Código Personalizado
Revista de Aparecida

Cheia de Graça: Maria e seu Santíssimo Nome

O que Maria encontrou diante de Deus (graça) é o nome pelo qual ela foi chamada: a Cheia de Graça!

Escrito por Revista de Aparecida

06 SET 2022 - 08H22 (Atualizada em 09 JAN 2023 - 16H54)

Instituída pelo Papa Inocêncio XI para comemorar a vitória sobre os turcos na batalha de Viena (1683), a memória do santíssimo nome de Maria, celebrada no dia 12 de setembro, faz eco à festa de seu nascimento (08 de setembro) e é um alegre ressoar do anúncio messiânico da salvação, já que Maria nos trouxe Jesus.

O anjo Gabriel lhe havia dito: “o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus” (Lc 1,35b), por isso, ao falarmos da santidade de Maria, estamos falando do maior acontecimento da humanidade: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória” (Jo 1,14).

Em cada Ave-Maria rezada, invoca-se duas vezes o nome de Maria: na primeira recordamos as palavras do anjo Gabriel e na segunda repetimos com toda a Igreja: “Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós...”. Entre as duas pronúncias do nome de Maria está o nome de Jesus no centro da oração e essa conexão é tão forte que pronunciar o santíssimo nome de Maria significa, de certa forma, invocar também o poderosíssimo nome de Jesus.

A glória do nome de Maria é a glória de Deus manifestada na vida de uma menina chamada Miriam. Ainda que o nome hebraico Miriam possa ter diferentes significados (estrela do mar, gota do mar, esperança, excelsa), para a tradição bíblica o nome sempre traz consigo uma missão. Antes de o anjo Gabriel dizer “Não temas, Maria, pois encontrastes graça diante de Deus” (cf. Lc 1,30), ele a saudou como a Kecharitomene, ou seja, como a “cheia de graça” (cf. Lc 1,28).

O que Maria encontrou diante de Deus (graça) é o nome pelo qual ela foi chamada: a Cheia de Graça! Tem razão São Luís Maria Grignion de Montfort em dizer que “Deus reuniu todas as águas e chamou-as mar e reuniu todas as graças e chamou-as Maria” (TVD 23), por isso tantas graças são alcançadas quando o nome de Maria é invocado.

Nome de mãe é sagrado. Se isso vale para as relações cotidianas da vida, quanto mais para a relação filial de Jesus com sua mãe. Talvez por isso o evangelista João tenha omitido o nome de Maria no relato das bodas de Caná (Jo 2,1-12), pois para ele bastava dizer que “a mãe de Jesus” estava lá (cf. Jo 2,1). Para quem ama Nossa Senhora, uma palavra basta: Mãe! Temos uma mãe no Céu que olha por nós e o nome da virgem é Maria (cf. Lc 1,27).

Fonte: Vinícius da Silva Paiva

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Revista de Aparecida, em Revista de Aparecida

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.