A12

Evento JUMI - 300 anos de bênçãos

Enviar por e-mail

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

 
 

O evento JUMI foi uma grande festa da juventude para comemorar os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Junto dele, aconteceram também a quinta edição do Hallel Aparecida e o encerramento do projeto Rota 300, da CNBB. 

    • COMO FOI A QUINTA-FEIRA

       
       



      Módulos

      A Juventude já está no Santuário Nacional participando das atividades nos módulos do evento JUMI (Juventude em Missão). A festa da juventude que celebra os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida começou às 13h com as pregações e atrações musicais nos módulos.

      O jovem, Flávio Junior saiu da cidade de Belém (PA) chegou a Aparecida (SP) acompanhando as atrações do módulo Vocação, Arte e Missão. Para Flávio vivenciar esse momento no JUMI é uma alegria, ele acredita que essa é uma oportunidade para incentivar os jovens a ter coragem de anunciar Jesus Cristo.

      "O jovem precisa ter coragem, porque às vezes a gente quer, mas tem algumas coisas ao nosso redor que nos tiram do foco e faz com que a gente não vá buscar o que realmente é essencial. Então precisamos ter essa coragem embasada na fé, essa fé é Cristo, essa rocha que nos sustenta", colocou.

      Flávio acredita ainda que os jovens juntos podem fortalecer a fé. "Eu falo para os jovens, levanta, vem caminhar conosco, tem força, tem coragem, que juntos, essa juventude que é missionária que está com a proposta de anunciar Cristo, consegue se fortalecer na fé", convocou.

      Durante esse primeiro dia de JUMI, o Módulo Jovens de Maria também colocou a galera para dançar, cantar, rezar e pensar. Quem colocou a juventude para pensar foi Maikon Máximo, músico da Banda Anjos de Resgate que fez uma reflexão sobre 'ser católico' destacando o amor de Deus pelas pessoas de forma infinita e lembrando que Deus tem um plano de amor para cada um.

      "Quando você acha que Deus não está sendo tão legal com você, na verdade é você que não está entendendo o plano de Deus para a sua vida", provocou. 

      A programação do JUMI segue até domingo,27, com atrações nos módulos, shows e missa.

       

      missa

      A missa do primeiro dia do JUMI foi celebrada às 18h no Altar Central do Santuário Nacional, presidida por Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida.

      Pe. João Batista de Almeida, reitor do Santuário Nacional, fez a homilia e ressaltou a alegria da Casa da Mãe em receber a juventude. “Neste evento, encerramos os projetos dedicados aos 300 anos, mas não encerramos o desejo do Santuário de ser para a toda a juventude o Monte Sinai, lugar onde o povo de Deus se encontra e sente Deus... e nesses próximos dias, encerrando o projeto JUMI, queremos que ele seja não um fim, mas o início do seu apaixonar-se pela causa de Jesus”.

      :: Leia a matéria completa sobre a Missa de abertura do JUMI ::

       

      show

      O show do Anjos de Resgate agitou a juventude na Casa da Mãe, mas também proporcionou uma experiência profunda de Deus na noite desta quinta-feira no JUMI. Muitos jovens se emocionaram com as músicas que fala de amizades, família e de uma intimidade verdadeira com Deus e Nossa Senhora.

      O Jovens de Maria fez uma supresa pra uma jovem que tem uma história emocionante com a banda Anjos de Resgate. Assista ao vídeo e veja como foi essa surpresa:

    • COMO FOI A SEXTA-FEIRA

       

       



      palestra e Módulos

      O segundo dia do JUMI teve início com uma palestra ministrada pelo missionário redentorista e membro da Comissão de Juventude do Santuário, Padre Luiz Camilo Júnior, C.s.S.R. Ele esteve com a juventude no Altar Central, onde traçou aspectos importantes sobre Maria, como um coração que nos leva a Cristo e que nos ensina a fazer a vontade de Deus.

      O Padre fez uma bonita reflexão sobre dores, medos, frustrações e o quanto Maria é capaz de restaurar o coração dos seus filhos. “Deus teve um diálogo de profundo amor e um projeto de vida. Maria mostra que estava revestida de coragem e muito amor quando disse o sim”, relembra.

      Na reflexão, os jovens foram convidados a pensar que não foi fácil para Maria dizer sim a vontade Deus e também não é fácil para a juventude dizer o sim necessário hoje. “É preciso ter a capacidade de fazer do sonho de Deus, o nosso sonho”, afirma o Padre.

      Padre Camilo lembra que muitas vezes a juventude é marcada pela realidade da dor e da cruz, da violência e das drogas e que o projeto do mundo, muitas vezes é muito mais forte, mas que é preciso coragem. “O medo faz você abandonar pessoas, projetos, família, mas nenhuma dor que o jovem possa enfrentar é capaz de destruir o projeto de Deus”.

      Também foi abordado o aspecto de que não somos marcados só por projetos alegres e bonitos, porque também existem momentos de Cruz e quando vivemos a experiência da Cruz, podemos sentir que não vamos dar conta, mas por estar revestida de amor, Maria está pronta para ajudar. Por outro lado, o sacerdote também aborda que muitas vezes estamos lerdos em estender as mãos aqueles que necessitam de amor. “Nós desistimos muito fácil de amar, temos de perceber aquele que não é amado e aquele que vive a experiência da dor, pois cada gesto de amor que oferecemos ao mundo pode transformar vidas”.

      O sacerdote também aproveitou para lançar perguntas, como: Eu carrego o amor de cristo em mim? Sou capaz de carregar o amor para com os outros? Caminho com Jesus por toda a vida?

      Segundo padre Camilo, também existe o mundo das aparências onde as pessoas se preocupam mais com a cor do cabelo, a roupa, a marca do tênis, quando na verdade o que importa e o que fica é aquilo que o coração é capaz de guardar ou deixar no coração do outro. Em seguida, a juventude se deslocou até o Pátio das Palmeiras, local onde os módulos estão concentrados neste ano.

      Da cidade de Piracaia (SP), o jovem Flávio Aparecido Oliveira, diz que participar com a juventude é um modo de celebrar os 300 anos de Aparecida. Também é o que mais o motivou a participar do evento. Ele conta que fará participação até o último momento.

      No Módulo Jovens de Maria, o cantor Felipe Alcântara fez um testemunho de conversão, namoro e castidade e emocionou os jovens com sua experiência de encontro com Deus.

       

      missa E VIA SACRA

      A missa do segundo dia de JUMI foi presidida pelo diretor espiritual da juventude do Santuário Nacional, Padre Marcelo Magalhães, às 18h, no Altar Central. A celebração convidou os jovens a buscarem por um coração que saiba acolher a Palavra de Deus.

      Na homilia, padre Camilo Junior, ressaltou que a juventude deve almejar um coração com terra boa para dar frutos que sejam capazes de alimentar a esperança, a paz e a igualdade. “Que possamos nesses dias, rezando com a juventude na Casa da Mãe Aparecida, pedirmos a Nossa Senhora que nos dê a graça de ter este coração”.

      Ao término da celebração, os jovens foram convidados a contemplar os mistérios do calvário. Em procissão luminosa, a juventude caminhou da Casa da Mãe ao Morro do Cruzeiro em uma experiência de fé e aprofundamento. As meditações foram preparadas pela Fazenda Esperança em conjunto com a Comissão da Juventude do Santuário

       

      ARENA ELETRÔNICA

      Já às 22h roulou a Arena Eletrônica que recebeu os jovens no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida. Dj Léo Guimarães, do Eletrocristo, comandou a noite tranzendo um remix dos principais nomes da música católica. A juventude balançou o esqueleto e pode aproveitar esse momento de convivência. A Arena Eletrônica reforçou essência de ser um jovem cristão, de viver as experiêncas propícias da juventude sem perder a essência da santidade.

      Conversamos com a galera que estava na Arena, veja o que rolou:

       

    • COMO FOI O SÁBADO

       

       

      rota 300 e Módulos

      Com caminhada, louvores, testemunhos, muita música e alegria, os jovens vivenciam este terceiro dia do evento Juventude em Missão (JUMI), no Santuário Nacional de Aparecida, que comemora os 300 anos do encontro da imagem da Padroeira do Brasil.

      A programação da manhã começou com muita disposição e força nos pés. Os jovens se concentraram por volta das 9h, no Porto Itaguassu, e vieram cantando e animando quem estava nos dois quilômetros que ligam este lugar especial na história de Aparecida ao Santuário Nacional.

      A peregrinação que envolveu a Juventude do Rota 300 fez memória do lugar onde a Imagem foi encontrada por três pescadores em 1717. Muito simbólico imaginar que há três séculos essa pequena Imagem saiu das mãos desses homens simples para ganhar a devoção de todo um país e atrair atualmente milhões de pessoas ao Santuário que foi erguido em sua homenagem.

      Esses jovens que vivenciaram experiências missionárias ao longo deste mês puderam refazer em seu coração esse itinerário de fé e devoção à Mãe de Jesus de forma toda especial. Munidos com a Imagem da Padroeira do Brasil nos ombros e carregando a Cruz símbolo da juventude, chegaram à Tribuna Dom Aloísio Lorscheider cansados mas animados pela força da fé em Maria.

      Joao FerreiraEntre esses jovens estava João Ferreira, que veio de Palmas, no Tocantins, para evangelizar comunidades da Diocese de Taubaté no projeto Rota 300. Ele contou como foi a sua experiência ao evangelizar outros jovens estando tão distante de sua casa.

      “Eu me senti evangelizado. Fica pra mim agora a experiência de que eu preciso ser santo, não basta ser um bom cristão, eu preciso acreditar e confiar na intercessão da Virgem Mãe porque quando a Mãe pede ao Filho ele atende. Então, eu quero levar pros meus irmãos no Tocantins que é possível ser um jovem santo”, disse ao Jovens de Maria.

       

       

      Dom VilsonDom Vilson Basso, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, estava entre os jovens e falou de sua alegria pelo encerramento do Rota 300. 

      “A Mãe é sempre decisiva na vida da gente, ela marca a vida da gente. Estamos em Aparecida conseguindo congregar jovens de todo o país. Cerca de dois mil jovens fizeram missão aqui nas dioceses banhadas pelo Rio Paraíba do Sul além de muitos outros jovens pelo Brasil inteiro fazendo missão. Então, hoje aqui, encerrando o projeto Rota 300, ela vai continuar a nos animar, porque o Rota 300 termina, mas o ‘Rota da vida’ pela juventude continuará por todo o nosso país", sublinhou o bispo.

      No módulo da Canção Nova, Robson e Janayna, um dos palestrantes do dia, falaram sobre namoro e noivado nos desígnios de Deus. O casal deixou um testemunho sobre como é importante viver o matrimônio no companheirismo e na partilha de todos os momentos.

      O módulo do Jovens de Maria trouxe bandas de sucesso, como a Redil, Verbo Divino, Código Divino e Anjos da Rua, além de palestrantes de peso. Passaram pela tenda, o Canal Santa Carona falando sobre a família, a Tia Lolita deixando um testemunho de como viver segundo Maria e o repórter do SBT Daniel Adjuto que alertou sobre o cuidado que o jovem deve ter ao usar as redes sociais e como através delas pode evangelizar outros jovens.

       

      terço e missa

      A tarde do terceiro dia do JUMI trouxe grandes emoções para os jovens, com a Consagração no Altar de Aparecida, a oração do terço com o testemunho dos jovens missionários do Rota 300 e a Santa Missa.

      No terço que meditou os milagres da Mãe Aparecida, cinco jovens missionários partilharam suas experiências no projeto Rota 300. Alguns lembraram que o importante é ir mesmo quando não se sabe o que dizer, porque quem capacita é Deus e por isso, vivenciaram momentos de profundo encontro com o Senhor naqueles que encontraram pelo caminho, seja nas visitas às famíllias, aos jovens recuperandos ou comunidades carentes. 

      Ao final da oração, padre João Chagas responsável pelo Setor Juventude do Dicastério para Leigos, Família e Vida, no Vaticano, deixou uma mensagem aos jovens lembrando a importância do protagonismo destes na evangelização e reforçando o exemplo de Maria para a juventude, a partir da mensagem do Papa Francisco para a JMJ de 2017.

      Padre João lembrou que em Maria os jovens tem o exemplo de missionária perfeita, pois ela não ficou fechada em si mesma, mas sempre que foi necessário não exitou em ir ao encontro, especialmente na passagem em que vai até sua prima Isabel. O padre recordou a frase do Papa de que Maria não é uma “jovem-sofá” e fez os jovens presentes no Santuário Nacional reafirmarem esse comprometimento de Maria para a missão que cada um deve assumir ao final do projeto Rota 300. 

      A missa das 18h foi presidida por Dom Vilson Basso e concelebrada por vários bispos e lideranças da juventude na CNBB. No início da celebração, o arcebispo de Aparecida Dom Orlando Brandes leu uma mensagem especial do Papa Francisco enviada especialmente para essa ocasião. Na mensagem, o Papa lembrou que diante dos desafios próprios da juventude Maria é o amparo que transformará a vida e dará novo sentido. 

      Caros amigos, em meio às incertezas e inseguranças de cada dia, em meio à precariedade que as situações de injustiça criam ao redor de vocês tenham uma certeza: Maria é um sinal de esperança que lhes animará com grande impulso missionário. Ela conhece os desafios que vocês vivem e com sua atenção e acompanhamento materno, lhes fará perceber que não estão sozinhos.(Papa Francisco)

      Uma imagem fac-símile de Nossa Senhora Aparecida foi entregue à Arquidiocese de Manaus e segundo Dom Vilson, ela irá peregrinar por todos os regionais da CNBB, em comemoração aos 300 anos.  

       

      shows

      Com muita animação, louvor e orção, o terceiro dia de JUMI encerrou com Eugênio Jorge, Emanuel Stênio e André Florêncio subindo ao Palco Central.

      Eugênio Jorge cantou seus principais sucessos como “Mãe do novo homem” e “Ninguém te ama como eu”. Na sequência, André Florêncio, da comunidade Canção Nova animou a juventude. E fechando a noite, Emanuel Stênio, conduziu os jovens a um momento íntimo com Deus. 

      com Eugênio Jorge, Emanuel Stênio e André Florêncio

    • COMO FOI O DOMINGO

       
       

      Módulos

      O último dia do JUMI contou com uma programação intensa dos módulos durante a manhã, sendo que três tendas se destacaram: O Hallelzinho, que fez pais e filhos se divertirem ao som dos Devotos Mirins, O Vocação, Arte e Missão, que realizou mais um flash mob vocacional, e o módulo Geração Saúde, que teve a presença do Campeão Paulista de handbike, Mauro Nohara.

      mauro nohara paratletaAssim que Mauro começou a contar sua história, comoveu a todos que passavam pelo local. Ele sofreu um acidente de carro que o deixou com uma séria lesão medular, perdendo o movimento das pernas e dificultando o movimento dos braços e das mãos. Mas mesmo diante dessa dificuldade e com muita fé, Mauro encontrou no esporte a chance de recomeçar. Em 2016, ele foi Campeão Brasileiro da Copa Brasil de Paraciclimo, e em 2017, Líder do Ranking Paulista de Ciclismo Paralímpico. Hoje, além de paraciclista, Mauro também é crossfitter.

      Ele conta que no começo não foi fácil, mas que ele viu que é possível ter uma vida normal e realizada mesmo sendo cadeirante, e sabe que tem a sorte de trabalhar fazendo aquilo que ama, que é ser esportista. Ao ser indagado se ele gostaria de voltar no tempo para, de alguma forma, evitar o acidente, Mauro foi direto: "Apesar de ter passado por tudo isso, hoje eu sou mais feliz do que era antes. E eu tenho o sonho de ser medalhista olímpico". Seu exemplo de superação fez a galera se emocionar. E ele ainda deixou uma mensagem de motivação:

      "Fazer esporte é uma questão de se automotivar todos os dias. Você precisa descobrir algo que você goste, colocar metas e estar sempre batendo as metas. Não tenha preguiça, faça acontecer! Lá na frente, tudo será reflexo do que você fez hoje. Caminhe sempre pra frente, mantenha sempre a cabeça erguida. Se você tem alguma limitação ou não, isso não importa. O que te move é a sua cabeça, e não o seu corpo. O seu corpo só vai atender tudo aquilo que a sua cabeça manda".

      Já no Módulo Jovens de Maria teve uma palestra do cantor Bruno Camurati, o Alexandre, do canal 'O Catequista', que trouxe o tema "As Grandes mentiras sobre Maria" e Zezé Luz.

       

      missa

      A missa de envio do JUMI foi presidida pelo membro da comissão da Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Antônio Emídio de Vilar, às 12h. Diante da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e São Geraldo Magela, os jovens agradeceram a Deus pelas experiências vivenciadas ao longo do evento.

      Na homilia, o bispo convidou a juventude para que possa ser exemplo como Nossa Senhora "Que assim como Maria, possamos gerar Jesus com palavras e atitudes”. Dom Vilar recordou as palavras de Papa Francisco "A santidade, a felicidade e as bem-aventuranças são os nossos tesouros”, lembro as palavras do Santo Padre. 

       

      ABRAÇO AO sANTUÁRIO

      O abraço no Santuário reuniu os jovens e romeiros que estiveram hoje na Casa da Mãe, por volta das 13h30. Foi um acontecimento simbólico carregado de muito carinho e união. O momento selou o grande Jubileu da Juventude, celebrado ao longo dos quatro dias de JUMI.

      Fizemos um vlog durante todo o evento pra mostrar o que rolou no Santuário, veja no que deu: