José Amand Passerat

Padre José Amand Passerat, querendo continuar seus estudos passou por diversos lugares: Augsburg, Würzburg. Acabou por chegar a Varsóvia onde se juntou aos Redentoristas com S.Clemente em 1796. Fez os votos em 13 de novembro de 1796 e foi ordenado padre  dia 15 de agosto de 1797.

Como não conhecesse nem alemão nem o polonês, não podia trabalhar na pastoral direta. Assim foi professor de teologia, mestre de noviços e prefeito dos estudantes. São Clemente o descreve “como um homem de grande santidade e virtude”.

Em 1805 foi destinado à fundação da casa do Monte Tabor perto de Jestetten, na diocese de Constança. Lá chegou com 3 clérigos. Lá poderia exercer a pastoral, pois era região fronteiriça com a França. Impelido a sair, foi para Babenhausen, na diocese de Augsburg. Durante os 17 agitados anos que se seguem, ele dirige o crescente grupo de estudantes por diversos lugares, sem residência fixa, pela Suíça, até chegar a Valsainte, num mosteiro cartuxo abandonado.

Pelas dificuldades em trabalhar pastoralmente por causa dos problemas de então, ele se torna o grande rezador. Homem de oração e contemplação, com verdadeira paixão pela vida interior. São Clemente diz dele aos confrades em Viena: Está para chegar aqui um grande rezador, e ele vai nos ensinar a todos como se deve rezar”.

Após a morte de Clemente em 1820, foi nomeado como seu sucessor como Vigário Geraldo para a região além dos Alpes. , com residência na nova casa de Maria am Gestade em Viena. Após longos anos de frustrações, os redentoristas, sob sua direção, entram em um período de expansão, chegando aos Estados Unidos. Como superior, um de seus principais objetivos era estabelecer a autêntica observância redentorista nas comunidades pelas quais era responsável. A este propósito, manda Pe. Francisco Springer a Pagani para estudar a missão dos Napolitanos e adquirir as constituições em uso no tempo de Santo Afonso. Teve o prazer de ver as missões tendo brilho fora da Itália. Enviou moças para Scala para entrarem na Ordem do Santíssimo Redentor e trouxe-as para a Áustria de onde se espalharam pelo mundo. 

Ele teve que se refugiar na Bélgica em 1848 obrigado pela revolução austríaca. Nesta ocasião, em vista de sua avançada idade, renunciouseu encargo, recomendando que o Vicariato fosse suspenso. Sua resignação ao cargo foi aceita pelo Reitor-Mór e pela Santa Sé. 

Nos próximos 10 anos ele viveu em Bruges como capelão das redentoristas. Morreu em Tornai dia 30 de setembro de 1858. A reputação de sua santidade e as graças recebidas por sua intercessãolevaram à introdução da Causa de Beatificação. Ela foi aceita por Roma em 1913 e suas virtudes foram declaradas heróicas a 29 de abril de 1980. Parecia que o processo fora abandonado, mas reapareceu no capítulo Geral, sobretudo depois da mudança de suas relíquias de Tornai para Bischemberg, a primeira casa fundada por Ele.

Na história da Congregação, teve o papel proponderante na difusão e no esforço de se resolverem os assuntos do Vicariato em Relação a Pagani e Santa Se. Consegue a divisão em províncias, que não chega a funcionar por parte dos italianos.

Os textos, fotos, artes e vídeos do A12 estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em outro meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização expressa do A12 (contato@a12.com).

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.