Espiritualidade

O que significa dizer que "é Deus quem nos justifica"?

Júlio Egrejas (Arquivo Pessoal)

Escrito por Júlio Egrejas

12 NOV 2021 - 13H17

Shutterstock cruz (Shutterstock)

O Catecismo da Igreja Católica explica que a justificação é a comunicação da justiça de Deus, que lava os nossos pecados, pela ação do Espírito Santo.

Justificação é um dos termos que a Revelação Divina usa para falar do admirável Mistério Salvífico de Cristo. Outros termos muito utilizados, além de salvação, são redenção, santificação, reconciliação. Cada um deles expressa ou acentua dimensões essenciais do único mistério salvífico cristão, na pessoa, vida e obra de Jesus Cristo.

Claro que o termo não está referido à justiça humana. A justiça neste caso é, como ensina o Catecismo, “a retidão do amor divino” (Catecismo, nº 1991), que vai muito além da justiça como virtude dos homens, e tem as suas raízes no ser mesmo de Deus, que é amor. Amor divino incomensurável, graças ao qual se realiza a justificação de cada ser humano.

Por isso, podemos dizer que a justificação, da qual aqui se fala, só pode ser alcançada mediante a abertura a Deus. Ou seja, só Deus é quem pode justificar. Trata-se de uma ação da graça, ou seja, o dom gratuito de Deus, que restabelece a saúde completa da pessoa humana ferida pelo pecado, cuja realização final acontecerá na vida eterna.

Shutterstock
Shutterstock

A Igreja ensina que, no caminho de conversão do ser humano, a iniciativa é completamente de Deus, cuja graça, a vida mesma de Deus doada ao homem, antecede, preside e espera todo movimento de conversão da pessoa humana. A graça está no começo, no meio e no fim de toda experiência de conversão e aproximação a Deus. Ou seja, nenhuma parte do processo de conversão do homem acontece sem que a graça divina anteriormente a suscite, desde o seu íntimo. A graça é a razão primeira e última da nossa salvação.

Leia MaisPecado: Como ele me destrói?Isso é muito importante dizer, pois o mundo moderno pressiona cada vez mais a que pensemos que somos autores da nossa própria justificação, que o poder da conversão se encontra completamente, somente, em nossas mãos, e que somos os únicos atores da nossa salvação.

Isso não significa que não podemos - e devemos - participar do processo da nossa justificação. Assim ensina o catecismo:

“A justificação estabelece a colaboração entre a graça de Deus e a liberdade do homem. Do lado do homem, exprime-se no assentimento da fé à Palavra de Deus que convida à conversão, e na cooperação da caridade com o impulso do Espírito Santo que se lhe adianta e o guarda” (Catecismo, nº 1993).

No processo de justificação, de viver segundo a retidão do amor divino, e assim caminhar à salvação de si mesmo, nós somos chamados a participar livremente, a cooperar com a graça, a abrir a nossa vida de maneira constante e total à ação divina. Caso contrário, corremos o risco de deixar que a graça da justificação caia em solo infértil.

“A primeira obra da graça do Espírito Santo é a conversão, que opera a justificação, segundo a mensagem de Jesus no princípio do Evangelho:Convertei-vos, que está perto o Reino dos céus’ (Mt 4,17). Sob a moção da graça, o homem volta-se para Deus e desvia-se do pecado, acolhendo assim o perdão e a justiça do Alto” (Catecismo, nº 1989).

Escrito por
Júlio Egrejas (Arquivo Pessoal)
Júlio Egrejas

Júlio Egrejas nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1975, é membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1993. Desde 2012 mora em Petrópolis, e participa do Movimento de Vida Cristã, onde realiza diversos serviços de evangelização e formação Cristã, com destaque para o Curso Católico de Oração e Espiritualidade. Atualmente está terminando a dissertação em vistas ao Mestrado em Direito Canônico.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.