Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 06 DEZ 2019 - 15H32

Brasil cai em ranking de ciências e matemática e segue estável em índice de leitura




Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

🔊Acompanhe o 'Notícias em 30' às 7h (1ª edição) e às 17h30 (2ª edição)

O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA, na sigla em inglês), que avalia o conhecimento em leitura, matemática e ciência de estudantes de 15 anos, em 79 países, divulgou hoje os dados da edição de 2018. O levantamento, feito a cada três anos, aponta que o Brasil caiu no ranking de educação em matemática e em ciências.

Os dados apresentados demonstram ainda uma estagnação nos últimos dez anos quando o assunto é a leitura. O Prof Dr. Ítalo Curcio, Coordenador do curso de pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, analisa conosco o resultado do Brasil na avaliação.


Simone Tebet anuncia votação da prisão após condenação em segunda instância

José Cruz/Agência Brasil
José Cruz/Agência Brasil


Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

🔊Acompanhe o 'Notícias em 30' às 7h (1ª edição) e às 17h30 (2ª edição)

Apesar de um acordo costurado entre as lideranças da Câmara e do Senado, as duas Casas ainda disputam uma queda de braço sobre o tema prisão após condenação em segunda instância.

No fim do mês passado, após encontro entre os presidentes das duas casas, o senador Davi Alcolumbre e o deputado Rodrigo Maia, ficou acertado que a Proposta de Emenda a Constituição, que pretende alterar esse dispositivo na lei, e que está tramitando na Câmara, seria o foco principal do Congresso para dar sequência ao tema.

Mas nesta semana, no mesmo dia em que a Câmara instalou comissão especial para avaliar o tema, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado também deu sequência ao projeto de lei que altera o código penal.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul, anunciou que o projeto de lei que prevê a prisão após condenação em segunda instância está pautado para a próxima reunião.


Mais de 500 crianças e adolescentes venezuelanos fugiram sozinhos do país em direção ao Brasil

Agência Brasil
Agência Brasil

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

🔊Acompanhe o 'Notícias em 30' às 7h (1ª edição) e às 17h30 (2ª edição)

Um levantamento divulgado pela ONG Human Rights Watch revela que cerca de 530 crianças e adolescentes venezuelanos atravessaram a fronteira brasileira e chegaram ao estado de Roraima entre 1º de maio e 21 de novembro de deste ano.

Mas o número pode ser ainda maior porque algumas crianças e adolescentes podem não passar pelos postos onde os defensores públicos da União realizam as entrevistas.

César Muñoz, pesquisador da ONG e responsável pelo levantamento, repercute conosco sobre esta triste realidade.


🔊 Gostou do conteúdo? Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.