Espiritualidade

Com quantos V's se faz o Advento

Neste artigo, Pe. Dalton Barros, C.Ss.R. reflete a espiritualidade deste tempo especial de graça na vida da Igreja

Padre Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)

Escrito por Padre Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R.

28 NOV 2022 - 10H02 (Atualizada em 28 NOV 2022 - 10H59)

Advento: o que ainda virá, está por vir. Não por meras expectativas. Serão realidades outras e, talvez, novas. Sementes com promessas de mais vida a germinar. Advento é esperança. A espera de quem aguarda, grávido, os amanhãs da vida qual aurora.

Advento na celebração litúrgica de nossa Fé comum, o que é? Fé eclesial. 

"Ad-vento": suave brisa soprando alegria desde a Fonte: Deus veio, vem, virá. Em nós e no meio de nós. Em quem O acolhe, a presença de Seu Espírito se torna a estrela-guia, apontando em meio a atrocidades, onde Ele está. Felizes somos: o Povo da Nova Aliança. Ele está numa manjedoura: divina criança. Deus nasce neste nosso mundo.

Reprodução
Reprodução


É vivificante rememorar de quantos “Vs” se compõe o Advento de nossa fé celebrada. A Divina Criança, nascida de mulher, Mãe Maria de Nazaré, é esperada com 4 “V's”:

- As coisas que com ela Virão.

- A necessária Vigilância.

- A certeza da Vitória.

- A chama de 4 Velas.

O Advento em nossa Liturgia é simbolizado em uma Coroa, verde de esperança, matizada com laços vermelhos, chamas de amor. “Coroa” na forma circular, circuito de luzes nas quatro semanas de duração: Velas. Chamas de Vigilância, Vitória, Vida.

O Advento de 2022 acontece em meio a corações fragmentados. Vidas atormentadas pelo peso de incertezas sociopolíticas. Em meio a sensações de medos e ameaças. Este Advento precisa recordar-nos um dizer de Santo Afonso Maria de Ligório: "O coração humano é o paraíso de Deus". Este Advento pede que seja assim. Clamemos: AMÉM. E preparemo-nos.

O Advento nos repõe nos caminhos da espiritualidade dos que creem com alegria. E isto significa: crer e confiar, ousar amar e agradecer. E agradecendo ao Deus que nos ama, reunindo-nos na Verdade de seu bem-querer.

Estas posturas de vida, virtuosas, pertencem a quem experimenta o renascer do Alto. Renascidos, cantamos a canção dos redimidos. Canção que, a sua vez, nos joga no campo da oração. E isso, hoje, em meio a crises: crise ética, crise de desapreços, crise de pertença. Antes de tudo, acima de tudo ao Amor e sua Verdade, revelados na criança da manjedoura. Renasce a Esperança. Renasce em nós o SIM de Maria: Seja. Aconteça. Fiat. SIM!

godongphoto/ Shutterstock
godongphoto/ Shutterstock

Advento: ocasião de graça, tempo favorável para o reencontro com o Desejo de Deus: dando-nos em Jesus, sua Palavra redentora. A Divina Criança vem nos trazer Paz. Pacífica, pois a vitória nos chega: vencer as pulsões de morte que circulam em nossa finitude.

Advento é para recriar “a alma”, celebrando o Natal de Jesus e revisando nossos descaminhos. Que entendamos melhor nossa identidade de cristãos! Reconfigurar nossa pertença como Igreja Católica, que nos mostra a real pertença de toda a humanidade, profetizando alternativas face às desumanizações.

Cristãos, nos passos de Jesus, seguidores Dele, precisamos concretizar: EU SOU, PORQUE SOMOS. Somos em conjunto. Pertencemos uns aos outros. Que desafio hoje nos está posto: redescobrir a dimensão de catolicidade. Igreja Católica.

O Advento quer reavivar em nós “a alma” do Natal de Jesus. Este alegrar-se com seu nascimento implica em certa contracultura, dizendo não ao racismo, não às discriminações, não ao ódio, não às guerras, não à pobreza, não à depredação do planeta. Vida em comunhão. Vida reconciliada.

Leia MaisInauguração do presépio marca início do Tempo do Advento no SantuárioPrepare-se para o Natal com a série de vídeos do A12Como montar uma coroa do advento?4 dicas para você escolher cantos do Advento e NatalAdvento-Natal: caminho para dentro do Mistério da Encarnação. Urge, pois, prepararmo-nos para sentir o gosto bom de receber o divino caminho da reconciliação.

Deus nos abraça para que saibamos abraçar a todos. De braços dados, todos a caminho de construir fraternidade. Com Ele chegam o tempo e a temperatura das palavras redentoras, perfumadas de bem-querer.

Foi em 1929, próximo à chamada Revolução de 1930, neste nosso país de tantas antevésperas, que o poeta Jorge de Lima declarava:

Louvado seja este Jesus daqui,

Jesus camarada, Cristo bonzão,

a quem todo brasileiro ofende tanto,

contando sempre com seu perdão.

Vivamos este Advento de 2022 longe dos destemperos. Que o Sol da vida a nos chegar neste fim de ano civil, faça-nos Sal desta terra.

Advento: o tempo da esperança passa e nos leva a Ele, que vem a nós para nos redimir e resgatar. Veio na singeleza. Voltará em plena realeza do Senhor dos tempos.

Neste Advento persiste a indagação:  A quem pertencemos?

Escrito por
Padre Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)
Padre Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R.

Nascido em 1937 e ordenado sacerdote em 1961, pertence à Província Redentorista do Rio de Janeiro e atua na Diocese de Juiz de Fora/ MG. Escreve sobre Psicoespiritualidade para o Portal A12.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.