Palavra do Associado

Nossa Senhora da Vitória – “Primaz e excelsa patrona do sertão do Piauí”

Escrito por Academia Marial

31 JUL 2021 - 07H45

Leo Caetano Nossa Senhora da Vitória – “Primaz e excelsa patrona do sertão do Piauí” (Leo Caetano)

Antes da colonização do Brasil, a região onde atualmente está situado o estado do Piauí, era povoada por índios de diferentes tribos. Há a estimativa de que na época da colonização, existiam cerca de 150 tribos no território do Piauí. O extermínio dos índios é o grande obstáculo para que se possa afirmar com precisão quais eram essas tribos. Sabe-se que na região, existiam índios Tremembés, Pimenteiras, Gueguês, Gamelas, Jenipapos, Guaranis, Cabuçus, Muipuras, Aitatus e Amoipirás, entre as demais tribos que foram dizimadas. ¹

As expedições realizadas com a finalidade de ocupar a região, somente na segunda metade do século XVII a colonização ocorreu efetivamente. No ano de 1661, os colonos que migraram da então Bahia de todos os Santos e do interior de São Paulo, os Bandeirantes instalaram-se na região e formaram o primeiro povoado. Este primeiro povoado rapidamente foi elevado à categoria de vila recebendo o nome de Mocha e quando esta mesma Vila foi elevada à categoria de cidade passou a se chamar Oeiras. Outros colonos vieram do Maranhão e do Ceará, seu objetivo era o desenvolvimento da atividade pecuária, o que resultou no rápido desbravamento do território.

“O Piauí tornou-se uma capitania em 1811, quando já tinha mais de dez vilas e centenas de fazendas de gado. A luta pela independência durou até 1823”. ²

A devoção mariana em terras piauienses se confunde com a história da formação do Piauí. O primeiro núcleo de povoamento de que se tem notícia foi justamente o que mais tarde viria se tornar o município de Oeiras, a primeira capital do Piauí. O catolicismo sempre esteve presente na identidade do povo piauiense, uma das heranças deixadas pelos primeiros habitantes, os colonizadores portugueses. Antigamente, certamente desde o vicariato de Tomé de Carvalho, a festividade em honra a padroeira de Oeiras era realizada na ocasião da Solenidade da Santíssima Trindade, celebrada sempre no primeiro domingo depois de Pentecostes. No entanto, desde a década de 50 do século XX, a festividade passou a ocorrer no dia 15 de agosto, dia no qual antes os oeirenses festejava Santo Antônio em virtude de ser a data de seu natalício. ³

A invocação de Nossa Senhora da Vitória já existia em Portugal desde o tempo de D. João I, quando este rei, grato à Virgem Maria pela vitória alcançada em Aljubarrota contra os castelhanos, mandara construir um mosteiro e um templo real no próprio local onde se dera o combate. Aquele Santuário, talvez o mais belo em estilo gótico português, recebeu o nome de Santa Maria da Vitória, porém é conhecido hoje em dia como a “a Batalha”, que é sem dúvida uma das obras-primas da arquitetura religiosa lusitana”. 4

Nossa Senhora da Vitória constitui uma devoção antiga do povo. O título foi dado pelo Papa Pio V (1566-1572). No século XVI, a força naval dos mulçumanos ameaçava conquistar a Europa pelo Mar Mediterrâneo. Pio V procurou enfrentar o perigo de invasão, conseguindo a aliança da Espanha com Veneza. A esquadra aliada obteve a vitória contra os inimigos em Lepanto, na Grécia, em 7 de outubro de 1571. Durante a batalha, o Papa convocou os cristãos para que rezassem, implorando a proteção da Mãe de Deus. Em sinal de gratidão à Virgem Maria pelo triunfo da esquadra Cristã, o Sumo Pontífice atribui-lhe o título de Nossa Senhora da Vitória. 5

Nossa Senhora da Vitória é a mais venerada no Nordeste brasileiro e geralmente em antigas vilas, que datam do início da colonização de nosso país. Assim pois a encontramos no Piauí, na cidade de Oeiras, sua primeira capital, antigamente denominada Vila de Mocha, que nasceu em redor da capela de Nossa Senhora da Vitória em 1697. Segundo Sr. Dagoberto de Carvalho Jr., Presidente do Instituto Histórico e Oeiras, a efígie seiscentista da Senhora da Vitória foi a primeira imagem sacra que surgiu naquelas paragens. No entanto, em meados do século XIX, ela cedeu lugar a outra, maior e mais de acordo com o gosto da época. A primitiva capela da padroeira foi também substituída pela nova matriz, entregue à população em 1733 pelo Pe. Thomé de Carvalho, fundador e Vigário Colado da freguesia de Nossa Senhora Da Vitória. 6

Primaz e excelsa patrona do sertão do Piauí desde século XVII, Nossa Senhora da Vitória foi proclamada padroeira dos piauienses no ano de 1997 pelo Papa João Paulo II, momento em que se comemorava o tricentenário da criação da Freguesia do Brejo do Mocha. 7

Vinícius Aparecido de Lima Oliveira
Associado da Academia Marial de Aparecida

Bibliografia:

1. CONTEÚDO aberto. In: Info Escola – História do Piauí. Disponível em: < https://www.infoescola.com/historia/historia-do-piaui/ >. Acesso em: 20 jun 2021.

2. CONTEÚDO aberto. In: Info Escola – História do Piauí. Disponível em: < https://www.infoescola.com/historia/historia-do-piaui/ >. Acesso em: 20 jun 2021.

3. CONTEÚDO aberto. In: meionorte.com – Hoje é dia da Padroeira do Piauí, Nossa Senhora da Vitória. Disponível em: < https://www.meionorte.com/blogs/clikpiaui/hoje-e-dia-da-padroeira-do-piaui-nossa-senhora-da-vitoria-33517 >. Acesso em: 20 jun 2021.

4. Silva Barros, Carlos Vitorino. Quatro Altares da Virgem. Lisboa, Gráfica Brás Monteiro, 1969.

5. BISINOTO, Eugênio – Conhecendo os títulos de Nossa Senhora / Eugênio Bisinoto. – Aparecida, SP: Editora Santuário, 2010.

6. MEGALE, Nilza Botelho. Invocações da Virgem Maria no Brasil. Petróplis: Editora Vozes – 4ª edição, 1998.

7. CONTEÚDO aberto. In: meionorte.com – Hoje é dia da Padroeira do Piauí, Nossa Senhora da Vitória. Disponível em: < https://www.meionorte.com/blogs/clikpiaui/hoje-e-dia-da-padroeira-do-piaui-nossa-senhora-da-vitoria-335172 >. Acesso em: 20 jun 2021.

Natividade de Maria
Palavra do Associado

A Natividade de Maria

O nascimento de Maria tem sua origem no projeto redentor de Deus, podemos atribuir a ela as palavras do Livro dos Provérbios: “O Senhor me criou no início de suas obras, antes de ter feito coisa alguma, no princípio” (Pr 8,22). Maria é uma das obras primas da criação de Deus, sua beleza supera a do jardim do Éden, sua maternidade a de Eva, sua generosidade a de Abraão, sua coragem a de Moisés, sua sabedoria a de Salomão. Maria traz em si a síntese do universo, por isso, é a mulher das possibilidades, “que surge como a aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, temível como um exército em ordem de batalha” (Ct 6,10).

mariamadre
Artigos

Maria: Mãe e catequista no caminho do discipulado

O que a missão de Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, pode comunicar hoje à missão das e dos Catequistas, e para nosso itinerário na fé e vida? Maria é Mãe e catequista no caminho do discipulado de Jesus. Ela participa da pedagogia divina no mistério da encarnação de Jesus (NDC, n. 159). Por sua fé e fidelidade, por sua participação ativa como mulher, leiga e pobre. Deus “encontrou graça em Maria” (Lc, 1, 30)! Ele Se encanta com o seu “eu feminino” para mostrar a importância da mulher, sobretudo diante de uma sociedade patriarcal.

São José - Basílica Velha de Aparecida
Artigos

José, Pai Trabalhador

Em sua reflexão, na comemoração dos 150 anos da proclamação de S. José, como patrono da Igreja, pelo Papa Pio IX, o Papa Francisco se volta para algo importante: José, pai trabalhador, o carpinteiro.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.