Por Raquel de Godoy Retz Em Igreja

Educação financeira: como ensinar meu filho a gastar menos?

educação financeira

É bem comum assistirmos cenas assim em supermercados ou lojas: crianças pedem aos pais que comprem algo para elas e ouvem a tradicional resposta dos adultos: “Eu não tenho dinheiro.” No mundo de hoje, as crianças prontamente respondem: “Paga com cartão!”.

As crianças pequenas são muito concretas e, sempre assistindo ao pagamento com cartões, não conseguem acreditar nos pais que afirmam não possuírem dinheiro, e, imediatamente depois, compram diversos outros produtos.

Então, qual seria uma resposta na qual a criança acreditasse?

As crianças não desenvolveram ainda a capacidade de abstração sobre cartão de crédito e próximos salários, por exemplo, mas compreendem quando os pais respondem afirmando que o produto desejado não é necessário para a criança naquele momento; então respostas como: “Você não precisa disto hoje, então não irei comprar” são passíveis de compreensão e podem ser claras para os pequenos.

Também vemos crianças que insistem com os pais depois da resposta negativa. A força do consumismo entra na cabecinha das crianças como na dos adultos e isso é um possível fator da insistência. Há também a estratégia que várias crianças usam para convencerem seus pais: insistir e insistir - então o pai cede e faz o que a criança quer.

 

Educação financeira

A educação financeira é um assunto que deve 
percorrer a vida das famílias.

Cabe aos pais a educação das crianças. Se o adulto falou que não irá comprar tal produto naquele momento, não deve mesmo comprá-lo. A criança deve perceber que não é a insistência que faz a família realizar todos seus desejos, mas que a compra deve ser planejada e que a palavra do adulto tem valor e precisa ser respeitada.

A educação financeira é um assunto que deve percorrer a vida das famílias, pois é muito mais fácil as crianças aceitarem e seguirem estas orientações do que jovens mudarem seus hábitos de consumistas sem critérios.

A partir de 4 ou 5 anos, a criança começa a construir a base de um relacionamento financeiro que irá acompanhá-la em sua vida. O que aprendemos na infância é responsável por nossa mentalidade financeira de hoje.

Várias pesquisas foram realizadas com processos de educação financeira, mas aqui resgato algumas práticas que podem ajudar neste processo com seus filhos.

1 - Estabelecer junto com a criança sonhos a curto e longo prazo. O que se deseja primeiro e o que se deseja mais a longo prazo e pode esperar. O tempo não pode ser muito longo, mas a criança deve aprender a esperar para obter algumas coisas.

2 - Combinar que é necessário pelo menos três orçamentos de produto desejado para depois comprá-lo. Isso fará com que a criança perceba que não se deve comprar por impulso. Este tempo também é importante para verificar se realmente o produto desejado é importante ou foi uma vontade passageira.

3 - Aproveite e explique a diferença entre precisar e desejar. Quando a criança precisa do produto é uma necessidade e deve passar na frente na lista de compras.

4 - Mostre para a criança quantas coisas ela tem e que deve sentir-se agradecida em comparação com as outras crianças que não disfrutam da mesma condição.

5 - O valor da conquista, do esforço, deve ser ensinado. Diga que o trabalho é o que gera salário. Lembro que o estudo é a obrigação da criança, mas que ela pode fazer algo a mais para os pais e assim merecer alguma recompensa, como fazer uma atividade de casa que não era a função dela. Não se deve trocar estudo por recompensa.

Se você deseja perguntar ou comentar algo sobre este tema? Entre em contato pelo e-mail contato@a12.com

Assinatura Raquel de Godoy Retz

 

Escrito por
Assinatura Colunista Raquel
Raquel de Godoy Retz

Raquel de Godoy Retz

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.