Por Martín Ugarteche Fernández Em Crescendo na Fé Atualizada em 09 AGO 2019 - 11H02

Posso dizer não pra minha vocação?

E se eu disser "não" à minha vocação? Penso que, para responder a essa pergunta, é muito bom buscar alguns exemplos nas Sagradas Escrituras.

Como exemplo de pessoas que não seguem a sua vocação, podemos encontrar no Antigo Testamento o profeta Jonas, embora no final ele tenha decidido cumprir a missão encomendada a ele por Deus.

shutterstock
shutterstock


No Novo Testamento encontramos o jovem rico, a quem o Senhor Jesus, olhando com amor, chama para ser um dos seus apóstolos. A Escritura nos diz que ele não é capaz de responder “sim”, porque tinha muitos bens, e acrescenta que foi embora triste.

No caso do profeta Jonas, vemos como a negativa ao chamado de Deus traz consequências negativas também para as demais pessoas; em contraste, quando marcha a Nínive para pregar a conversão e a penitência aos habitantes dessa cidade, os frutos do seu "sim" são palpáveis: Deus ouve a oração dos ninivitas e lhes conserva a vida.

No Antigo Testamento, encontramos outros personagens que inicialmente resistem a seguir a sua vocação, como Moisés ou Jeremias, devido ao medo ou por considerar que não reuniam as condições para responder adequadamente.

Finalmente, porém, confiando na assistência de Deus, e a partir de um encontro íntimo e pessoal com Ele, respondem positivamente, e sua resposta rende também frutos abundantes, tanto para eles mesmos como para muitas outras pessoas.

Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, encontramos também exemplos de uma resposta imediata, generosa à chamada de Deus. Do Antigo Testamento podemos citar, entre outros, Abraão, Davi e Samuel. Este último, em particular, responde à chamada do Senhor com uma frase que todos nós poderíamos fazer nossa, quando pedimos a Deus mais clareza sobre a nossa vocação: “Fala, Senhor, que teu servo escuta”.

Maria, Mãe de Deus, é um belo exemplo de resposta pronta e generosa à vocação

Shutterstock
Shutterstock


“Eis aqui a Serva do Senhor. Faça-se em Mim segundo a vossa Palavra!”
. E já sabemos dos grandes frutos que deu o "sim" generoso de Maria, a começar pelo “Fruto bendito do Seu ventre”, Jesus, o nosso Salvador. Ela se destaca dentro do grupo daqueles que podem ser considerados familiares do Senhor, porque acolhem a sua Palavra e a põem em prática.

A experiência dessas pessoas pode iluminar também a nossa própria experiência. O Senhor é infinitamente Bom e Misericordioso. A vocação é um presente de Deus, o caminho concreto no qual Ele nos destina a dar fruto. É natural, em certa medida, que sintamos um pouco de medo.

Ao mesmo tempo, porém, é necessário que enfrentemos o medo. Deus sempre será o nosso Pai, sempre buscará o que é melhor para nós, o que nos leve à Salvação. Esse deve ser o alicerce principal das nossas vidas, a nossa filiação divina, aconteça o que acontecer.

O sim à vocação é, precisamente, um sim a esse amor paternal, um ato de confiança filial Nele. Façamos como Maria, como João e Tiago, sejamos boa terra para a semente da Palavra. É o nosso caminho para uma vida plena, em Jesus Cristo. Uma vida que dará, com certeza, muitos frutos.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos!
É só clicar no botão do Whatsapp ou demais redes sociais, logo abaixo do título.

Escrito por
martín ugarteche (Arquivo Pessoal)
Martín Ugarteche Fernández

Nasceu em Lima, Peru, no ano de 1978. É membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Desde 2001 mora em Petrópolis, na Comunidade Sodálite "Mãe da Reconciliação", onde desenvolve diversos projetos de formação e evangelização da cultura. É professor de filosofia na Universidade Católica de Petrópolis, onde leciona Ética, Lógica e Filosofia da Natureza.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.