Por João Antônio Johas Leão Em Liturgia Atualizada em 05 AGO 2021 - 10H37

Compreenda o momento da Transfiguração do Senhor

Existe uma experiência que na vida cristã não se pode ignorar: É a experiência da Cruz. Não é uma experiência fácil de assumir e, muitas vezes, tentamos escapar da melhor maneira possível.

Mas será realmente possível viver uma vida sem a dor? E, dando um passo a mais, é possível viver um cristianismo sem Cruz? A resposta é: não. Jesus mesmo diz que, se queremos segui-Lo, precisamos negar-nos a nós mesmos, tomar nossa cruz e, então, segui-Lo. (Mt 16, 24)

Mas Jesus sabe que não é fácil carregar a Cruz. Ele mesmo a carregou com muito esforço até o Monte do Gólgota, onde foi crucificado e morto. Ele sabe que a nossa fé vacila muitas vezes, e que a tentação de deixar a nossa cruz de lado é grande. Por isso, em outro monte, o Tabor, Ele permite que alguns dos seus amigos mais próximos experimentem algo que, com certeza, pôde fortalecer a fé e a esperança deles, e que pode fazer o mesmo com a nossa. Estamos falando da Transfiguração do Senhor.

Leolintang/ Shutterstock
 Leolintang/ Shutterstock


Podemos ler uma passagem que expressa muito bem o que significa: “Para que tivessem firme convicção no íntimo do coração e, mediante as realidades presentes, cressem nas futuras, deu-lhes ver maravilhosamente a divina manifestação do monte Tabor, imagem prefigurada do reino dos céus”.

Pensemos no que significa “imagem prefigurada do reino dos céus”. É uma antecipação daquilo que vamos viver eternamente junto a Deus, se escolhermos, com a ajuda da Graça de Deus, não deixar a nossa Cruz de lado. Se escolhermos caminhar pelo caminho do Calvário até o Gólgota e se nos deixamos crucificar junto com Jesus. Mas isso só é possível se soubermos que a morte não tem a última palavra.

Leia MaisO que a transfiguração de Jesus diz sobre a sua vidaE realmente não tem a última palavra, porque Jesus Ressuscitou. Deus venceu a morte e é Ele que tem a última palavra. Se os discípulos não tinham esse fato para fortalecer a sua fé, com certeza se lembraram do dia da Transfiguração de Jesus, para poderem permanecerem com Ele. E sabemos pelos Evangelhos que não foi fácil. Eles tiveram muito medo. Inclusive Pedro, que havia presenciado essa transfiguração, chegou a negá-lo.

Mas a experiência de Pedro no momento da Transfiguração foi tão intensa que o levou a exclamar: “Senhor, é bom estarmos aqui”! Essa é a experiência que Deus quer que tenhamos ao seu lado, na oração, na Eucaristia, na Confissão. Quer que experimentemos que o melhor lugar em que possamos pensar em estar é junto a Ele. Todos são chamados a buscá-Lo com ainda mais ardor, para encontrar n'Ele as forças para continuarmos sendo fiéis.

Por outro lado, a Transfiguração não é ainda a Ressurreição. Jesus e seus discípulos desceram do Monte Tabor porque ainda tinham uma missão a cumprir. Se era bom estar ali, era urgente anunciar a todos essa bondade, para que mais pessoas pudessem experimentá-la. Nós também somos chamados a, uma vez nutridos dessa esperança da Transfiguração, descer do monte para a nossa vida ordinária e anunciar esse encontro com Jesus, porque muitas pessoas ainda não conhecem essa verdadeira alegria de encontrar-se com Ele.

Que todos nós possamos encontrar-nos com Jesus e, a partir desse encontro, sairmos a fazer apostolado, anunciando essa experiência com todos que ainda não a têm!

Escrito por
João Antonio Johas Leão (Arquivo pessoal)
João Antônio Johas Leão

Licenciado em filosofia, mestre em direito e pedagogo em formação. Pós-graduado em antropologia cristã e entusiasta de pensar em que significa ser cristão hoje.

3 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Liturgia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.