Por Pe. Nilton Boni, cmf Em Artigos

Maria: Rocha invencível de Fé

 nossa_senhora_gracas_papel“Graça e fé são os dois pilares da salvação; são para o homem os dois pés para andar, ou as duas asas para voar. O ato de fé de Maria é muito pessoal, consiste em confiar em Deus e entregar-se completamente a Ele.” (Fr. Raniero Cantalamessa)

A rocha na qual Maria sempre se apoiou desde o momento da Anunciação foi sua fé em Deus.A simbologia da rocha nos revela firmeza, algo inabalável, duro, que não se desfaz facilmente. É uma imagem tipicamente cristã. Exemplo disso é São Pedro, quando recebe do Senhor o poder de conduzir a Igreja: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18).

A vida de Maria sempre esteve a serviço do Kerigma, do anúncio de Cristo como Salvador da humanidade. Ela fez desta Verdade seu maior tesouro e contribuiu para que Jesus Cristo levasse adiante a missão que recebeu do Pai. A primeira e fiel  discípula entendeu que a fé é um constante “sim” a Deus e o meio pelo qual o homem se liberta e se salva.

A rocha invencível de Maria é Deus, pois n’Ele ela colocou toda sua confiança e para ele viveu a radicalidade de seu sim. Maria aparece sempre como Mãe que só fala de Deus e se ocupa com os desejos d’Ele. Ela esvaziou-se de si mesma e passou a servir o Senhor e nisto foi crescendo na fé, fortalecendo-se na graça e atraindo para Cristo os filhos tristes e perdidos.

A fé se traduz na obediência. Maria, sofrendo as dores de cada mãe, aprendeu a obedecer. Vendo o Filho subir para o calvário, elevou a Deus um hino de louvor por tão grande mistério. Sofreu no silêncio e suportou na alma o espinho da solidão, do abandono e da tristeza, mas também, com sua fé convicta, alegrou-se com a Ressureição e recebeu do próprio Filho no Dia de Pentecostes o consolo santificador para continuar sua missão intercedendo em favor dos mais pobres, sofridos e abandonados.

Sejam a Palavra de Deus e a força dos sacramentos nossa rocha firme e cravemos nela nossa vida, que transcende a cruz e se transforma em nova Páscoa a exemplo de Maria

A nova Eva, a mulher cheia de graça, é o modelo de serviço e alegria. Edificou sua vida segundo a fé e a graça de Deus. Envolveu-se com a graça e seguiu adiante sem esmorecer. É oportuno sempre nos questionarmos: onde colocamos nossa confiança? O que tenho feito para viver melhor minha fé? Estou colaborando com o anúncio do Evangelho?

Sejam a Palavra de Deus e a força dos sacramentos nossa rocha firme e cravemos nela nossa vida, que transcende a cruz e se transforma em nova Páscoa a exemplo de Maria, a mulher que acolheu e acreditou nas bem-aventuranças. Estes são nossos pilares na vida cristã e o meio pelo qual Nosso Senhor nos concede viver em plenitude a vida e os compromissos batismais. Peçamos ao Coração de Maria a graça de sermos fiéis na fé a cada dia e façamos do nosso agir pastoral um contínuo anúncio do Cristo que se entregou para nossa salvação.

Recorramos, pois, a ela e digamos-lhe com simplicidade: “Maria, ajuda-nos a não fazer a nossa vontade; faze que nós também descubramos a nova alegria de dar algo a Deus enquanto estamos nessa vida, em vez de sempre pedirmos que ele nos dê” (Frei Raniero). Assim seja.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Nilton Boni, cmf, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.