Espiritualidade

Um católico pode praticar ioga e outras formas de terapias alternativas?

Craig Kinneberg (arquivo pessoal)

Escrito por Craig Kinneberg

18 NOV 2020 - 13H24 (Atualizada em 18 NOV 2020 - 13H40)

Shutterstock yoga saúde espiritual (Shutterstock)

É difícil encontrar uma resposta absoluta de “sim” ou “não” diante da pergunta sobre se católicos podem praticar ioga e outras formas de terapias alternativas. A dificuldade surge, em parte, devido à variedade de intenções que uma pessoa pode ter ao praticar uma dessas terapias. Por isso, a Igreja deixa claro alguns princípios que devem ser levados em consideração para tentar responder a essa pergunta.

Leia Mais Católico pode participar de celebrações em Igreja Evangélica?Um primeiro princípio importante é que Deus, numa compreensão cristã, é Pai, Filho e Espírito Santo, é um Deus pessoal que criou todo o universo e quer comunicar sua vida para todos os seres humanos.

Deus não é uma espécie de energia impessoal ou uma extensão do cosmos, e, por mais que Deus seja o Criador do mundo e das coisas, Ele mesmo não se identifica com as coisas (o mar não é Deus; as árvores não são Deus; etc.). Esse princípio é importante afirmar porque a ioga e outras formas de terapias alternativas às vezes têm uma base religiosa ou espiritualista que procura ajudar a pessoa a entrar em contato com uma espécie de 'energia positiva' dentro dela mesma.

Shutterstock
Shutterstock

Uma consequência desse princípio é que, para um católico, é problemático praticar uma terapia alternativa com a intenção de procurar uma experiência religiosa, ou de praticar uma terapia que explicitamente use métodos religiosos contrários à fé católica. O problema que a Igreja tem com essas terapias não é com as terapias médicas em si mesmas, mas com suas raízes espiritualistas ou filosóficas, que podem estar em contraste com a fé católica. Quando a acupuntura, por exemplo, é usada com uma finalidade medicinal, sem a inserção de práticas religiosas cuja visão de Deus e do homem é contrária à fé, a Igreja não está contra e, assim, ela pode ser praticada.

Um segundo princípio destacado pela Igreja é sobre a natureza da oração. Segundo um documento escrito pela Congregação para a Doutrina da Fé, em 1989, chamado Cartas aos Bispos da Igreja Católica acerca de alguns aspectos da meditação cristã*, a oração, como um “diálogo pessoal, íntimo e profundo, entre o homem e Deus” (no 3), tem a finalidade de levar o homem a uma comunhão com Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. “Por esta razão, recusa técnicas impessoais ou centradas sobre o eu, as quais tendem a produzir automatismos nos quais o orante cai prisioneiro dum espiritualismo intimista, incapaz duma livre abertura para o Deus transcendente” (no 3).

Com esse princípio, fica claro que uma experiência religiosa autêntica para um católico deve abrir espaço para um encontro entre a pessoa humana com as Pessoas Divinas. Qualquer prática ou terapia alternativa que procura oferecer uma experiência religiosa que não leva em conta isso será uma experiência reduzida, incompleta e distorcida. É melhor, nesse caso, evitar.

* Congregação para a Doutrina da Fé (1989). Cartas aos Bispos da Igreja Católica acerca de alguns aspectos da meditação cristã. 
Disponível em:
Escrito por
Craig Kinneberg (arquivo pessoal)
Craig Kinneberg

Nasceu na cidade de Spokane, no estado do Washington, nos Estados Unidos, e se mudou a Phoenix, Arizona quando tinha 13 anos. Aos 20 anos de idade, ingressou no Sodalício de Vida Cristã e morou no Peru durante 3 anos para sua formação inicial. Em 2013, se mudou a São Paulo, Brasil, onde atualmente reside, ajudando na missão apostólica da Família Sodálite, especialmente no projeto catequético e fazendo trabalho pastoral com jovens. Completou os estudos filosóficos e teológicos em vistas ao sacerdócio.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.