Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R. Em Grão de Trigo Atualizada em 02 OUT 2017 - 13H04

Homilia 11º Domingo Tempo Comum - Ano B

reino_semente

(Mc.4,26-34)    

O Reino cresce por conta própria. Cuidado: não fique fora dele!

No evangelho de Marcos “Palavra” significa a Boa Notícia do Reino de Deus chegando até nosso convívio na pessoa de Jesus. Ele escolhera o povo rejeitado da Galiléia região à margem da influência político-religiosa de Jerusalém. Usando parábolas Jesus repassava aos ouvintes a sua convicção pessoal no poder do Reino de Deus como força oculta e irresistível que transforma todas as situações erradas e injustas. A Boa Notícia carregava consigo o dinamismo do Reino. Se Deus agia a partir da pregação dele, Jesus, agiria também no futuro trabalho missionário dos seus discípulos.

No capítulo 4º do evangelho Marcos apresenta-nos Jesus como o semeador daquela Boa Notícia do Reino. Trata-se da pregação de Jesus em sua essência. As parábolas ajudam-nos a entender aspectos importantes e atitudes comprometidas de quem ouve, acolhe e vive o anúncio. A força oculta do Reino de Deus vem ao nosso encontro de graça. É sementeira de vida nova e feliz. Basta crer na semente da Palavra, acompanhar sua maturação e confiar no futuro da colheita. Esta é a proposta do capítulo 4,26-34, texto que faz parte da liturgia do 11º domingo do tempo comum, ano B, do calendário cristão. Leia: Mc.4,26-34.

A parábola salienta aspectos do agir misterioso do Reino de Deus a partir de referências ao trabalho agrícola normal na Palestina. Arar, plantar e colher. Entre o plantio e a colheita o lavrador era alguém com uma vida tranquila: apenas torcia para que a colheita fosse boa. Cabia-lhe esperar o tempo da transformação invisível por que passava a semente no seio da terra. Ela germinava, ia criando raízes, crescendo a caminho do fruto. É assim que acontece com o Reino de Deus, comparou Jesus. Anunciar a Boa Notícia dele é como plantar sementes. Quais? Todas as coisas boas que dignificam a pessoa humana: verdade, justiça, amor fraterno, respeito aos outros, estima pela vida em qualquer de suas fases. Jesus foi o primeiro semeador do Reino no coração de quem o quis ouvir e nele acreditar. Seus discípulos devem continuar o trabalho do Mestre mudando corações e mentes; cultura e convivência social através dos valores próprios do Reino de Deus. As sementes dele irão germinar, crescer, produzir frutos e tornar-se na História a farta colheita de Deus. Por quê? Pelo nosso trabalho? Não. Porque uma força misteriosa o leva adiante em todas as épocas. O seu desenvolvimento é imprevisível e é irresistível. Logo, é uma atitude sábia confiar em Deus e colocar-se a serviço do seu Reino.

Outra comparação de Jesus reforça a ideia com o aspecto da diferença entre o início e o fim. Aí entra a parábola do grãozinho de mostarda. Parece algo insignificante: quem poderia imaginar o seu futuro antes de plantá-lo? Torna-se quase uma árvore! Essa mudança a partir do quase nada faz-nos compreender e confiar no anúncio do Reino aqui e agora. No ministério de Jesus ele se iniciou de modo humilde, sem alarde, no meio de gente sofrida e pobre, numa região politicamente sem prestígio. Na aparência o Reino de Deus, a fé cristã, o trabalho da Igreja é como um grãozinho de mostarda face à potência espetacular dos modernos meios de comunicação. Contrasta com os recursos da alta tecnologia em mãos de gente poderosa! Mas, Deus está aí agindo e salvando apesar da nossa fraqueza e limites. É assim que o anúncio da “Palavra” passava pelas parábolas. Era o modo como Jesus se adaptava à compreensão do povo. Mas, segundo o texto, reservava uma explicação particular para os discípulos.

O Evangelho de Marcos insiste na incompreensão dos discípulos sobre a vinda do Messias. Esperavam algo espetacular e grandioso. Jesus lhes anunciava o contrário. Em todas as situações difíceis e de dúvidas, lembremo-nos da semente que cresce misteriosamente e tenhamos a confiança necessária no agir de Deus. Seu Reino está se implantando sem espetáculos apesar de todas as nossas confusões e das aflições na História. Opositores, críticos, perseguidores da Igreja e da fé cristã, amanhã terão passado com suas glórias e honrarias. O Reino de Deus continuará nos oferecendo os frutos da sua Boa Nova.

         Maria: sementeira da Palavra do Reino.

O Reino de Deus (seu projeto salvador) tornou-se conhecido na pessoa e obra de Jesus. Nascido de Maria é dela inseparável no seu mistério. Maria é intitulada: a mulher do Reino, dado o seu fiat colaborador com o agir de Deus. A semente da Palavra foi acolhida e germinou no seu coração. Ela ouviu e acreditou! Assim, no seio virginal a vida do Messias foi tomando forma enquanto o Reino de Deus entrava de mansinho na plenitude dos tempos (Gálatas 4,4). Invocando Maria saibamos com ela “aguardar o tempo” até a colheita.

                                                                                   (08-06-15)                                                                             

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R., em Grão de Trigo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.