Igreja

Por que celebramos um Jubileu em nossa Igreja?

Papa Francisco diz que em 2025, “o próximo Jubileu poderá favorecer a recomposição de um clima de esperança e confiança".

Padre Inácio Medeiros C.Ss.R.

Escrito por Pe. José Inácio de Medeiros, C.Ss.R.

22 FEV 2022 - 14H18 (Atualizada em 24 NOV 2023 - 14H48)

Vatican Media

Em 11 de fevereiro de 2022, festa de Nossa Senhora de Lourdes, o papa Francisco convocou a realização de mais um Jubileu para a Igreja, a ser celebrado no ano de 2025. Além disso, escolheu também como lema “Peregrinos da Esperança”.

A partir de agora começará um intenso processo de preparação para que o Jubileu produza os seus frutos, como disse o Papa Francisco:

“Por conseguinte, que a dimensão espiritual do Jubileu, que convida à conversão, se combine com estes aspectos fundamentais da vida social, de modo a constituir uma unidade coerente”.

Leia MaisApp do Jubileu 2025 está disponível em portuguêsIgreja no Brasil se prepara para o Jubileu 2025Os jubileus podem ser ordinários como esse, pois a regra da Igreja determina que ele seja convocado a cada 25 anos.

Podem ser também extraordinários, como o que o próprio Papa Francisco convocou em 2015, com ênfase na Misericórdia, para o período de 8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016. A convocação foi feita por meio da Bula Misericordiae Vultus.

Por que celebrar um jubileu e qual a sua origem é o que queremos recordar agora.

Vatican Media
Vatican Media


Origem e significado de um jubileu

“Santificareis o quinquagésimo ano, proclamando na vossa terra a liberdade de todos os que a habitam. Este ano será para vós Jubileu: cada um de vós voltará à sua propriedade e à sua família" (Lev 25,10)

A origem do jubileu é bíblica, como é possível verificar no livro do Levítico (25,1-17). O ano do jubileu se abria sempre com o toque de uma trombeta, chamada, em hebraico, de “jobel”, de onde deriva o nome jubileu. A legislação antiga previa que o ano do jubileu deveria ser celebrado a cada sete anos e nele acontecer a libertação dos escravos e a devolução das propriedades.

A nova legislação declarou santo o quinquagésimo ano, onde era proclamada a libertação para todos os moradores do país. Este seria o ano do júbilo, onde não se semeava. Esse seria um ano sagrado em que comeriam apenas daquilo que os campos produzissem por si próprios.

Leia MaisRedentoristas falam de encontro com o Papa na Rádio VaticanoCom o advento do cristianismo, o jubileu deixa de ser apenas a lembrança dos cinquenta anos de existência, mas também a celebração em memória de outros aspectos relatados nas Sagradas Escrituras, especialmente a celebração da encarnação e do nascimento de Jesus Cristo.

Hoje o jubileu é uma solenidade da Igreja Católica, realizada a cada 25 anos. Por motivos especiais, o Papa pode comemorar jubileus extraordinários, onde concede a remissão das penas temporais devidas pelos pecados mortais já perdoados na confissão e também outras indulgências.

:: Confira também este conteúdo em áudio, no podcast com o Pe. Inácio Medeiros, C.Ss.R.

Escrito por
Padre Inácio Medeiros C.Ss.R.
Pe. José Inácio de Medeiros, C.Ss.R.

Redentorista da Província de São Paulo, graduado em História da Igreja pela Universidade Gregoriana de Roma, já trabalha nessa área há muitos anos, tendo lecionado em diversos institutos. Atuou na área de comunicação, sendo responsável pela comunicação institucional e missionária da Província de São Paulo, atualmente é diretor da Rádio Aparecida

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...