Por Padre Evaldo César Souza, C.Ss.R Em Liturgia Atualizada em 08 NOV 2019 - 10H27

A Celebração do Advento

Shutterstock
Shutterstock


O
Advento deve ser celebrado com sobriedade e com discreta alegria. Não se canta o Glória, para que na festa do Natal, nos unamos aos anjos e entoemos este hino como algo novo, dando glória a Deus pela salvação que realiza no meio de nós. Pelo mesmo motivo, o diretório litúrgico da CNBB orienta que flores e instrumentos sejam usados com moderação, para que não seja antecipada a plena alegria do Natal de Jesus. 

As vestes litúrgicas (casula, estola, etc.) são de cor roxa, bem como o pano que recobre o ambão, como sinal de conversão em preparação para a festa do Natal, com exceção do terceiro domingo do Advento, Domingo da Alegria ou Domingo Gaudete, cuja cor tradicionalmente usada é a rósea, em substituição ao roxo, para revelar a alegria da vinda do Libertador, que está bem próxima e se refere à segunda leitura que diz: "Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito, alegrai-vos, pois o Senhor está perto". (Fl 4, 4). 

Vários símbolos do Advento nos ajudam a mergulhar no mistério da encarnação e a vivenciar melhor este tempo:

1. A coroa pode ser pendurada no presbitério, colocada no canto do altar ou em qualquer outro lugar visível.
2. A luz nascente indica a proximidade do Natal, quando Cristo, Salvador e Luz do mundo, brilhará para toda a humanidade, e representa também nossa fé e nossa alegria pelo Deus que vem
3. O círculo, sem começo e sem fim, simboliza a eternidade; os ramos sempre verdes são sinais de esperança e da vida nova que Cristo trará e que não passa.
4. A fita vermelha que enfeita a coroa representa o amor de Deus que nos envolve e a manifestação do nosso amor, que espera ansioso o nascimento do Filho de Deus.
5. A cor roxa das velas nos convida a purificar nossos corações em preparação para acolher o Cristo que vem.
6. A vela de cor rosa nos chama à alegria, pois o Senhor está próximo.
7. Os detalhes dourados prefiguram a glória do Reino que virá. 

Nas duas primeiras semanas do Advento, a liturgia expressa o aspecto escatológico do Advento, colocando nos corações a alegre expectativa pela segunda vinda de Cristo. Nas semanas seguintes, a Igreja nos prepara diretamente para a celebração do Natal do Senhor. 

O ato de acender as velas pode ser colocado no início da celebração eucarística, no início da liturgia da palavra ou em qualquer outro momento, desde que se harmonize com a celebração. Em qualquer caso, deve ser um momento que celebra o caminho de espera do Senhor. O acender das velas deve ser acompanhado de uma oração própria e de um canto, o mesmo para os quatro domingos. 

No primeiro domingo deste tempo litúrgico, acende-se a primeira vela, que simboliza o perdão a Adão e a Eva. No segundo domingo, a segunda vela acesa representa a dos patriarcas. Eles creram no dom da terra prometida. A terceira vela simboliza a alegria do rei David, que celebrou a aliança e sua continuidade. A última vela, acesa no último domingo, ou seja, que antecede o Natal, representa o ensinamento dos profetas que anunciaram um reino de paz e justiça

Origem da Coroa do Advento 

Leia MaisAdvento: tempo de preparação para o Natal Advento: Duração e RitualA origem da coroa do Advento remete-nos aos povos da Alemanha, que, durante a escuridão do inverno, faziam a união de luzes ao redor das folhas verdes, na expectativa da primavera, que renovaria a natureza. A origem deste costume é pagã. Os cristãos assimilaram estas tradições, marcando a espera do Natal (nascimento de Jesus, luz do mundo) com a confecção de uma coroa luminosa, nos mesmos moldes das antigas tradições germânicas. 

Entre as famílias protestantes, a coroa é originalmente feita com galhos de pinheiro enfeitados com fitas vermelhas. As velas eram roxas ou púrpuras, a cor da realeza. A quarta vela era rosa e expressava alegria. A vela do meio, incluída somente na noite do Natal, era branca e simbolizava o Cristo. Em casa cada família colocará a Coroa do Advento num lugar apropriado, num lugar de encontro da família. 

Também cabe ressaltar a importância das cores das velas. Se você adotar, por exemplo, a cor vermelha para a primeira vela, utilize matizes mais claras para as outras duas, sendo a última sempre branca. O mesmo serve para a cor verde ou azul. As cores escuras no início representam o início de tudo, o pecado de Adão e Eva, o início da humanidade à busca da evolução através dos tempos. Sucessivamente, as outras duas velas de tons mais claros (em degradê), representam a esperança e a fé. Por último, na vela branca está a luz Divina enviada através de Jesus, traduzindo a pureza e a união.

Esquema dos textos da liturgia

O 1º domingo é da espera vigilante do Senhor. Preparar os caminhos é o tema específico do 2º domingo do Advento. O 3º domingo apresenta os tempos messiânicos, quando Deus vem salvar-nos e a sua vinda está próxima. O 4º domingo do Advento anuncia a vinda iminente do Messias. 

Escrito por
Padre Evaldo César Souza, C.Ss.R, diretoria da Fundação Nossa Senhora Aparecida (FNSA) (TV Aparecida)
Padre Evaldo César Souza, C.Ss.R

Jornalista e missionário redentorista

3 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Liturgia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.