Mundo

Dia Mundial da Educação

É preciso que a humanidade passe por uma “revolução no mundo do saber”!

Padre Inácio Medeiros C.Ss.R. (Juan Ribeiro)

Escrito por Pe. Inácio de Medeiros, C.Ss.R

24 JAN 2022 - 15H29 (Atualizada em 24 JAN 2022 - 15H39)

Ao longo da história ou até antes, já na Pré-História, certos fatos levaram a humanidade a dar como que “um salto de qualidade” em sua caminhada. Quando se dá um acontecimento de tal envergadura, os estudiosos costumam chamar de “Revolução”, devido à sua importância e impacto que isso causa no viver da humanidade.

Um salto qualitativo se deu quando os seres humanos começaram a deixar registrados de forma escrita os acontecimentos do seu dia a dia. A escrita possibilitou grandes progressos na caminhada da humanidade, relacionando-se com ela o processo que hoje nós chamamos de educação.

Segundo o dicionário mundial, “educação é o processo de facilitar o aprendizado ou a aquisição de conhecimentos, habilidades, valores, crenças e hábitos”.

Ainda segundo o dicionário, “os métodos educacionais incluem o ensino, treinamento, narração de histórias, discussão e pesquisa direcionada”.

A educação geralmente ocorre sob a orientação de educadores, nossos bravos professores, mas as pessoas também podem se auto-educar. E ainda, “a educação pode ocorrer em contextos formais ou informais e qualquer experiência que tenha um efeito formativo na maneira como se pensa, sente ou age pode ser considerada educacional”.

Por isso, com a utilização maciça das novas metodologias usadas no processo educacional, como os avanços no campo da tecnologia digital, é preciso que o mundo passe por uma “revolução do saber”, onde a educação formal possa chegar a todos indistintamente.

Leia MaisOração pela Fraternidade e EducaçãoSegundo a Unesco, órgão das Nações Unidas para a educação, existem hoje no mundo mais de 790 milhões de pessoas com mais de 15 anos que são analfabetas. Dessas, mais da metade vive nos países do hemisfério sul e delas, cerca de 64% são mulheres.

No Brasil, por sua vez, o analfabetismo formal já caiu bastante, mas 6,6% das pessoas acima de 15 anos ainda são analfabetas, dando um contingente de mais de 11 milhões de brasileiros.

Entre nós o analfabetismo está mais concentrado nas pessoas que têm acima de 60 anos e nas que são pretas ou pardas. Mas aqui a desigualdade se faz de forma inversa ao que acontece no mundo, pois a maior taxa de analfabetos encontra-se nas regiões norte e nordeste, onde o número de analfabetos chega a 14% da população.

Como estamos em ano eleitoral, tomara que nossos próximos governantes voltem a investir pesado na educação, não como um objetivo secundário, mas como uma obrigação, pois a educação é um direito fundamental de todo e qualquer ser humano.

Seja essa a grande revolução do Brasil e do mundo nos próximos anos!

Escrito por
Padre Inácio Medeiros C.Ss.R. (Juan Ribeiro)
Pe. Inácio de Medeiros, C.Ss.R

Redentorista da Província de São Paulo, graduado em História da Igreja pela Universidade Gregoriana de Roma, já trabalha nessa área há muitos anos, tendo lecionado em diversos institutos. Atuou na área de comunicação, sendo responsável pela comunicação institucional e missionária da Província de São Paulo, atualmente é diretor da Rádio Aparecida

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.