Por Everton Lucas Em Crescendo na Fé Atualizada em 26 SET 2017 - 14H16

O que a Olimpíada pode ensinar sobre o caminho rumo ao Céu?

O país nesses últimos dias está vivendo um momento incrível na história, que é o de estar sediando as Olimpíadas. É o assunto do momento nas redes sociais, mídias e em toda parte de uma forma geral (fora o Pokémon GO, é claro). Atletas se reúnem para competirem entre si, depois de gastarem seus dias em treinamento e dedicação para que, ao chegar nos jogos, consigam alcançar o tão sonhado ouro olímpico. Uma vida de renúncias e esforço que é compensado com a subida do pódio.

E aproveitando toda a vibe que está circulando acerca desta temática, quero propor para vocês uma reflexão sobre um assunto que nos toca, que é a nossa vida espiritual. Saber competir contra nossas fraquezas e pecados nos fará bons atletas do reino e certamente chegaremos ao “ouro” do prêmio celeste. Só pra ser um pouco mais específico vou escolher um esporte para nos servir de base para nossa conversa: a Ginástica Artística.

:: Delegação de Ginástica Russa treina no Centro de Eventos do Santuário Nacional ::

treino_2

No último domingo (07), estava eu assistindo àquele lindo espetáculo das meninas brasileiras da ginástica e pensando o quanto deve ser difícil e sofrida a vida daquelas garotas. Renunciar uma série de coisas, inclusive a vida social por vezes, por um sonho, uma meta. Suor e determinação fazem parte do dia a dia em busca de um sonho. Anos de treino para uma apresentação de um minuto. Elas certamente sabem que o sacrifício e a vitória andam lado a lado.

Na tarde de competições tiveram muitos acertos, mas também tiveram quedas. E como é difícil cair! Mais do que isso, é doloroso levantar! A carga psicológica da queda é muito maior do que o peso do próprio corpo no esforço de erguer-se. Mas sempre é possível ficar de pé para dar continuidade àquilo que há anos se treina.

Físico x Espiritual
Estou falando essas coisas, até parece que sou algum entendedor do esporte. Mas, na verdade, eu assistindo àquelas meninas competirem, me lembrava de como é dificultosa a vida de quem se dispõe a ser cristão. De um lado, temos o esforço físico e psicológico e do outro, temos o espiritual, que de alguma forma afeta os anteriores.

:: Conheça a história de fé da campeã olímpica de natação Katie Ledecky ::

Se propor a seguir a Cristo é estar em constante competição com as nossas limitações, que a todo momento nos querem levar ao chão. Sabendo que o chão não é o nosso lugar, mas sim o alto, nos esforçamos cada vez mais para que os nossos voos sejam os mais plenos e com aterrisagens firmes.

É exigido de nós suor, esforço, renúncias, ascese e tantas outras coisas que funcionam como pesos que nos empurram pra baixo. Quando conseguimos nos livrar de tudo o que nos faz cair, aí sim estaremos mais aptos para alcançarmos a meta, com direito inclusive de dobrar a meta (piada marota! Se foi sem graça, desconsidere).

As atletas sonham com o ouro no pódio, nós acreditamos que o prêmio da vitória é um lugar no céu, uma vida feliz na terra e na Eternidade. E é aqui que devem estar nossos olhos, fitos no prêmio celeste.

Que a gente consiga vencer essa batalha espiritual em nossa vida, assim, certamente o que Deus nos prometeu dar vai vir. Todo esforço de quem se empenhou pelo reino será compensado. No pódio celeste estaremos todos nós celebrando a vitória de termos sido aquilo que Deus desejou que fôssemos.


Escrito por
Everton Lucas (Fotos Everton Lucas)
Everton Lucas

Apresentador e estudante de comunicação.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Everton Lucas, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.