Por Academia Marial Em Notícias

Síntese do VI Congresso Mariológico

Missa no Santuário marca abertura do VI Congresso Mariológico

 

congresso_nacional_1

No dia 23 de março, a Celebração Eucarística das 9h, no Santuário Nacional marcou a abertura do VI Congresso Mariológico de Aparecida, evento realizado pela Academia Marial do Santuário Nacional de Aparecida em parceria com a Faculdade Dehoniana de Taubaté/SP.

A celebração foi presidida pelo Missionário Redentorista, padre Domingos Sávio da Silva.

 Estiveram presentes na celebração, o diretor da Academia Marial, padre Antônio Clayton Sant´anna, a palestrante Drª Maria Antônia Marques, Drª Ir. Vera Ivanise Bombonatto, FSP,  o padre João Carlos Almeida, SCJ, o Irmão Afonso Murad, FMS, Pe. Alexandre Awi Mello, ISch,  entre outros vários sacerdotes e congressistas que participaram do encontro.

 Logo após a missa, os cerca de 200 participantes do encontro se dirigiram ao Auditório Padre Noé Sotillo, no subsolo do Santuário Nacional, para o início dos trabalhos.

Maria: símbolo de intercessão para todos os filhos de Deus

Os trabalhos do VI Congresso Mariológico foram abertos com a palestra “A intercessão na Bíblia”, proferida pela Doutora em TeologiaMaria Antônia Marques do Centro Bíblico Verbo.

A professora deixou claro que a intercessão aparece algumas vezes no Antigo Testamento e que São Paulo faz algumas releituras sobre o tema em: Rm 8,27 e Rm 8,34.

Questionada sobre o que o tema intercessão tem a ver com Maria no contexto bíblico, ela lembrou que “Aquele que vive uma relação filial sabe que o amor de mãe é incondicional e que para falar da intercessão de Maria na Bíblia, é preciso relembrar duas passagens fundamentais: Caná (Jo 2, 1ss) e diante da Cruz (Jo 19, 25-27). Essa é a chave para entendermos o objetivo do Evangelho de João, que era demonstrar que Jesus é o Filho de Deus”, afirmou.

A doutora em teologia lembrou que Maria é apresentada como mulher e como mãe de Jesus. “Caná é como um novo Sinai, é uma nova aliança. Nesta aliança estão envolvidos: Jesus, Maria e os discípulos. Jesus representa Deus, que faz a Nova Aliança. Maria, resto fiel do povo de Israel, os que ainda esperavam o Messias e os Discípulos a nova comunidade”, afirmou.

Maria Antonia também lembrou que a nova aliança significa amor, diferente da antiga aliança que tinha como pano de fundo as leis.

 “Isso fica claro na passagem das bodas de Caná, quando Maria diz a Jesus que o vinho é pouco e que são muitos convidados. Maria coloca a necessidade a Jesus, pois é a mãe e sabe que Deus é fiel e que o seu amor e a sua aliança não terminou. O milagre do vinho representa a abundância da Nova Aliança, do vinho novo que traz Cristo por intercessão de Maria e por isso, Maria convida os servos à obediência a Deus”.

Durante a palestra, a professora também falou sobre o significado da cruz. Explicou que o símbolo representa a aliança entre a nova comunidade, ou seja, os discípulos e Maria que representa o povo de Israel.

Encerrando suas palavras, Maria Antonia concluiu que ainda hoje Maria intercede pelos seus filhos, por suas necessidades e deu como exemplo o Santuário Nacional, local onde romeiros de todo o Brasil e devotos de todo o mundo procuram para pedir graças e bênçãos.

 “São pessoas que não tem vinho e pedem a intercessão de Nossa Senhora Aparecida para resolver os problemas. Isso é a fé”, finalizou.

  

‘Maria é a grande intercessora junto aos seus filhos’

Buscar as raízes histórico-teológicas da intercessão de Maria. Este foi o intuito da palestra da Drª Irª Vera Ivanise Bombonatto sobre a ‘A intercessão mariana na Tradição’, durante o primeiro dia do VI Congresso Mariológico, no Santuário Nacional.

Segundo Irmã Vera, Maria é a grande intercessora junto aos seus filhos.  “Através de sua intercessão, Maria nos ensina a seguir Jesus Cristo e a sermos seus discípulos e missionários”, afirmou Irmã Vera.

 De acordo com Irmã Vera Bombonatto, a intercessão de Maria está relacionada a sua maternidade, mesmo não sendo um dogma.

 Irmã Vera ressaltou aos Congressistas que Maria esteve presente na vida dos fiéis. “A prática da intercessão de Maria cresceu rapidamente ao longo do tempo”, completou.

 A palestrante citou a oração da Ave Maria e seu conteúdo como fruto da reflexão sobre o Ministério de Cristo, a santidade de Maria e a sua maternidade. “As orações dirigidas a Maria tem constantemente a invocação ‘Rogai por nós’. Outra oração que os fiéis também rezam para pedir a intercessão de Maria é a Salve Rainha”, finalizou Irmã Vera Bombonatto.

Maria: ‘A primeira entre os humildes e pobres’

Na tarde do dia 23 de março, os participantes do Congresso acompanharam a palestra do padre João Carlos de Almeida, mais conhecido como padre Joãozinho, da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus sobre o tema ‘A intercessão de Maria no magistério’.

 Padre João Carlos de Almeida expôs aos congressistas 40 princípios do magistério da Igreja para a razoabilidade da Intercessão de Maria.

 De acordo com o padre, a eficácia de toda intercessão emana de Cristo, único intercessor. Para ele, essa intercessão é singular e uma mediação subordinada ao único mediador, que é Jesus Cristo.

 O religioso sublinhou ainda que Maria intercede enquanto Mãe da Igreja e que a sua intercessão é um designo de Deus. “A afirmação de Maria como intercessora tem fundamento na Palavra de Deus, interpretada na Bíblia. A intercessão de Maria é atual e deve ser sempre atualizada na nossa maneira de invocá-la como mãe”, acrescentou.

 Padre João Carlos ainda ressaltou alguns pontos importantes entre estes princípios do magistério da Igreja para a razoabilidade da Intercessão de Maria, tais como o de que interceder faz parte da missão de Maria e da sensibilidade de seu povo.

 “Maria é a virgem dada à oração, que intercede pela comunhão dos cristãos. Ela é a primeira entre os humildes e pobres”, completou.

Fechando o dia com chave do ouro, o Ir. Afonso Murad, FMS,  discorreu sobre o tema: ”Uma reflexão teológica sobre a intercessão mariana”.

          Diálogo Ecumênico sobre a intercessão:  ’Perspectiva católica e evangélica’

 

No dia 24 de março, a Celebração Eucarística das 9h, no Altar Central, do Santuário Nacional marcou o início das atividades do segundo dia de atividades do VI Congresso Mariológico.

 As reflexões voltaram-se para os fundamentos pastorais do tema ‘Rogai por nós! A intercessão de Maria’.

 O padre Marcial Maçaneiro e o pastor Rui Rodrigues promoveram um ‘Diálogo Ecumênico sobre a intercessão. Perspectiva católica e evangélica’. O padre Joãozinho, da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, foi o mediador do debate.

O pastor Rui Rodrigues apresentou aos participantes do congresso algumas razões históricas para o questionamento da intercessão de Maria pelos evangélicos. “Existe uma incompreensão recíproca nas bases de nossas comunidades católicas e evangélica”, afirmou.

 Padre Marcial Maçaneiro completou afirmando que é preciso introduzir um diálogo ecumênico nas nossas comunidades de base.

 No período da tarde, o Pe. Alexandre Awi Mello, ISch, explanou brilhantemente sobre o tema: “A intercessão nos Santuários Marianos”.

Fechando os círculos de palestras, o Missionário Redentorista Pe. Márcio Fabri dos Anjos expôs aos participantes do Congresso uma profunda  ”Reflexão pastoral sobre a intercessão mariana”.

Celebração Eucarística marca encerramento do VI Congresso Mariológico

As atividades do VI Congresso Mariológico encerraram-se no domingo (25), no Santuário Nacional. Os congressistas participaram da Celebração Eucarística das 8h, no Altar Central, onde receberam a Benção Final.

A celebração foi presidida pelo reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli, que agradeceu o diretor da Academia Marial de Aparecida, padre Antônio Clayton Sant´Anna, C.Ss.R., pela sua dedicação e pela realização do Congresso.

Entre os temas refletidos, alguns aspectos foram destacados como a intercessão de Maria na Bíblia, a intercessão mariana na Tradição, a intercessão mariana no Magistério, uma reflexão teológica sobre a intercessão mariana, um diálogo ecumênico sobre intercessão e a intercessão nos santuários marianos.

As palestras foram apresentadas e debatidas pelos palestrantes Dr. padre João Carlos Almeida, Drª Ir. Vera Bombonato, Drª Maria Antônia Marques, Dr. Irmão Afonso Murad, Dr. Padre Marcial Maçaneiro, pastor Rui Rodrigues, padre Alexandre Awi Mello e Dr. Pe. Márcio Fabri dos Anjos.

Participaram do encontro 200 pessoas, entre membros da Academia Marial, agentes de pastoral, religiosos, estudiosos de Mariologia e devotos de Nossa Senhora.

Portal A12 (Adaptado)

Atenção:

Em breve disponibilizaremos aqui todas as palestras proferidas  no VI Congresso Mariológico.

Aguardem!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.