Por Academia Marial Em Catequese

Tema do 7º dia da Novena de Nossa Senhora Aparecida – 2012

Maria: Alegria da entrega e da fidelidade a Deus”.

 Tema do 7º dia da Novena de Nossa Senhora Aparecida – 2012Jubilosos celebramos mais um dia da Novena em preparação à solene Festa da Padroeira do Brasil. Ela é a Mãe de Jesus e nossa, sob o título de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Aqui e em todo o Brasil a devoção à Virgem Maria está intimamente ligada Àquele que é o centro de nossa fé, Jesus Cristo Nosso Senhor. Somente à luz de Cristo compreendemos a missão de Maria, a Mãe Aparecida.

A Novena e a Festa de Nossa Senhora Aparecida têm sido, sem dúvida, tempos de verdadeira bênção e muitas graças para todo o povo brasileiro. Durante o Novenário, neste Santuário Nacional, nos reunimos para rezar, cantar, meditar e vivenciar nossa fé em Deus e a devoção à Virgem Maria, Nossa Senhora Aparecida.

         “Maria: Alegria da entrega e da fidelidade a Deus é o tema deste 7º dia da Novena. O quanto o mundo precisa de alegria, de amor e de paz! O mundo hodierno precisa muito de fidelidade ao Amor d’Aquele que é a verdadeira doação. Em Maria, encontramos a fonte e o exemplo de verdadeira alegria, paz, amor e fidelidade. Sem essa fidelidade aos valores do verdadeiro Amor, sem este acolhimento do convite personificado em Maria, o mundo continuará inseguro, fugindo de si mesmo, provocando e gerando violência, discriminação, injustiça, corrupção e todo tipo de mal. Peçamos à Mãe Aparecida – Mãe do Amor – que nos ensine a ser fiéis na busca do Amor, onde encontramos o sentido da verdadeira alegria e paz!

         A liturgia de hoje aponta alguns caminhos que nos levam à vivência do amor e da fidelidade. Trata da Apresentação no Templo, a dura profecia de Simeão. Segundo São Lucas, José e Maria levaram o menino Jesus ao templo para apresentá-lo ao Senhor, cumprindo o seu dever. O velho Simeão, depois de lhes ter revelado maravilhas sobre o filho que ali lhe traziam, louvou a Deus, dizendo: “Agora, Senhor, segundo a tua promessa, deixas teu servo ir em paz, meus olhos viram a tua salvação, que preparaste diante de todos os povos: luz para iluminar as nações e glória de Israel, teu povo” (Lc 2,29-32). Simeão disse ainda a Maria: “uma espada traspassará a tua alma!” (Lc 2, 35).

         Podemos imaginar a dor que Maria experimentou naquela hora. Mas, em sua humildade, ela aceitou e guardou em seu coração tudo o que lhe foi dito no Templo. Quando o soldado atravessou o lado de Jesus com a lança, foi como se Maria tivesse sido golpeada. Imaginemos quanta dor naquele instante. Mas, contemplando o sangue e a água jorrarem do lado aberto de Jesus, ela viu também o rio de graças que, naquele momento, brotava do lado transpassado do seu Filho Jesus.

         Maria sentiu a dor, mas certamente viveu a esperança. Tudo aquilo que é grande tem sua porção de dor, de alegria e de esperança. Muitas vezes, em nossa vida, por sabermos somente lamentar ou murmurar, deixamos de perceber o valor e a grandeza da existência. Toda a nossa vida, nossos passos e nossa missão devem deixar-se guiar pela Palavra de Deus.

         Maria, Senhora Aparecida, é sempre modelo de verdadeira alegria e exemplo de fidelidade à Palavra de Deus. Sua imagem e seu exemplo estão impressos nos corações e mentes de todos nós brasileiros, seus filhos e filhas, das multidões que se sucedem de geração em geração, a ponto de se transformar nesses ícone e personagem tão queridos, amados e venerados por todos.

         A Festa de Nossa Senhora Aparecida deste ano quer ser uma ocasião propícia à celebração do Ano da Fé, que iniciaremos nesta semana, uma bela iniciativa do Papa Bento XVI, favorecendo o fortalecimento da fé e da coragem em cada um dos fiéis. Na sua Carta Apostólica Porta Fidei, com a qual o Papa proclama o Ano da Fé, ele diz: … Lembrei a necessidade de redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo. O Papa lembra ainda que, pela fé, é que Maria acolheu a palavra do Anjo e acreditou no anúncio de que seria Mãe de Deus na obediência de sua dedicação (cf. Lc 1,38).

         A Festa de Nossa Senhora Aparecida quer também favorecer a preparação da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro.

A juventude que é esperança da Igreja, conta com a proteção materna de Maria. Os jovens cristãos são chamados a testemunhar Jesus diante dos demais jovens e do mundo. O jovem cristão deve sentir-se chamado por Jesus a colaborar na sua missão evangelizadora. Ajudemos nossos jovens a terem esperança no futuro; encorajemos os pais a assumirem com alegria os seus deveres, e as lideranças a perseverarem na construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

         Confiemos à Nossa Senhora Aparecida a nossa juventude. Os jovens de hoje precisam muito do olhar materno de Maria. Também necessitam de nossa especial atenção. Como esperança da Igreja, os jovens são convidados a olhar para a Mãe de Jesus, como sua mãe, como aquela que nos ensina o essencial da experiência de vida, isto é, a alegria de ser chamado e amado por Deus. Aquela que nos ensina o valor da interioridade e do silêncio contemplativo; que nos ensina a simplicidade de vida, a sinceridade, a verdade e a generosidade na entrega da vida de uns pelos outros e a gratidão por tudo o que recebemos e somos.

         Com certeza muitas são as pessoas de todas as idades e muitas as famílias devotas de Nossa Senhora que aqui vêm para agradecer os dons recebidos, pedir o auxílio, o conforto, a esperança do alto para a vida cotidiana, sobretudo quando pesa a cruz do sofrimento e da doença, quando falta a alegria e a força para caminhar. O íntimo do coração de cada um, somente o Espírito de Deus o conhece e melhor entende o louvor, a ação de graças e as súplicas que aqui são dirigidas a Jesus, através de sua mãe Nossa Senhora Aparecida.

         Concluindo, confiemos à Mãe Aparecida todos os seus filhos e filhas, devotos e devotas. Que ela volte o seu olhar materno e a sua proteção constante sobre nossas comunidades e sobre o nosso Brasil. Abençoe e proteja todas as famílias: Crianças, jovens, pessoas idosas, doentes, pobres e todos quantos mais necessitam de sua ajuda e de sua proteção maternas. Que não lhes faltem a saúde, a paz e a concórdia. Que sejam enriquecidos com o trabalho, o ânimo, a coragem, a alegria da fé e da esperança no cotidiano de suas vidas! Amém.

Dom Frei Luís Pepeu, OFMCap.

Arcebispo de Vitória da Conquista

Presidente do Regional NE-3 da CNBB

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Catequese

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.