Igreja

Bahia sofre com o maior desastre natural da história, diz governador

Rui Costa, governador do estado, disse que já são mais de 450 mil moradores afetados com as fortes chuvas

Escrito por Redação A12

13 DEZ 2021 - 15H33 (Atualizada em 28 DEZ 2021 - 11H58)

Shutterstock

Maior desastre natural da história”. Essas foram as palavras do governador da Bahia, Rui Costa, em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (28) para tratar das enchentes que atingem o estado nesse final de 2021.

Já são 116 municípios afetados pelas fortes chuvas; Desses, 100 cidades já decretaram estado de emergência. De acordo com a Defesa Civil da Bahia, até o momento, mais de 450 mil moradores foram afetados pela calamidade. As enchentes já deixaram 20 mortos e mais de 30 mil desabrigados.

De acordo com Rui Costa, as prioridades no plano de recuperação do estado serão as pontes e estradas essenciais que ligam os munícipios a outras regiões.A Bahia está devastada e ainda não é possível estipular quando as estradas vão ser recuperadas. Não sabemos a extensão. Vamos ter que olhar, caso a caso, a solução técnica”, disse durante a entrevista.

O governador está em Ilhéus, cidade onde estão centralizadas as operações de contenção da crise. Rui Costa repetiu o pedido feito anteriormente para que os prefeitos façam os cadastros das pessoas afetadas pelas enchentes a fim de agilizar o auxílio financeiro que será disponibilizado pelo governo estadual. “Vamos fazer um valor de auxílio financeiro para essas famílias, mas precisamos primeiro entender quantas pessoas foram prejudicadas”, disse.

No fim da entrevista, Rui Costa aproveitou a oportunidade para agradecer aos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Mato Grosso, Pernambuco, Maranhão e Ceará, que estão ajudando com recursos, donativos, além de colocarem à disposição equipes de bombeiros para ajudar no socorro à população.

Cáritas e CNBB mobilizam ajuda para a Bahia

Em solidariedade às famílias acometidas pelas fortes chuvas nas regiões Sul e extremo Sul do estado da Bahia e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri de Minas Gerais, a rede Cáritas Brasileira e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se mobilizam por meio da campanha ‘#SOS: Bahia e Minas Gerais: Solidariedade que transborda’.

A iniciativa busca arrecadar recursos para a compra de alimentos, água potável, roupas, fraldas infantis e adultas, artigos de higiene pessoal e de proteção contra a Covid-19. Os itens serão distribuídos pelas Cáritas Diocesanas próximas às áreas em situação crítica, a fim de auxiliar as milhares de pessoas desabrigadas e desalojadas devido às fortes chuvas.




O ciclone extratropical que atingiu os estados, já provocou a morte de 20 pessoas e mais de 30 mil tiveram que abandonar suas casas devido às inundações e aos riscos de deslizamentos de terra e de desabamentos. Além das residências e de estabelecimentos comerciais, postos de saúde, escolas e quadras também se encontram debaixo d’água.

Preocupada com as famílias que sofrem com a situação de calamidade, a CNBB através dos bispos das 26 dioceses do Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe), emitiu nota de solidariedade demostrando atenção e empenho para a realização de ações emergenciais em prol das famílias desabrigadas.

Para fazer parte desta campanha e ajudar as milhares de famílias atingidas pelas chuvas na Bahia e Minas Gerais as doações podem ser feitas nas contas abaixo:

Banco do Brasil
Agência 0452-9
C/C . 50.106-9

Caixa Econômica Federal
Agência 1041
C/C - 1132-1

Lei na íntegra a nota da CNBB Regional NE3 arrow_downward




Fonte: CNBB/Cáritas/Agência Brasil

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.