Por Academia Marial Em Artigos

Culto de Maria

O culto a Maria difunde a escuta e a prática da Palavra de Deus

Culto de MariaJesus proclama no Evangelho: felizes os que ouvem a Palavra de Deus e a observam! (Lc.11,28). Conhecida, amada e testemunhada a Palavra nos faz pessoas justas, livres e felizes. Produz libertação em nosso íntimo e paz em nossos relacionamentos. Ela nos conscientiza e mobiliza na justiça social quanto à dignidade da pessoa, a defesa e promoção constante da vida. O apelo da Palavra de Deus é irresistível e incompatível com a omissão em se proteger o feto no útero materno, as crianças abandonadas, os excluídos sociais, os deficientes, os idosos, as vítimas ocasionais de injustiças gritantes, os direitos de cidadania contra a corrupção política, os abusos dos poderes policiais e todo o tipo de violência. A Bíblia é o livro do presente e do futuro feliz da humanidade porque nela ressoa o dinamismo da fala eterna de Deus.

 Palavra e Fé estão associadas no seguimento de Cristo. Uma leva a outra em contínuo intercâmbio no ler, ouvir, prestar atenção, refletir, guardar, testemunhar. Maria foi a ouvinte e a praticante mais fiel da Palavra de Deus. Por essa razão o perfil espiritual de sua pessoa está entranhado no Evangelho (Lucas: infância de Jesus). Foi assimilado desde o 2º século na reflexão teológica e na Tradição da Igreja. Aprofundar-se no culto a Maria é constatar que nela se realizou a bem aventurança da Palavra ouvida e acolhida na fé. Ao ter a consciência do chamado de Deus ela se fez toda ouvidos e entregou-se de coração. Faça-se em mim a sua Palavra! Grávida de Jesus, a Virgem irradiava a alegria de ser portadora do Verbo. Impressionou a prima Isabel que a recebeu jubilosa na Visitação: tu és bendita entre as mulheres! Bem-aventurada aquela que acreditou que se cumpriria o que lhe foi dito da parte do Senhor. (Lc.1,42.45).

Não esqueçamos: o primeiro ato cristão de fé na Palavra de Deus veio do coração da Virgem: Faça-se em mim a sua Palavra! Se a Igreja nasceu e permanece por obra do Espírito Santo, Maria foi o seu berço como mãe do Verbo nela gerado. As primeiras comunidades cristãs formaram-se inspiradas na fé e no perfil discipular de Maria. Ela foi o “tipo”, o “molde” da Igreja nascente e foi sua primeira filha. Isso a faz nossa irmã na peregrinação da fé. Com ela podemos meditar, interiorizar, vivenciar tudo o que Deus nos comunica na leitura individual da Bíblia, nas celebrações comunitárias, nos impactos dos problemas, angústias, dúvidas presentes no dia a dia.

O Documento de Aparecida diz: “Maria nos ensina o primado da escuta da Palavra na vida do discípulo e missionário. Nela a Palavra de Deus se encontra de verdade em sua casa, de onde sai e entra com naturalidade. Ela fala e pensa com a Palavra de Deus; a Palavra de Deus se faz a sua palavra e sua palavra nasce da Palavra de Deus. Penetrada intimamente pela Palavra de Deus, ela pôde chegar a ser mãe da Palavra encarnada” (nº 271). Com sua intercessão teremos firmeza no Amém à vontade do Senhor! 

Pe. Antonio Clayton Sant´Anna, C.Ss.R.

Diretor da Academia Marial de Aparecida

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.