Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 30 ABR 2020 - 12H10

52% dos brasileiros apoiam o isolamento social total para conter a Covid-19

Zigres/Shutterstock
Zigres/Shutterstock


Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:



52% dos brasileiros apoiam o isolamento social total como forma de combate à propagação da COVID-19. É o que mostra a pesquisa Datafolha desta quarta-feira.

A defesa da quarentena caiu 8 pontos percentuais em relação à pesquisa realizada de 1º a 3 de abril, que registrou 60% de apoiadores.

A adoção da quarentena apenas para idosos e pessoas nos grupos de risco é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. O governo, no entanto, até o momento não apresentou nenhum estudo que embase a medida. O Ministério da Saúde também não orientou para o fim da quarentena total.

Dr. Marcos Cyryllo, diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia, conversa conosco agora para avaliar quais seriam as consequências de um possível fim da quarentena no país neste momento.

- Doutor, há previsões segundo o ministério de saúde de um forte pico de casos de coronavírus no Brasil nas próximas semanas, mas o governo federal continua defendendo o isolamento apenas para grupos de risco. O que aconteceria neste momento se as medidas de isolamento afrouxassem?

- De um modo geral o senhor acha que com o passar do tempo, desde os primeiros casos aqui no país e mesmo agora com essa previsão de pico a população parece ter dado uma relaxada em relação aos cuidados e prevenção à doença?

- Quais são as recomendações da Sociedade Brasileira de Infectologia?


Diante pandemia, Amazonas mostra eficiência na área da Educação e leva modelo para outros estados.

Maria Symchych/Shutterstock
Maria Symchych/Shutterstock

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:



Um dos estados em situação mais crítica diante da pandemia, o Amazonas precisou agir com bastante agilidade para garantir que os 450 mil alunos das redes estadual e municipal de Manaus não perdessem o ano letivo.

O Amazonas foi o primeiro estado brasileiro a retomar as atividades escolares, com modelo até então inédito no País, onde os alunos assistem às aulas em casa, por canais de tevê aberta, sites e aplicativos, com interatividade e esclarecimento de dúvidas.

Vicente de Paulo Queiroz Nogueira, Secretário de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas fala sobre o sucesso do programa que está sendo adotado também agora em outras regiões do país, graças a um convênio assinado com o governo amazonense.

- Secretário, ao que se deve o sucesso deste programa educacional, qual a interferência dele para que os alunos não venham a perder a ano letivo?

- Como este modelo de educação funciona na prática? Ele é acessível a todos os alunos, quais são os recursos necessários para que os alunos acessem?

- O modelo tem a aprovação do Conselho Nacional de Educação. Como ele será usado para o cálculo da quantidade de horas letivas anuais obrigatórias por lei?

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Receba novidades

Cadastre seu e-mail e receba notícias diariamente

Parabéns, seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Você deve receber nossas novidades em breve.

Ops, tivemos um possível erro no cadastro de seu e-mail.
Tente novamente por favor.

Tentar novamente
Facebook

Boleto

Carregando ...

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...