Por Joana Darc Venancio Em Brasil Atualizada em 07 AGO 2018 - 10H31

Nunca vos reduzais a um horizonte limitado!


Shutterstock
Shutterstock

Um dia, pela janela do ônibus, quando ia para mais um dia de minha jornada como Professora, avistei uma pichação onde estava escrito: “Escolas são gaiolas”? Aquela imagem incomodou-me muito. Ainda que não defenda (em hipótese alguma) a ação do pichador, interroguei-me por um longo tempo acerca da mensagem. Gaiolas prendem! Pássaros na gaiola cantam de dor! Gaiolas maculam a liberdade! Escolas são gaiolas? Como responder essa interrogação? É importante que compreendamos que Escola representa qualquer instituição de Ensino da Educação Infantil ao Ensino Superior.

Leia MaisA BNCC e o Ensino Religioso: Somente cultura? O que é da Fé?BNCC: A proposta para a Educação InfantilBNCC e as 10 Competências: vamos acompanhar a aplicação na EducaçãoBNCC: O que é? Currículo como sinônimo de abertura à realidade?Quem deixou a mensagem “Escolas são gaiolas”, passou pela escola, pois se assim não fosse, não teria a referência do contrário. Quantos estudantes brasileiros acham que escolas são gaiolas?

Muitos pensam criticamente sobre a escola e não se sentem parte integrante de seu cotidiano, mas com maturidade questionam e atuam para que a escola seja melhor e mais significativa. Outros, no entanto, optam pela indisciplina, falta de responsabilidade, descaso e tantos outros comportamentos adversos, tornarem a escola ainda mais frágil.

O distanciamento entre estudante e escola é uma grande contradição que precisa ser superada. O estudante é o sentido de ser da escola, porém, lamentavelmente, não é raro a constatação de que essa verdade foi esquecida por muitos, inclusive por Professores, Diretores, Orientadores, Políticos e até por parte dos próprios estudantes. Papa Bento XVI, no Encontro os alunos das escolas católicas britânicas em setembro de 2010, refletiu que: "Deste modo, aprendeis não só a ser bons estudantes, mas bons cidadãos e boas pessoas. Na medida em que progredis no vosso percurso escolar, tendes que fazer escolhas a propósito das matérias do vosso estudo e começar a especializar-vos para aquilo que no futuro haveis de fazer na vida. Isto é correto e oportuno. Porém, recordai que cada matéria que vós estudais está inserida num horizonte mais amplo. Nunca vos reduzais a um horizonte limitado. O mundo tem necessidade de bons cientistas, mas uma perspectiva científica tornar-se-á particularmente restrita, se ignorar as dimensões ética e religiosa da vida, do mesmo modo como se tornará angusta, se rejeitar a contribuição legítima da ciência para a nossa compreensão do mundo. Temos necessidade de bons historiadores, filósofos e economistas, mas se a percepção que eles oferecem a respeito da vida humana, no contexto do seu campo específico, estiver centrada numa perspectiva demasiado limitada, eles podem desviar-nos seriamente".

Os estudantes precisam tomar posse da escola! Tomar posse do que de fato ela representa: o lugar da construção do conhecimento! Estudante, segundo o dicionário da língua portuguesa é pessoa que estuda. A Escola precisa inspirar o estudante e o estudante deve inspirar a possiblidade de uma escola significativa. Papa Francisco, no discurso aos membros da fundação "gravissimum educationis", em 25 de junho de 2018 deixou um grande ensinamento para estudantes e Professores: "Só mudando a educação se pode mudar o mundo. Para fazer isto gostaria de vos propor algumas sugestões: 1. Antes de tudo, é importante “criar rede”. Criar rede significa unir as instituições escolares e universitárias a fim de potencializar a iniciativa educativa e de pesquisa, enriquecendo-se com os pontos de força de cada uma, para ser mais eficazes a nível intelectual e cultural. 2. Criar rede significa também unir os saberes, as ciências e as disciplinas, para enfrentar os desafios complexos com a inter e transdisciplinaridade, como mencionado na Veritatis gaudium (cf. n. 4c). 3. Criar rede significa proporcionar lugares de encontro e diálogo no âmbito das instituições educativas e promovê-los externamente, com cidadãos provenientes de outras culturas, tradições, religiões diferentes, a fim de que o humanismo cristão contemple a condição universal da humanidade de hoje. 4. Criar rede significa inclusive fazer da escola uma comunidade educadora na qual professores e estudantes não estejam ligados apenas por um plano didático, mas por um programa de vida e experiência, capaz de educar para a reciprocidade entre gerações diversas. E isto é muito importante para não perder as raízes".

O dia do estudante é comemorado no dia 11 de agosto. Neste dia em 1827, Dom Pedro I fundou os dois primeiros cursos de Ciências Jurídicas do Brasil. No centenário da fundação, em 1927, a data foi sugerida como o “Dia dos Estudantes”. Roguemos à Santa Clara de Assis, no dia também a ela dedicado, por todos os estudantes brasileiros.

Escrito por
Joana Darc Venancio (Redação A12)
Joana Darc Venancio

Pedagoga, Mestre em educação e Doutora em Filosofia. Especialista em Educação a Distância e Administração Escolar, Teóloga pelo Centro Universitário Claretiano. Professora da Universidade Estácio de Sá. Coordenadora da Pastoral da Educação e da Catequese na Diocese de Itaguaí (RJ)

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.