Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 01 JUL 2020 - 15H46

Como fazer compras pela internet com segurança?

Consumidores passam a comprar mais online após a pandemia. Especialista dá dicas de segurança nas compras on-line.

O mundo passa por um período de adaptação. O isolamento social alterou hábitos e o comportamento das pessoas. Um dos setores mais modificados é o de vendas. De portas fechadas a alternativa foi inovar e migrar para a internet, o que fez com que os consumidores ficassem mais familiarizados com as compras on-line.




O advogado Thiago Noronha traz algumas dicas para tornar as compras on-line mais seguras. Confira:

- Escolha sites confiáveis.

- Procure o nome, CNPJ e endereço da empresa no site.

- Cheque a reputação do site – A dica do especialista é procurar referências do nome do site + a palavra ‘fraude’ em sites de buscas.

- Buscar a opinião de outros consumidores sobre o site.

- Em caso de compras em marketplaces, considerado vantajoso para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, a dica é checar a reputação dos vendedores e empresas e também a avaliação de outros consumidores sobre os produtos.

- Prefira sites com endereço HTTPS, onde a comunicação é criptografada, aumentando significativamente a segurança dos dados.

Golpes pela internet

Em casos de fraudes nas compras ou roubo de dados, o advogado Thiago Noronha indica que o consumidor registre um boletim de ocorrência.

Clonagem de cartão de crédito

A primeira atitude do consumidor deve ser descobrir a origem da clonagem do cartão. O advogado lembra que cartão de crédito é pessoal e intransferível e não deve ser emprestado a outras pessoas, por segurança.

Em casos de uso indevido ou clonagem é recomendável comunicar a operadora do cartão e registrar um boletim de ocorrência.

Devolução de produtos

O direito de arrependimento, previsto no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor é aplicável às compras feitas fora do estabelecimento comercial, como por Internet, por catálogo, por telefone, entre outros. O consumidor tem o prazo Leia MaisCresce número de compras online feitas em modelo de parceriade sete dias contados do recebimento do produto para se arrepender e ter o dinheiro eventualmente pago, devolvido com correção monetária.

Thiago Noronha lembra que esse direito do consumidor é válido somente para compras on-line ou não presenciais e o consumidor não precisa apresentar um motivo. É direito, estando dentro do prazo de sete dias, a desistência da compra.

Suspensão do direito de arrependimento na pandemia

Tiago afirmou que esse direito de arrependimento está temporariamente suspenso na pandemia. A lei 14.010, publicada no Diário Oficial da União, suspende parcialmente a aplicação do artigo 49, do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que trata do direito de arrependimento.

Ouça outras dicas do advogado Tiago Noronha na entrevista abaixo:

.:: Outras notícias sobre a pandemia do novo coronavírus 


:: Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.