Por Pe. Fernando Mancilio, CSsR Em Artigos

Natividade de Maria

08 de Setembro, Festa da Natividade de Maria

Estou imaginando o que se passa no coração de Deus. Sei que nele está o amor, esse mistério inexplicável de um Deus que resolve nos amar. Mas quem é capaz de entender o que é infinito como o amor, mesmo sabendo que ele existe e nos sustenta nesta vida?

Ainda imagino o que sentiu Maria ao se  saber escolhida para ser a Mãe da nova Aliança, de ser a interlocutora do projeto do Pai, de nos dar o Filho Redentor.

Então pensei: é belo o amanhecer pois a luz que desponta nos faz renascer. Pobres de nós sem a luz do sol, sem o reviver, sem o nascer.

E Maria nasceu; como todo criança, porém, diferente, pois o Pai já a havia escolhido, como a um rebento de oliveira, para que na hora certa fosse convidada a assumir o plano de amor para com Deus, tornou-se a flor mais fina de Israel.

O coração que ama sabe entender a hora de dizer sim e dizer não, sabe quando o bem está perto e quando é preciso esperar. E na casa simples do povoado desprezado, sem importância, é que aparece o Anjo Gabriel para lhe dizer: “Tu é bendita entre todas as mulheres. Tu és escolhida de Deus para ser a Mãe do Salvador”; E ela soube compreender que o sim não era seu, mas de Deus, pois era certa a decisão de seu amor em nos dar o Libertador.

O sim que já havia dado para Deus, aceitando o dom da vida, tornou-se agora o sim ao Redentor que fez sua morada, no meio de nossa pobre humanidade. A alegria da bondade é mesmo assim, vale muito mais que muitos bens.

Peço licença a você para continuar a imaginar aquela dócil criatura, mais serena que o mais belo luar, humildemente a labutar com os afazeres próprios de cada dia. Não se afanou, não se triunfou, só continuou a servir. Foi correndo ao encontro de Isabel só para lhe estender a mão e ajudar, levando o Redentor ao encontro do Precursor, João Batista,que anuncia: está chegando o Messias!

E assim fico pensando na natividade de Maria. Quanta alegria poderia ter a humanidade se reconhecesse a força que há na humildade, a força do amor que rompe barreira e descontrói violências e maldades.

A natividade de Maria nos chama para ser mais de Deus, aumentar nosso querer de amanhã sermos melhores que hoje, pois é sempre maior a alegria de quem pratica o bem, mesmo sob a luz do dia.

“Salve dos céus, Rainha, doçura dos que te amam, esperança dos que clamam a ti dos altos céus, Mãe do Belo amor”. Salve, bendito dia da natividade de Maria!

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Fernando Mancilio, CSsR, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.