Por Redação A12 Em Brasil

Semana de enfrentamento ao tráfico de pessoas mobiliza ações de conscientização

O Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas, 30 de julho, mobiliza diversas instâncias para a conscientização desse problema social.

Durante essa semana diversas ações, da ONU, Ministério do Trabalho e governos estaduais e municipais movimentam o país para um trabalho preventivo.

O trabalho escravo é uma das finalidades do tráfico de pessoas e, por isso, o Ministério Público do Trabalho (MPT) está envolvido nas ações dessa semana, que marca o combate a este crime. A procuradora do MPT, Ana Gabriela Oliveira de Paula, explica que, na área urbana das cidades, predominam o trabalho escravo em confecções têxteis e na construção civil. Já na parte rural, o corte de cana é um dos vilões.

Para a procuradora, tão importante quanto as ações de flagrante, no local onde o trabalho escravo ocorre, são as ações preventivas: “Essas atuações são trabalhos de conscientização e qualificação, para esclarecer o trabalhador das condições análogas à de escravo no trabalho”.

Foto de: coracaoazul.com.br

combate_ao_trafico_de_pessoas_sp2015

Gift Box em São Paulo (SP)

Na cidade de São Paulo duas ações, relacionadas ao combate do tráfico de pessoas, foram apresentadas ao público: a Gift Box e a iluminação especial azul de monumentos da cidade.

A Gift Box, uma grande caixa de presente, está exposta em frente ao Teatro Municipal da capital paulista. O objeto chama a atenção das pessoas e é um convite para que alguém abra e entre. Porém, quando aberta, apresenta uma dura realidade, com imagens e relatos de vítimas do tráfico de pessoas.

Durante toda a semana, alguns monumentos da cidade receberão iluminação azul, fazendo referência à campanha mundial sobre o tema “Coração Azul”, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Entre eles, o Teatro Municipal, o Viaduto do Chá, a Ponte das Bandeiras, a Biblioteca Mário de Andrade, a Estátua do Borba Gato e o Monumento às Bandeiras.

Foto de: coracaoazul.com.br

gift_box_rio_de_janeiro_trafico_de_pessoas

Gift Box no Rio de Janeiro (RJ)

No Rio de Janeiro (RJ) o Aeroporto do Galeão também recebe a Gift Box, a iluminação azul também chamará a atenção para a causa do combate ao tráfico de pessoas em alguns monumentos da cidade.

O combate ao tráfico de pessoas gera uma preocupação entre os países, nesta segunda-feira (27) em Brasília (DF) Ministros do Trabalho dos países do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) assinaram uma declaração contra o tráfico de pessoas e o trabalho escravo. Eles também finalizaram uma proposta de declaração sociolaboral que será submetida à apreciação dos chefes de Estado do Mercosul. O encontro foi na sede do Ministério do Trabalho, em Brasília.

No documento, os ministros se comprometem a impulsionar políticas regionais em matéria de prevenção, combate e reinserção das vítimas no mercado de trabalho.

Dados:

No Brasil, de acordo com o relatório do Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal, 1.735 pessoas foram vítimas de tráfico interno de pessoas para fins de exploração sexual, entre 2006 e 2011.

Sobre o tráfico internacional, as vítimas brasileiras se destinam à exploração sexual. De 475 vítimas identificadas pelo Ministério das Relações Exteriores, entre 2005 e 2011, em seus consulados e embaixadas, 337 sofreram exploração sexual e 135 foram submetidas a trabalho escravo. Além disso, 42.664 trabalhadores foram resgatados do trabalho escravo no Brasil entre os anos de 2003 e 2013, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Saiba mais sobre os 30 anos de trabalho da CPT de denúncia e combate ao trabalho escravo.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.