Por Pe. Evaldo César, C.Ss.R. Em Espiritualidade Atualizada em 18 MAR 2019 - 16H22

Apóstolo Paulo: razão a serviço da fé

São PauloA história de Paulo de Tarso, apóstolo do Senhor por convicção, já nos é bastante conhecida. Pertencente ao grupo radical do judaísmo, legalista e perseguidor dos cristãos, Paulo, misteriosamente, é escolhido por Jesus para ser seu porta-voz, e depois de uma experiência mística, acontecida no caminho para a cidade de Damasco, Paulo redescobre dentro de si uma presença que o leva a mudar radicalmente suas posturas humanas e religiosas. Esse “cair do cavalo” de Paulo tornou-se símbolo de toda conversão radical, onde o encontro com Jesus é capaz de transformar a vida da pessoa integralmente – é a promessa do Senhor no Espírito: “Eis que faço novas todas as coisas!”.

 

"Paulo é o apóstolo da razão que ilumina a fé".

A igreja segue celebrando perpetuamente a memória daquele momento de conversão, não só pelo fato em si, mas pela herança espiritual e teológica que brotou de suas cartas missionárias, escritas para animar, corrigir e exortar as comunidades por ele fundadas em muitas localidades. Estas cartas, recolhidas como literatura canônica na Bíblia, têm, ao longo dos séculos, completado as inspirações dos Evangelhos e servido de base doutrinal para muitas ações da nossa igreja.

Por isso, pelo peso apostólico de Paulo, que mesmo não conhecendo Jesus pessoalmente, o conheceu misticamente pela fé, é que a Igreja o coloca, ao lado de Pedro, como uma coluna mestra de nossa fé. Pedro e Paulo, celebrado juntos no dia 29 de junho, sintetizam dois modos de ser da Igreja de Jesus Cristo: a fé com razão e a razão iluminada pela fé! Aliás, sobre estes dois modos de conceber sua natureza já nos falou o santo, São João Paulo II, na sua Encíclica Fides et Ratio.

Paulo é o apóstolo da razão que ilumina a fé. Estudioso, preparado teologicamente, conhecedor das tradições judaicas, ele consegue unir as expectativas da Antiga Aliança com a realização, em Jesus Cristo, dessas promessas feitas ao longo da História da Salvação. Paulo esclarece de modo pedagógico, claro, explícito, que em Cristo, uma nova criação tomou conta da História e Deus realizou as promessas feitas desde sempre ao povo escolhido. Por isso Paulo se chateia com os judeus que não querem assumir essa verdade, e parte, convicto de sua fé, a pregar o evangelho aos pagãos. Paulo percebe que, em Jesus Cristo, todos, sem exceção, se tornam parte da família de Deus, e não há mais laços de sangue que garantam a salvação, e sim, laços espirituais pela fé em Cristo e na sua Ressurreição!

Roguemos a Deus que plante em nós esse dinamismo e convicção missionária de Paulo. Amém!

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Evaldo César, C.Ss.R., em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.