Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 03 ABR 2020 - 16H21

Coronavírus faz Receita adiar entrega do IR por 2 meses




Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

Se você é aquela pessoa que sempre deixa para entregar a declaração do Imposto de Renda aos 45 minutos do segundo tempo, cujo prazo, inclusive, seria agora no próximo dia 30, então... um pouco de calma nessa hora!

Por conta da pandemia do coronavírus, além de outras mudanças, o prazo foi adiado para o dia 30 de junho.

Murillo Torelli, especialista em Contabilidade Financeira e Tributária e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, afirma o porquê dessas mudanças:

– Por que a mudança e o que muda neste ano em relação à entrega da declaração?

– Essas mudanças impactam de que maneira para os contribuintes?

– A alteração do prazo acaba gerando uma certa tranquilidade para os contribuintes. Quais são as dicas para que não haja atraso e como se organizar em relação aos documentos necessários?


Bolsonaro suspende obrigatoriedade de dias mínimos do ano letivo, mas mantém carga horária

Shutterstock
Shutterstock


Ouça a reportagem ou, se preferir, leia a matéria:

O presidente Jair Bolsonaro assinou uma medida provisória que suspende a obrigatoriedade de escolas e universidades cumprirem a quantidade mínima de dias letivos neste ano. No entanto, ele manteve a obrigatoriedade da carga horária mínima.

A redução da carga horária vem após a suspensão de aulas para tentar frear a transmissão do novo coronavírus, em meio à pandemia de Covid-19.

Neide Nofs, especialista em Educação, esclarece sobre a medida adotada pelo presidente e diz que ela causa uma certa estranheza.

A educadora ressalta ainda como este período de recesso por conta do coronavírus pode impactar na vida dos alunos e na grade escolar.

Por conta da quarentena, Neide Nofs chama a atenção também em relação a como esta situação pode levar a um maior abandono escolar dos alunos.


Apesar de determinação do TSE, ações no Congresso tentam adiar eleições municipais

shutterstock
shutterstock

Ouça
reportagem ou, se preferir, leia:

Mesmo recentemente, a ministra do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber, afirmou que o calendário das eleições municipais deste ano segue, por enquanto, normalmente mesmo em meio à pandemia de coronavírus.

Um possível adiamento está no centro de um crescente movimento dos meios jurídico e político, que vem sendo propagado na intenção de evitar aglomerações indesejáveis.

Existem grupos que argumentam que partidos e candidatos não terão condições de se prepararem para a disputa nas urnas, alguns inclusive afirmam que até mesmo a Justiça Eleitoral não terá condições de se recuperar da situação crítica que o país se encontra, para preparar a estrutura para o pleito de outubro.

Marcelo Rosa, advogado especialista em Direito Político, Eleitoral e Partidário, fala sobre essas decisões:

- A Ministra Rosa Weber disse que apesar de ser prematuro um possível adiamento, ao mesmo tempo ela diz que a situação ainda pode mudar. Diante desse impasse, como isso altera a rotina e os processos dos candidatos?

- Ao seu ver, como especialista, seria coerente já realizar um adiamento ou quais poderiam ser as outras alternativas, se é que elas existem?

Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.