobre o Câncer de Próstata com a Campanha Novembro Azul, que vem, ano após ano, quebrando preconceitos e tabus sobre a prevenção.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (fica atrás somente do câncer de pele não melanoma). Anualmente, 61 mil pacientes são diagnosticados com a doença e o número de mortes chega a mais de 13 mil.

Para o médico oncologista Dr. Davi Jing Jue Liu, medidas preventivas são a chave para se ter uma vida com qualidade e equilíbrio. Por isso, as campanhas como o Novembro Azul surgiram para lembrar as pessoas que é importante prevenir e cuidar de você e de quem você ama.

Ainda um tabu

Embora isso tenha passado por uma mudança positiva nos últimos anos, muitos homens ainda são reféns de tabus. “Hoje nós sabemos por dados estatísticos que o homem vai com menor frequência ao médico do que a mulher. E isso não ocorre porque ele fica menos doente do que a mulher! O Homem se expõe mais ao álcool e cigarro, o homem se envolve mais em comportamentos de risco, e o homem estatisticamente vive menos do que a mulher. A verdade é que nós homens precisamos aprender que temos que nos cuidar”, afirma o médico.

Previna-se

Existem algumas medidas que o homem pode fazer para reduzir o seu risco de desenvolver o câncer de próstata e ainda ajudar na saúde como um todo.

Comer uma dieta balanceada com frutas e vegetais.

Evitar gordura.

Procurar comer peixe que é rico em ômega-3.

Manter um peso saudável e praticar atividade física regularmente.

Alguns homens, porém podem apresentar naturalmente um risco elevado ao câncer de próstata, por isso é importante uma conversa com o médico para discutir caso a caso. De todo o modo, a doença é rara antes dos 40 anos, mas a partir dos 50 anos o risco aumenta bastante.

Infelizmente a grande maioria dos tumores tem um comportamento silencioso, e não causa sintomas no começo. Para o oncologista, em alguns casos quando o tumor causa sintoma, ele pode gerar alterações como um aumento das vezes em que o paciente urina, urgência de urinar, alteração no fluxo ou dificuldade de controle, dificuldade de ereção, ejaculação dolorosa ou sanguinolenta também podem acontecer. “Muitas condições benignas também podem apresentar estes sintomas e justamente por causa disso é importante consultar o médico e esclarecer suas dúvidas. Hoje a forma mais eficaz de iniciar a investigação é com o toque retal e exame de PSA. Se estiverem alterados, podem ser necessários alguns outros exames como um ultrassom ou ressonância. Para confirmar o diagnóstico, é necessário que seja realizada uma biópsia”.

Na avaliação do médico a medicina tem avançado muito nos últimos anos no tratamento do câncer de próstata. Toda a tecnologia vem contribuindo para tratamentos mais efetivos, individualizados e com cada vez menos sequelas e efeitos colaterais. “O tratamento varia de paciente para paciente e pode envolver desde um acompanhamento mais atento até intervenções como cirurgia, radioterapia, hormonioterapia ou quimioterapia. Em geral, quando o câncer é descoberto em uma fase inicial, maiores as chances de sucesso do tratamento”, avalia.

O médico dá um conselho: “Homens, vamos aproveitar o novembro azul para lembrarmos que precisamos nos cuidar! O câncer de próstata possui tratamento eficaz e se descoberto em uma fase inicial a chance de cura é de até 90%. Por isso, não é preciso ter medo e nem vergonha de conversar com seu médico sobre a necessidade de rastreio do câncer de próstata. Vamos nos cuidar!”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por *Eduardo Gois, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.