Por Victor Hugo Barros Em Notícias

Academia Marial: Há 30 anos propagando a devoção da Mãe de Deus

dest_academia

Era o ano de 1985. O mundo católico comemorava o bimilênio do Nascimento de Nossa Senhora, enquanto o Brasil via o fim do regime militar e o nascimento da Nova República. Foi neste mesmo período que em Aparecida, no dia 16 de julho, era fundada a Academia Marial, local dedicado à promoção de estudos, reflexões, pesquisa da teologia mariana e da devoção do povo à Virgem Maria.

Durante este período, diversas atividades foram realizadas por intermédio da Academia e seus membros. Foram 24 assembleias e 8 congressos nos mais diversos anos. Esses eventos congregam associados, clérigos, leigos, estudiosos e aqueles que desejam conhecer um pouco mais da devoção mariana.

Atualmente, a Instituição conta com 400 associados, número recorde desde a sua fundação. São 222 homens e 128 mulheres. O elenco de acadêmicos é composto por 3 cardeais, 17 bispos, 86 padres, 6 irmãos, 7 irmãs, 4 diáconos permanentes, 1 frater, 5 cônegos, 5 frades e 262 leigos. Seu acervo conta com 2877 obras que tratam do estudo da Virgem Maria e das práticas devocionais a Ela dirigidas.

A Academia vem ganhando espaço na área da comunicação nos últimos anos. Desde 2012, o local escreve artigos para o Jornal Santuário, totalizando 168 até a edição 5.757 do impresso. O site do Centro de Pesquisas, inaugurado em 2011 e reformulado em 2015, conta com 749 artigos até a segunda semana de julho.

O organismo é o único no Brasil dedicado ao estudo da Mariologia e reconhecido pela Pontifícia Academia Mariana Internacional desde sua fundação. Têm como patronos Nossa Senhora Aparecida e São José de Anchieta, por este ter sido o primeiro mariólogo do Brasil.

Presidida pelo Cardeal-Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, e dirigida pelo Missionário Redentorista Padre Valdivino Guimarães, a Academia já teve outros dois presidentes e sete diretores. Cada um com sua forma de dirigir o Centro de Pesquisas, colaborou firmemente para levar a frente a principal missão da AMA, que é propagar e bendizer as glórias de Maria.

 

Era o ano de 1985. O mundo católico comemorava o bimilênio do Nascimento de Nossa Senhora, enquanto o Brasil via o fim do regime militar e o nascimento da Nova República. Foi neste mesmo período que em Aparecida, no dia 16 de julho, era fundada a Academia Marial, local dedicado à promoção de estudos, reflexões, pesquisa da teologia mariana e da devoção do povo à Virgem Maria.

Durante este período, diversas atividades foram realizadas por intermédio da Academia e seus membros. Foram 24 assembleias e 8 congressos nos mais diversos anos. Esses eventos congregam associados, clérigos, leigos, estudiosos e aqueles que desejam conhecer um pouco mais da devoção mariana.

Atualmente, a Instituição conta com 400 associados, número recorde desde a sua fundação. São 222 homens e 128 mulheres. O elenco de acadêmicos é composto por 3 cardeais, 17 bispos, 86 padres, 6 irmãos, 7 irmãs, 4 diáconos permanentes, 1 frater, 5 cônegos, 5 frades e 262 leigos. Seu acervo conta com 2877 obras que tratam do estudo da Virgem Maria e das práticas devocionais a Ela dirigidas.

A Academia vem ganhando espaço na área da comunicação nos últimos anos. Desde 2012, o local escreve artigos para o Jornal Santuário, totalizando 168 até a edição 5.757 do impresso. O site do Centro de Pesquisas, inaugurado em 2011 e reformulado em 2015, conta com 749 artigos até a segunda semana de julho.

O organismo é o único no Brasil dedicado ao estudo da Mariologia e reconhecido pela Pontifícia Academia Mariana Internacional desde sua fundação. Têm como patronos Nossa Senhora Aparecida e São José de Anchieta, por este ter sido o primeiro mariólogo do Brasil.

Presidida pelo Cardeal-Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, e dirigida pelo Missionário Redentorista Padre Valdivino Guimarães, a Academia já teve outros dois presidentes e sete diretores. Cada um com sua forma de dirigir o Centro de Pesquisas, colaborou firmemente para levar a frente a principal missão da AMA, que é propagar e bendizer as glórias de Maria.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Victor Hugo Barros, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.