Por Redação A12 Em Santo Padre

Francisco alerta para tentação de julgar os outros

Nesta quarta-feira (06), na Praça de São Pedro diante de milhares de peregrinos, o Papa Francisco retornou com a catequese semanal. Em sua palavra, o alerta para a tentação de julgar os outros, colocando-se num patamar de superioridade.

“Quantas vezes dizemos: ‘Este é um pecador, fez isto e aquilo’, julgamos os outros. Mas, e tu? Cada um de nós deveria perguntar-se: ‘Sim, aquele é um pecador, mas, e eu?”, sustentou. “Todos somos pecadores, mas todos somos perdoados: todos temos a possibilidade de receber este perdão que é a misericórdia de Deus”, assinalou.

catequese_06-04-2016

Francisco abriu um novo ciclo de reflexões sobre a misericórdia, centrando-se desta vez na vida terrena de Jesus, a partir do Batismo de Cristo no Rio Jordão. 

“Jesus é a misericórdia de Deus feita carne. Uma misericórdia que Ele expressou, realizou e comunicou sempre (...) encontrando as multidões, anunciando o Evangelho, curando os doentes, perdoando os pecadores”, disse o Papa.

Com estes gestos, Jesus torna visível um amor ilimitado aberto a todos, sublinhou Francisco. Um amor que pode ser percebido na presença de Jesus na fila para receber o Batismo de João Batista:

“Este é um fato que imprime uma marca decisiva para toda a missão de Cristo. Ele não se apresentou ao mundo no esplendor do tempo – poderia ter feito – não se fez anunciar ao som de trombetas – poderia ter feito – e tampouco apresentou-se nas vestes de um juiz – poderia ter feito”, ponderou repetidamente o Papa.

“Não teve vergonha, estava ali com todos os pecadores, para ser batizado. Portanto, desde o início do seu ministério, Ele se manifestou como Messias que assume a condição humana, movido pela solidariedade e pela compaixão”, frisou Francisco.  

Aqueles que estavam nas margens do Jordão, não entenderam imediatamente o alcance deste gesto de Jesus. O próprio João Batista se admirou com a decisão dele. Mas o Pai celeste, não! Fez ouvir a sua voz do alto: "Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado".

"Assim o coração de Jesus bate em uníssono, com o coração do Pai e do Espírito Santo, mostrando a todos os homens que a salvação é fruto da misericórdia divina", acrescentou.

O mistério desse amor pode ser contemplado marcadamente em Jesus Crucificado, que apresenta à misericórdia do Pai o pecado do mundo suplicando: "Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem".

“Se acolhermos o Evangelho do Crucificado Ressuscitado, toda a nossa vida será plasmada pela força do seu amor que renova”, concluiu o Santo Padre. 

Veja a catequese na íntegra: 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.