basilica-sao-bras (Shutterstock)
Shutterstock
Santuários

A Basílica italiana que guarda as relíquias de São Brás

Escrito por Pe. Evaldo César, C.Ss.R.

03 FEV 2016 - 06H30 (Atualizada em 02 FEV 2021 - 16H12)

Ao sul da Itália, encravado no alto das encostas que avistam o Mar Tirreno, na região da Maratea, encontramos o principal templo de culto católico da região, a Basílica Menor dedicada a São Brás (Biagio, em italiano).

Relíquias do santo mártir cristão repousam na igreja desde o ano de 732, quando o santo armênio foi declarado patrono da localidade, mas somente no século XVII é que uma capela foi construída dentro da igreja para abrigar as relíquias veneradas pelo povo católico. Essa capela interna, chamada de “Régia”, abriga hoje um belíssimo busto de São Brás, réplica em prata da imagem original do século XVIII, que foi roubada em 1976. 

Em 1940, o Papa Pio XII concedeu à igreja de São Brás de Maratea o título de Basílica Menor. Nos anos de 1960, graças ao esforço da comunidade local, a igreja foi completamente restaurada e hoje é um tesouro arquitetônico pertencente ao povo da região, mas que engrandece toda a Igreja e todos os devotos de São Brás. 


A fachada do templo, em estilo neoclássico, abriga uma pequena imagem, em mármore, do santo protetor da garganta, e ao lado, um pequeno campanário ilustra ainda mais a beleza da pequena basílica. Internamente restam poucas obras de arte de valor artístico, mas destaca-se um afresco da “Virgem com o Menino”, datado do século XV. O sacrário da igreja também tem valor inestimável, e deve ter sido colocado na igreja ainda no século XIV. Afora isso, o grande chamariz da Basílica fica por conta da “Capela Régia”, aquela que abriga as relíquias do santo mártir. 

Não muito longe da Basílica, no mesmo Monte Biagio, a comunidade de Maratea fez erguer um belíssimo Cristo Redentor, que com seus 22 metros de altura, e com braços elevados, abençoa todos os que se achegam e vislumbram a belíssima paisagem ao entorno. 

Talvez nunca consigamos visitar a Basílica de São Brás de Maratea, mas nos alegra o coração em saber, que pelo mundo afora, o povo católico sabe honrar aqueles que nos precederam na vida de fé

Para recordar:

São Brás, santo armênio, morreu mártir, ao professar incondicionalmente sua fé em Jesus Cristo. Conta-nos sua legenda que Brás, caminhando para o martírio, teria atendido as preces de uma mãe cujo filho estava engasgado com uma espinha de peixe na garganta. Desde então, Brás é invocado em casos de enfermidades de garganta e, todo dia 03 de fevereiro, uma benção especial é concedida aos fiéis que participam da Santa Missa.

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Evaldo César, C.Ss.R., em Santuários

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.