Por Redação A12 Em Igreja Atualizada em 25 NOV 2021 - 13H52

A fé não tem idade: virtudes da venerável Odetinha, de 8 anos

A serva de Deus Odette Vidal Cardoso, mais conhecida como Odetinha, teve suas virtudes heroicas reconhecidas pela Santa Sé, podendo se tornar a primeira santa católica nascida na cidade do Rio de Janeiro. A promulgação do decreto assinado pelo Papa Francisco aconteceu nesta quinta-feira (25).

Arquidiocese do Rio de Janeiro
Arquidiocese do Rio de Janeiro


Com uma
vida curta, a menina deixou grandes ensinamentos, como:

Amor à Eucaristia;

Alegria em servir;

Serenidade;

Humildade;

Confiança na vontade de Deus;

Perseverança na oração;

Sua vida

A Serva de Deus Odette Vidal Cardoso nasceu no Rio de Janeiro, em 18 de fevereiro de 1931, filha de pais portugueses que tinham emigrado para o Brasil. Sua mãe ficou viúva e se casou novamente com um rico comerciante, que adotou a pequena e a educou na fé católica.

Mesmo muito pequena, expressava grande fé e uma confiança inabalável em Deus. Diariamente acompanhava sua mãe na Santa Missa e na oração do Terço.

Aos cinco anos, começou a frequentar o catecismo no Colégio da "Imaculada Conceição". Desta forma aprendeu as verdades da fé e até ensinou catecismo às filhas das empregadas domésticas de casa.

Demonstrando grande maturidade e amor a Deus e ao próximo, o seu diretor espiritual, padre Alfonso Maria Germe, C.M., autorizou sua Primeira Comunhão em 15 de agosto de 1937, aos seis anos, no Colégio São Marcelo, da Paróquia Imaculada Conceição, em Botafogo.

Mesmo com tão pouca idade gostava de ajudar sua mãe nas obras de caridade. Vestia seu avental e saia alegremente, para dar comida aos pobres todos os sábados.

"Jesus, leva-me para o céu". (Odette Vidal Cardoso)

Depois de ter adoecido em 1º de outubro de 1939, Odette mostrou uma fortaleza fora do comum durante os 49 dias de doença. Nunca se queixou e suportou todo sofrimento com serenidade e paciência. Tudo que ela queria era receber diariamente a Comunhão. Dizia: “Eu vos ofereço, ó meu Jesus, todos os meus sofrimentos pelas missões e pelas crianças pobres”.

Nos últimos dias da sua vida recebeu também os Sacramentos da Crisma e da Unção dos Enfermos. Odetinha morreu em 25 de novembro de 1939, entregando serenamente a sua alma a Deus. Mesmo em seus últimos momentos, após receber a sagrada comunhão, disse: “Meu Jesus, meu amor, minha vida, meu tudo”.

Processo canônico

Seu processo de beatificação começou em 2013. No início de 2015, foi encaminhada à Santa Sé a documentação reunida pelo Tribunal Eclesiástico da arquidiocese do Rio, que recebeu parecer favorável pela Congregação da Causa dos Santos, em 2016.

O reconhecimento das "virtudes heroicas" pelo Vaticano comprova os requisitos de vida necessários para o início formal dos processos de beatificação e canonização. Até então considerada "Serva de Deus", Odetinha passa a ser "venerável".

Fonte: Arquidiocese do Rio de Janeiro/Vatican News

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.