Por Redação A12 Em Artigos

Deixar crescer e florescer

Shutterstock
Shutterstock


Vejo muito, em meu dia a dia, pessoas com certa grandeza pouco aproveitada. Eu uso o termo “grandeza”, pois me refiro à natureza humana e, quando falamos de natureza, falamos de magnitude, de crescimento, de nosso eu.

Leia MaisIndependência e vidaVítimas das circunstânciasNão deixe nada nem ninguém decidir por você10 toques de SabedoriaOs próximos 'agora'Quem é que planta uma árvore e a impede de crescer? Impede-a de ter folhas, de dar frutos, de crescer sua semente e permitir novas germinações? Qual sentido haveria em impedir a natureza de seguir seu curso natural? Eu não sou capaz de entender algo assim.

Dessa forma, tampouco sou capaz de compreender o receio que se tem em deixar a própria natureza seguir seu rumo. E falo agora da natureza humana, da personalidade de cada um, de suas vontades e seus medos, dos pensamentos. Obviamente há o adendo que se refere às premissas relacionadas a não causar mal a si ou ao próximo, mas fora isso não há nada que nos impeça de crescer além daquelas correntes que aprisionam nossa mente.

Antes de tudo... antes mesmo de buscarmos um espacinho neste mundo tão vasto, é necessário entender que temos nosso mundinho individual, onde pensamos em tudo que gostaríamos de ter falado e não falamos; onde ensaiamos conversas hipotéticas com pessoas hipotéticas, em situações hipotéticas. Não, isso não é ser louco, é ser você mesmo. É ser um indivíduo, único e maravilhoso que, antes de fazer parte de algo, tem de aceitar a si mesmo e se encher de alegria e satisfação com a própria existência. Abraçar a si mesmo todos os dias; olhar-se no espelho, achar-se estranho e não se importar, porque, na verdade, quem não é?

Quando pensamos em nós mesmos precisamos imaginar uma árvore crescendo dentro de nós. Se seu eu se limitar, o espaço fica pequeno, a árvore para de crescer e, eventualmente, morre. Sempre que aceita a si mesmo, você permite coisas novas, ignora as opiniões e os preconceitos, inclusive os seus próprios e se abre um pedacinho para que sua árvore cresça.

Sabe aquela sensação de sufocamento quando tudo a seu redor parece não ser o suficiente? Provavelmente é sua árvore ficando bem apertadinha aí dentro e tentando lhe dizer que não tem problema você querer algo diferente, querer estar em outro lugar ou qualquer outra coisa que não aprisione mais sua mente em seu corpo. Não só não tem problema, como é necessário.

Para finalizar, só uma dica: quando você conseguir liberar espacinhos, tente evitar pessoas que não valorizam isso, porque depois de se libertar de si mesmo, não adianta se aprisionar pela mente alheia.

Caiene Cassoli

Autora do livro “O poder de mudar hábitos”

Editora Ideias & Letras

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.