Por Jovens de Maria Em Comportamento Atualizada em 06 MAR 2018 - 09H29

O que você (ainda) precisa saber sobre a Baleia Azul

Você deve estar pensando: “Mais um texto sobre este tema!”. Não deve aguentar mais ouvir sobre, né? Mas, o convite aqui é diferente, um olhar muito mais amplo. A 'Baleia Azul’ traz raízes mais profundas, que conduzem a um velho conhecido: a depressão.

:: Como identificar alguém vivendo um sentimento de aflição

Baleia Azul ( Crédito: Shutterstock)

Foto: Shutterstock

Para quem ainda não conhece, o jogo consiste na realização de 50 atividades em que o jovem precisa se automutilar, assistir a filmes de terror, até a última que o induz ao suicídio. Olhando de fora, você pode até pensar que é uma atitude de alguém que está querendo apenas chamar atenção. E você está certo! Mas não completamente.

Não só o 'Baleia Azul', como outras tantas atitudes de depressão, isolamento e automutilação, são sinais claros de que algo está errado, que por trás de tudo isso o jovem quer apenas dizer “olhe para mim, preciso de você”. Não é um “mimimi” ou uma “modinha”. Quem passa por uma situação como esta não sabe como lidar, nem como administrar os sentimentos de pressão, de angustia e de rejeição.

Já parou para pensar que alguém próximo pode estar passando por uma situação como essa? Talvez um amigo, um familiar ou um conhecido. E qual sua atitude diante disso? Temos que quebrar nossas barreiras e preconceitos, pedindo a Deus um olhar misericordioso para com essas pessoas, para que possamos ser ombro amigo e saber acolher. Uma atitude pode ser decisiva para alguém que busca um sentindo, um sopro de esperança para viver.

E, se você passa por essa situação, em que não encontra mais sentido, compartilhe com alguém que confia. Seja um amigo, um familiar ou sacerdote, eles saberão te direcionar da melhor maneira para que possa superar as dificuldades. E, mesmo que se sinta sozinho, lembre-se que Deus nunca abandona um filho. Clame a Ele diante das dificuldades.

Depoimento

Quem esteve à beira do suicídio sabe o quanto é angustiante viver diante de toda pressão. Mas a depressão não é o fim da linha, é possível superar tudo isso. Larissa, de 27 anos, da comunidade Colo de Deus, conta que tentou se matar. Se você se encontra em uma situação como a que ela viveu, certamente mudará a forma de encarar essa realidade.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Comportamento

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.