Por João Antônio Johas Leão Em Crescendo na Fé Atualizada em 23 JUN 2020 - 15H34

O caminho para conquistar a paz interior

É possível viver em paz hoje em dia? Essa é uma pergunta muito importante de se responder, já que a paz parece ser uma condição para a felicidade que tanto desejamos. Quando pensamos nela como uma vida tranquila, sem preocupações, sem nenhum tipo de dor, parece ser o ideal, algo que todos gostaríamos de possuir. Mas será que é realmente possível chegar a esse estado? Qual é a paz que nos proporciona o encontro com Deus?

paz_interior

Se olhamos agora a vida cotidiana de uma pessoa normal, vemos com mais claridade a dificuldade de viver essa paz. Quantas coisas não acontecem cada dia que nos tiram da nossa zona de conforto. Imprevistos que precisam ser resolvidos, problemas que parecem surgir do nada e que muitas vezes são difíceis de resolver. Mais ainda, se olhamos para o mundo, para essa realidade inegável de injustiça, fome, guerras e violências mil, como podemos ficar tranquilos mesmo que não estejamos passando por nenhum problema mais sério?

A paz parece ser cada vez mais um ideal apenas, não algo real ou possível. Acabamos nos contentando com “momentos de paz” ou momentos em que “esquecemos nossos problemas”. Mas é evidente que são apenas sucedâneos, não terminam de pacificar o coração.

O que é que Jesus vem nos dizer com relação a paz? Como ele responde essa situação? Em um dos capítulos mais bonitos (para mim) de São João, o capítulo 14, Jesus diz aquela famosa frase: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não a dou como o mundo a dá”. Aqui fica claro, Jesus nos concede a paz, mas ao mesmo tempo nos diz que é uma paz diferente da paz do mundo. Penso que ela é tão diferente que em um momento Jesus pode chegar a dizer: “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada” (Mt 10, 34). Como podemos conciliar duas frases que parecem tão contraditórias?

A Paz de Cristo é a Paz de quem se encontrou com Deus e, fruto desse encontro, consigo mesmo. Esse encontro muda radicalmente a vida de qualquer um, a preenche de sentido, de maneira especial quando se descobre a própria vocação. Quando sabemos que Deus, desde a sua infinidade, me ama pessoalmente pensando um caminho pelo qual eu serei feliz, começamos a entender de que modo a Paz de Cristo pode estar no meio do mundo caótico e porque ela implica a espada da qual falava Jesus.

 

Esse encontro muda radicalmente a vida de qualquer um, a preenche de sentido.

A paz de Cristo está em saber caminhar pelo caminho correto, fundamentado sobre a rocha firme que é Ele mesmo. Isso não tira todos os problemas do mundo, mas nos dá a certeza de que não sucumbiremos diante deles. Ele não resolve, no mesmo instante, as misérias do mundo, mas nos permite ver que somos chamados a fazer o máximo para aliviá-las, não as exclui, as integra dolorosamente à semelhança de Jesus na cruz que assume nossos pecados. A espada vem da incompreensão da lógica de Deus por parte dos que estão longe dele. Assim como não compreenderam Jesus, também não serão compreendidos seus discípulos.

Para concluir, penso que quando um cristão olha para dentro ele não encontra uma paz que se parece a um lago tranquilo. Ele encontra um mar agitado, pelas preocupações externas e internas, mas se vê na barca de Pedro, guiada pelo mesmo Jesus, rumo à Pátria Celeste, onde encontraremos essa paz ideal que o nosso coração busca incessantemente. E nessa jornada, luta por atrair o maior número de pessoas, que estão se afogando no mar, para a mesma barca.


Escrito por
João Antonio Johas Leão (Arquivo pessoal)
João Antônio Johas Leão

Licenciado em filosofia, mestre em direito e pedagogo em formação. Pós-graduado em antropologia cristã e entusiasta de pensar em que significa ser cristão hoje.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por João Antônio Johas Leão, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.