Por Pe. Leandro Luís Em Crescendo na Fé Atualizada em 23 JAN 2018 - 16H55

No mistério pascal de Cristo o mistério da nossa Juventude

Estamos celebrando a Páscoa! E, como sabemos, ela é a passagem para uma vida nova. Na fé cristã, vemos a Páscoa como passagem da morte para a vida. Jesus Cristo ressuscitou, aleluia! Sua ressurreição é a garantia de que as trevas da morte e do pecado não dominam sobre nós. A morte foi vencida. O senhor da vida a derrotou na doação de si mesmo na cruz e na sua ressureição. Doação de si por nós.

Toda a vida de Jesus encontra a sua plenitude no mistério de sua paixão, morte e ressureição. Estes três elementos enaltecidos durante a Semana Santa nos tocam profundamente a alma e a vida, como fiéis seguidores de Cristo.

sepulcro túmulo vazio

É nesta tríplice dimensão experimentada por Jesus Cristo que encontramos o centro de toda a liturgia, de todas as celebrações na Igreja ao longo de todo o calendário litúrgico. Trata-se de celebrar um mistério. Contudo, não se trata de um mistério distante da humanidade, mas aproximado dela. É um mistério com “M” maiúsculo: Mistério.

No Mistério Pascal de Cristo está o mistério da nossa juventude pois, na vida nova garantida, doada por Cristo, nós aprendemos que este Mistério Pascal nos foi revelado amorosamente.

É da vontade de Deus se entregar a nós por amor. Se entregar a nós que vislumbramos a nossa ressurreição, apesar das cruzes da existência. Precisamos fazer esta passagem: da cruz para a luz que irradia vida.

Esta revelação do Mistério é prova de sublime amor. “Por ter tanto amor ao mundo Deus nos deu o seu Filho único para que tivéssemos vida plena”. Eis o que a Páscoa de Jesus significa em nossa juventude: vida nova, plena, renovada e ressuscitada.

O jovem tem necessidade de experimentar e viver de modo concreto e menos abstrato a vida de Jesus. Graças ao nosso Salvador podemos ter sinais e exemplos que nos permitem tocar com as mãos e o coração o Mistério de amor que o Pai nos revelou por meio de seu Filho.

Precisamos sempre, quase que todo o dia, beber da fonte deste Mistério Sagrado que nos leva a ser mais humanos, humildes, bondosos, perdoadores, misericordiosos, pacientes, pacificadores, coerentes, devotos, piedosos, entusiasmados, felizes, audaciosos, cativantes, esperançosos, caridosos e muito mais.

São essas as atitudes que assumimos quando nos aproximamos dos Mistérios Pascais que celebramos. São mistérios que nos alimentam o espírito e a nossa caminhada de fiéis em Cristo. Ele, se assim, nos deixarmos penetrar pelo mistério de sua vida, paixão e ressurreição, que nos renovará a esperança de transformar o mundo pelo amor e pela doação de nós mesmos aos que mais precisam. O mundo e as pessoas e estruturas que nele existem precisam de “outros cristos”.

Jesus apagou as nossas faltas, assumiu nossas dores, lavou o nosso pecado, deu-nos vida plena para que pudéssemos fazer viver, ou melhor, ressuscitar, a todos os que estão perdidos, abandonados, mortos pelo pecado, afastados por nossas atitudes indiferentes, maliciosas, mesquinhas, individualistas e gananciosas.

O sentido da Páscoa de Jesus é a vida abundante nascida da cruz e perpetuada no túmulo vazio. Neste sentido, a vida abundante de todo o jovem está na Páscoa de Cristo. Esta Páscoa não acontece apenas hoje. A Páscoa é todo o dia. Se levamos, na vida, o Cristo que ressuscitou tudo ao nosso redor será uma constante manifestação de alegria e de ressurreição. Enfim, se assim acreditarmos tudo será um aleluia eterno.

Feliz Páscoa querido Jovem de Maria!


Escrito por
crescendo na fé revista jovens de maria
Pe. Leandro Luís

Padre na Arquidiocese de Pouso Alegre

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Leandro Luís, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.