Por Academia Marial Em Palavra do Associado Atualizada em 26 AGO 2020 - 10H31

Nossa Senhora do Carmo de Maipú

Padroeira do Chile


Aparecida do Brasil Lembranças de Fé
Aparecida do Brasil Lembranças de Fé
Nossa Senhora do Carmo - Padroeira do Chile

Título Oficial: Nossa Senhora do Carmo de Maipú

Padroeira: Chile

Festa: 16 de Julho

O culto mariano, caso único entre os cultos dos santos, tem suas raízes nove séculos antes do nascimento de Maria. O primeiro profeta de Israel, Elias, morando no Monte Carmelo teve a visão da vinda da Bem-Aventurada Virgem. Viu que ela se elevava em uma pequena nuvem, trazendo uma chuva providencial que salvaria Israel de uma grande seca. É um dos cultos mais antigos da Roma cristã, assim como a Ordem Carmelita que está ligada ao que foi escrito na Bíblia, quando se conta que Elias recebeu a profecia do Mistério da Virgem e Mãe sobre o nascimento do Filho de Deus¹.

A devoção a Nossa Senhora do Carmo tem origem no século XII, em plena Idade Média, quando um grupo de eremitas começou a se reunir para se dedicarem à oração e à penitência no Monte Carmelo, na Palestina, na Terra Santa, iniciando um estilo de vida pobre, humilde e simples, ao lado da fonte de Elias, que se estendeu ao mundo todo. Foi ali, naquele Monte do Carmo ou Monte Carmelo, que os eremitas construíram uma pequena capela em homenagem a Nossa Senhora já no primeiro século. Em razão das perseguições aos cristãos na Terra Santa, o grupo de eremitas do Monte Carmelo teve que buscar um refúgio mais seguro e, por isso, foram obrigados a ir para a Europa, fugindo dos muçulmanos. Eles se estabeleceram na Inglaterra, onde vivia Simão, um também eremita que se uniu a eles. Simão era penitente, assim como o Profeta Elias, e austero, assim como João Batista. Diante de sua vida solitária na convexidade de uma árvore no seio da floresta, deram-lhe o apelido de Stock. No ano de 1251, diante de tempos muito difíceis, Simão Stock suplicou à Virgem Maria um sinal de proteção contra os inimigos da fé. Em sua oração, Simão Stock disse a Maria: “Flor do Carmelo, vinha florífera, Esplendor do céu, Virgem fecunda, singular. Ó Mãe benigna, sem conhecer varão, aos Carmelitas dá privilégio, Estrela do Mar!”. Foi ali, naquele momento de prece, que Simão Stock recebeu uma mensagem, uma visão de Nossa Senhora, que lhe deu um escapulário, assegurando a promessa de proteção para todos aqueles que o usassem. Ela lhe disse: “Recebe, filho amado, este escapulário de tua Ordem como sinal distintivo e a marca do privilégio que eu obtive para ti e para os filhos do Carmelo. Quem morrer revestido com ele será preservado do fogo eterno. Ele é sinal de salvação, defesa nos perigos, aliança de paz e de uma proteção sempiterna!”².

No século XVI, durante a conquista da América, Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz, levaram adiante a reforma da ordem carmelita. A devoção aumentou, chegando no Novo Mundo³.

A devoção à Virgem del Carmen remonta à oferenda solene de Pedro de Valdivia em 20 de janeiro de 1540 para dedicar à Virgem Santíssima o primeiro e mais importante templo de seus domínios. Em 12 de fevereiro de 1541, fundou a cidade de Santiago no Vale do Maipú e construiu uma ermida na praça principal. Da mesma forma, em outras áreas do país a devoção à Virgen del Carmen começou com o nome de La Tirana. No século XVII, todo dia 16 de julho (Solenidade da Virgem do Carmen) começava uma procissão com a imagem da Virgem, que ia da Alameda até a Plaza de Armas, próxima à Catedral de Santiago4.

A história da imagem da Virgen del Carmen venerada em Maipú remonta a 1785. Nesse ano foi encomendada a Quito pelo espanhol Dom Martín de Lecuna, que a levou à capela da fazenda San Martín, em Nuñoa, onde mantido por um tempo. De lá foi periodicamente levado à Igreja de San Agustín, onde se rezou a novena até o culminar da Solenidade da Virgem del Carmen, no dia 16 de julho. Personagens importantes como Dom José Miguel Carrera e seus irmãos participaram da celebração; Don Bernardo O'Higgins e Manuel Rodríguez, entre outros5.

Durante as guerras de independência do Chile, os nacionalistas tomam a Virgen del Carmen como a padroeira de seu exército. Em 5 de dezembro de 1811, os generais José Miguel Carrera e Bernardo O'Higgins dirigiram-se ao Vigário de Santiago do Chile para pedir "uma Missa Solene de Ação de Graças" pelo triunfo das lutas pela independência. Em 5 de janeiro de 1817, o General José de San Martín colocou seu bastão na mão direita da imagem, jurando solenemente como Padroeira do Exército dos Andes e na véspera da batalha de Chabuco o exército com O'Higgins no A cabeça proclama a Virgem de Carmen Padroeira e Geral das Armas do Chile. Em 1818, antes do avanço das forças espanholas, o povo e seus líderes inundaram a catedral para depositar suas orações e sua confiança aos pés da Virgem Carmelita, prometendo construir um templo em sua homenagem onde fosse assinada a liberdade do Chile: “No mesmo local onde se realiza a batalha e se obtém a vitória, será erigido um Santuário à Virgem de Carmen, Padroeira e Generala dos Exércitos Chilenos, e as fundações serão colocadas pelos mesmos magistrados que fizerem esta votação, em o próprio lugar de sua misericórdia, que será o de sua glória". Por isso, no dia 5 de abril, em plena batalha de Maipú, o general San Martín alenta seu exército gritando: “Nossa Padroeira, a Santíssima Virgem de Carmen nos dará a vitória e aqui mesmo ergueremos a igreja prometida para comemorar aquele triunfo". Antes do final do ano, foi lançada a primeira pedra do santuário, concluída em 1892. No início do século XX, a devoção à Virgen del Carmen já estava profundamente presente na fé do povo, razão pela qual em 1923 o Episcopado Nacional pediu ao Papa Pio XI que a nomeasse Padroeira do Chile. Entre 1948 e 1956, a Virgen del Carmen percorreu grande parte das províncias do país. Foi então chamada de Virgem Peregrina. Finalmente, em 16 de dezembro de 1956, a imagem de Quito da Virgen del Carmen é transferida para o Templo Votivo de Maipú, acompanhada pelo Presidente da República, Carlos Ibáñez del Campo e milhares de fiéis. Em 1971, os bispos do Chile decidiram transferir a tradicional procissão para o último domingo de setembro, a fim de aderir à celebração do Mês da Pátria, e declararam essa data como Dia de Oração pelo Chile. O atual templo foi inaugurado em outubro de 1974, é obra do arquiteto Juan Martínez Gutiérrez. No dia 27 de janeiro de 1987, Sua Santidade o Papa João Paulo II, na Santa Sé, concedeu a este santuário o título de Basílica Menor, e no dia 3 de abril do mesmo ano, durante sua visita ao Santuário, coroou a Santíssima Virgem do Carmen como Mãe e Rainha do Chile. Em 1996, com recursos do Ministério de Obras Públicas e da Ilustre Prefeitura Municipal de Maipú, iniciaram-se as obras de reforma que foram encerradas em 28 de dezembro de 19996.

Vinícius Aparecido de Lima Oliveira
Associado da Academia Marial de Aparecida


Aparecida do Brasil Lembranças de Fé
Aparecida do Brasil Lembranças de Fé


Bibliografia:

1. VATICAN NEWS – Nossa Senhora do Carmo, uma das devoções mais antigas e amadas - https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2018-07/nossa-senhora-carmo-devocao-igreja.html

2. PARREIRAS, Aloísio – Nossa Senhora do Carmo – Arquidiocese Brasília - https://arqbrasilia.com.br/nossa-senhora-do-carmo/

3. Virgem Peregrina da Familia – Nossa Senhora do Carmo de Maipú - http://virgemperegrina.org.br/mae-das-americas/chile/

4. Santuário Nacional do Voto - http://www.iglesia.cl/especiales/santuarios/14.html

5. Santuario Nacional de Maipú – Virgem Carmem - http://santuarionacional.cl/virgen-del-carmen/

6. Santuário Nacional do Voto - http://www.iglesia.cl/especiales/santuarios/14.html

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.