Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 23 MAR 2018 - 17H10

Workaholics não fazem a transição da vida profissional para a pessoal

Shutterstock
Shutterstock

Estar se dedicando ao trabalho por muitas vezes traz a sensação de estar vivendo exclusivamente para ele. Taxar quem está trabalhando muito como workaholic é errado, a doença diz respeito a um comportamento compulsivo de quem só pensa e vive em função do trabalho e em momentos fora dele.

Para definir um workaholic:

Ao voltar para casa no final do dia, não se desliga das atividades do dia;
Durante o fim de semana e folgas, continua pensando no trabalho;
Momentos de lazer como viagens, ver um filme, assistir um show não dão prazer;
Manter os relacionamentos vai se tornando mais difícil;
A produtividade cai.

O professor Marcos Corrêa, entrevistado do programa Conexão Total da terça (21), explica que a empresa sai perdendo com um empregado com essa doença. “Temos empresas com pensamento antigo de que quanto mais trabalha, melhor. Em curto prazo o funcionário é produtivo, mas a médio e longo começa a incomodar. Como qualquer doença, vai impedir que o trabalhador seja um profissional em sua plenitude”.

Saiba mais sobre a patologia:

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.