Por Redação A12 Em Espiritualidade Atualizada em 01 AGO 2019 - 10H03

Exaltação da Santa Cruz


Shutterstock
Shutterstock


Muitas pessoas no mundo de hoje podem se questionar com a imagem da Cruz, pois a entendem como algo forte demais e que fere a sensibilidade humana. Por isso, é importante percebermos que nós não exaltamos a crucificação de pessoas, mas reconhecemos, na crucificação do Senhor Jesus na Cruz, um caminho de santificação. É neste sentido que exaltamos a Santa Cruz.

Percebemos nessa morte cruel até onde Jesus estava disposto a entregar-se por nós. Ele, que é Deus, não se poupou dessa humilhação e deixou-se guiar pelos caminhos que o Pai dispunha para a sua missão. Ao entendermos isso, podemos perceber uma grande revolução na percepção de como Deus nos guia através da nossa vida.

Como assim? Não é verdade que muitas vezes nós rezamos para pedir milagres e esperamos com toda a nossa fé que eles sejam atendidos? Sendo assim eu te pergunto: e se Deus tiver outros planos para esta situação? Por isso é que rezamos no Pai Nosso: "seja feita a Tua Vontade, assim na terra como no céu" (Mt 6,10), como o próprio Senhor rezou: "Pai, se queres, afasta de mim este cálice! Contudo, não a minha vontade, mas a tua seja feita!" (Lc 22, 42).

Neste sentido, amigos, os caminhos do Senhor são muito pessoais. Cada um tem as suas próprias dificuldades e desafios.

Digamos que as nossas cruzes podem ser as mais variadas: dificuldades familiares, doenças, frustrações, projetos que dão errado e até mesmo dores e escândalos na Igreja. Neste momento, começam a fazer sentido as palavras de Paulo: “Com efeito, a linguagem da Cruz é loucura para aqueles que se perdem, mas para aqueles que se salvam, para nós, é poder de Deus“ (1 Cor 1, 18).

Leia MaisQuero me suicidar!Tenho medoTenho vontade de ir mais fundo na vidaPreciso me encontrar "Não acredito em Deus"

Cruz, fonte de santidade

Através da Cruz, Jesus nos reconciliou. Toda a sua vida é um gesto de amor de Deus Pai para conosco, mas seus momentos na cruz foram uma lição que não podemos desprezar. Através da sincera acolhida das nossas dificuldades, buscando a oração e a comunhão com Jesus Crucificado, podemos receber e perceber que Deus não nos abandona, mesmo que sintamos, como Ele, uma cruz pesadíssima.

Assim como Ele, podemos até mesmo começar a oferecer nossos sacrifícios pelo bem dos demais. E preste bem a atenção: Não precisamos sair em busca de dificuldades; a vida cristã, por si só, implica carregar as cruzes pessoais, as cruzes dos demais, as cruzes da sociedade, as cruzes da Igreja. Com isso, o Pai vai conduzindo-nos pelo caminho do testemunho da morte pessoal, que implica a cruz da vida cristã. Ou por acaso, é fácil ser cristão de verdade nas decisões pessoais, matrimoniais, familiares, eclesiais?


Cruz, fonte de salvação

A Cruz é fonte de salvação porque nela podemos ter a certeza de que estamos fazendo a vontade de Deus. Ela é a verdadeira sabedoria cristã, pois nela podemos perceber a Vontade do Pai, que não é outra senão que avancemos na nossa santificação. A cruz bem vivida questiona e anima aos demais. Faz-nos amadurecer na fé e não ser mais tão infantis quanto as nossas perspectivas de fé. Por isso, devemos olhar para a Cruz com devoção, como caminho de amorização, de conversão dos nosso corações.

Sejamos como o Cirineu (Mc 15,21): carreguemos a Cruz de Cristo. Nossas dificuldades são parte do Plano amoroso de Deus. Com Ele, podemos levar o peso desta Cruz e, com Ele, o fardo será leve. “Vinde a mim todos os que estais cansados sob o peso do vosso fardo e Eu vos darei descanso. Tomai sobre vós meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve (Mt 11, 28-30).”

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.