Por Redação A12 Em Santo Padre

"Se o Jubileu não chegar aos 'bolsos', não é um verdadeiro Jubileu", exorta Francisco

O Papa disse hoje no Vaticano que o Jubileu deve chegar aos "bolsos" respeitando a tradição bíblica de ajudar os mais pobres e de perdoar as dívidas. Francisco convidou católicos com mais posses a deixar bens aos pobres e condenou a usura lembrando o “desespero” que a exploração dos mais necessitados provoca.

A Catequese semanal nesta Quarta-feira de Cinzas, 10 de fevereiro, deu continuidade ao tema da misericórdia apresentando a história da instituição do jubileu na Igreja.

O Papa recordou que, no Antigo Testamento, a instituição do Jubileu acontecia de 50 em 50 anos como um momento culminante da vida religiosa e social do povo de Israel. "Hoje vamos nos deter na antiga instituição do jubileu. É uma coisa antiga, atestada na Sagrada Escritura. Nós a encontramos de modo especial no livro do Levítico que representa o momento culminante da vida religiosa e social do povo de Israel", indicou Francisco. 

 

"A ideia central é que a terra pertence originalmente  a Deus e foi confiada aos homens e por isso ninguém pode ter a posse exclusiva criando situações de desigualdade", disse Francisco.

Nesse contexto, se uma pessoa tivesse sido obrigada a vender a sua terra ou a sua casa, recuperava a sua posse no Jubileu, o mesmo acontecendo a quem tivesse sido reduzido à escravidão. 

A intervenção recordou que o Jubileu era um tempo de “perdão geral" através do qual todos poderiam voltar a sua situação original com o cancelamento de todas as dívidas, a devolução das terras e a possibilidade de reaver a sua liberdade como membros do povo de Deus. 

"Prescrições como a do jubileu serviam para combater a pobreza e a desigualdade garantindo uma vida digna para todos e uma justa distribuição da terra na qual [todos poderiam] viver e ter sustento. A ideia central é que a terra pertence originalmente  a Deus e foi confiada aos homens e por isso ninguém pode ter a posse exclusiva criando situações de desigualdade", enfatizou o Santo Padre. 

Francisco questionou então a distribuição da riqueza mundial, em que a maioria vive com menos e um pequeno grupo concentra a maior parte da riqueza do mundo, e convidou católicos com mais posses a deixar bens aos pobres.

“Que cada um pense, no seu coração: se tem demasiadas coisas, por que não deixar àqueles que não têm nada 10%, 50%? Que o Espírito Santo inspire cada um de vós”, pediu Francisco.

Lembrando a história da Salvação, Francisco frisou que o jubileu deve servir para a conversão, para que o coração se torne mais solidário.  

“Se o Jubileu não chegar aos 'bolsos', não é um verdadeiro Jubileu. Perceberam? E isto está na Bíblia, não é uma invenção do Papa”, insistiu Francisco.

Por fim, condenou a usura lembrando o “desespero” que a exploração dos mais necessitados provoca, algumas vezes até o suicídio, lembrou Francisco.

“Quantas famílias estão na rua, vítimas da usura”, lamentou Francisco. “Rezemos para que neste Jubileu o Senhor tire do coração de todos nós este desejo de ter mais, da usura, que nos torne generosos”, pediu francisco lembrando o grande pecado que é a usura. 

“A mensagem bíblica é muito clara: abrir-se com coragem à partilha entre compatriotas, entre famílias, entre povos, entre continentes. Contribuir para realizar uma terra sem pobres quer dizer construir sociedades sem discriminações,  baseadas na solidariedade que leva a partilhar aquilo que se possui numa divisão dos recursos fundada na fraternidade e na justiça”, precisou o Papa.

Após a catequese, Francisco deixou saudações aos vários grupos de peregrinos e no final do encontro, Papa evocou a sua próxima viagem ao México, com início na próxima sexta-feira, antecedida pelo inédito encontro com o patriarca ortodoxo de Moscovo.

“Confio à oração de todos vós tanto o encontro com o patriarca Cirilo como a viagem ao México”, concluiu.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.