Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 27 MAR 2020 - 15H38

Câmara aprova auxílio mensal de 600 reais para trabalhadores informais




Ouça a reportagem ou, se preferir, leia a matéria:

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que o valor do auxílio mensal a ser pago aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa, durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, pode ser elevado para R$ 600, ao invés de R$ 200, como o ministro da economia havia anunciado na semana passada.

Durante uma entrevista coletiva na Câmara, Maia também defendeu que a prioridade neste momento não é o impacto fiscal, ou seja, a queda de arrecadação do governo devido à crise gerada pela epidemia.

Para o presidente da casa, importante é que, diante da necessidade do isolamento da população, sejam encontrados os melhores caminhos para que os trabalhadores não sejam afetados.

Rodrigo Maia disse também que espera uma postura mais ativa do presidente; que ele reúna os 3 poderes para que haja uma melhor previsibilidade para conter a paralisa da economia brasileira.

Trabalhadores informais devem passar por período de grande turbulência com pandemia

Shutterstock
Shutterstock

Ouça a reportagem ou, se preferir, leia a matéria:

Nos últimos anos acompanhamos o crescimento de desemprego e coincidentemente dos trabalhadores informais. Agora com a pandemia de coronavírus, como fica a situação de quem trabalha por conta? São cerca de 38 milhões de pessoas que não tem garantia nem vínculo empregatício.

Samuel Emílio, consultor de diversidade e inclusão produtiva responde aos questionamentos:

– Como deve ser a situação dos trabalhadores informais que precisarem continuar na ativa para não perderem sua renda mensal?

- Em médio e longo prazo, a redução da atividade econômica, já vista de forma mais concreta na China - que já indica PIB negativo - tende a aumentar o desemprego, particularmente no setor de serviços, o que mais contratou no ano passado?

– O que pode ser feito para ajudar os autônomos? Que não podem ficar sem trabalhar?


Banco Central reduz para zero projeção para PIB brasileiro de 2020

Shutterstock
Shutterstock


Ouça a entrevista ou, se preferir, leia a matéria:

Em meio ao impacto econômico da pandemia de coronavírus, o Banco Central cortou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2020, de 2,2%, calculado em dezembro, para zero.

Com essa revisão, o nível de atividade do país se mantém sem alta nem queda.

Denilson Alencastro, economista-chefe da Geral Asset Management, explica esse cenário:

- O que essa estabilidade representa para a economia brasileira?

- A economia do país pode ter uma retração ainda maior que a esperada pelo BC?

- O BC também informou que a sua estimativa de inflação para esse ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), recuou de 3,5% (em dezembro do ano passado) para 2,6%. Qual o impacto dessa redução para o país?

- E as metas da inflação? Devem ser as projetadas ou deve sofrer variação?

:: Acompanhe outras notícias sobre a pandemia do coronavírus

🔊 Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.