Por João Antônio Johas Em Espiritualidade Atualizada em 12 DEZ 2019 - 14H01

Natal: Jesus é a luz que ilumina a nossa vida


Shutterstock
Shutterstock


No dia de Natal, escutamos no Evangelho, na chamada Missa da Aurora, que os pastores, logo depois de escutarem um Anjo do Senhor que os anunciou o nascimento do Salvador, veem uma multidão do exército celestial louvar a Deus dizendo:
“Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens que ele ama”! Que visão magnífica deve ter sido essa dos pastores! Eles foram, então, ver esse Menino Luz, alegria para todo o povo.

O Evangelho, no entanto, enfatiza que os pastores foram às pressas ver o que Senhor os deu a conhecer. Esse pequeno detalhe que poderia passar desapercebido nos fala de uma atitude que hoje em dia está muito mal direcionada. Podemos dizer que, ante o anúncio dos anjos, se desperta no interior dos pastores uma curiosidade. De fato, hoje, quando nos contam alguma coisa que nos prende a atenção, surge o desejo de saber mais, de conhecer mais a fundo aquilo.

Leia MaisJesus por nós nasceu: vinde adoremos!As festas de fim de ano e a importância da união nas famílias

Mas como vivemos em um mundo que nos bombardeia informação por todo lado, quase nada parece ser novidade. As pessoas morrem e não nos chama a atenção ou nos sensibiliza, desastres acontecem e não nos movem quase nada interiormente.

Para despertar a nossa curiosidade, é preciso ser algo realmente extravagante, fora do “normal”. E por isso que as notícias e os programas que assistimos estão cada vez mais impressionantes, indo cada vez mais longe, permitindo cada vez mais coisas estranhas para chamar nossa atenção.

O nascimento de Jesus foi para os pastores um acontecimento impressionante. Imaginem o exército celestial cantando. E eles seguiram esse sinal. Nós, no entanto, provavelmente não vejamos esses mesmos anjos que continuam cantando e, talvez, isso dificulte muito que a nossa curiosidade se desperte para o Natal. Além do mais, já o celebramos todos os anos, o que deixa a nossa anestesia ainda mais forte. Desse jeito, parece ser impossível que esse acontecimento desperte em nós a mesma curiosidade que despertou nos pastores.

E é exatamente esse o desafio das semanas do Advento. São quatro semanas nas quais a Igreja busca dispor o coração dos fiéis para que consigam olhar o presépio e descobrir lá o acontecimento mais incrível e eternamente novo que já ocorreu no mundo. Todos os símbolos, como a cor da liturgia, a falta dos cantos de Glória e de Aleluia e o acendimento progressivo da coroa do Advento nos falam de que algo grandioso está chegando. Precisamos ver, em tudo isso, sinais que nos apontam para Belém, para o nascimento humilde de Jesus em uma manjedoura. E sobretudo, precisamos reconhecer em Jesus o Salvador que vem para libertar-nos do pecado e da morte.

Essa é a novidade perene, que desperta a nossa curiosidade. Peçamos a nossa Mãe Maria que nos ajude a ter uma atitude como a dela, que meditava e guardava todas as coisas no coração, para que possamos acolher esses sinais que nos são dados por Deus por meio da Igreja e, assim, descobrir nesse acontecimento uma luz que brilha muito mais forte e por mais tempo que todas as outras luzes (que insistem em chamar a nossa atenção e que só nos afastam dessa verdadeira Luz que vem de Deus), para que tenhamos Vida em abundância.

Escrito por
Irmão João Antônio Johas (Redação A12.com)
João Antônio Johas

Licenciando em Filosofia pela Universidade Católica de Petrópolis, Pós-graduando em Antropologia Cristã pela Universidade Católica San Pablo em Arequipa, Peru.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.